Supercomputadores da Europa são alvo de hack e têm dados de usuários roubados
Créditos: Teller Report

Supercomputadores da Europa são alvo de hack e têm dados de usuários roubados

Estados Unidos culpa hackers chineses por ataques, mas não há evidências para a afirmação

Alguns hackers estão invadindo supercomputadores na Alemanha e no Reino Unido e roubando dados desde janeiro deste ano. De acordo com o Centro de Computação de Alto Desempenho (HLRS), um instituto de pesquisa e um centro de supercomputadores com sede em Stuttgart, na Alemanha, o supercomputador "Hawk" teve que ser desligado "devido a um incidente de segurança" no dia 11 de maio.

20/04/2020 às 10:02
Notícia

Hackers atacaram empresas 22 milhões de vezes nos últimos 7 dias

Ataques tiveram como alvo empresas em todo o mundo

Na verdade, o computador conhecido como Hawk é o supercomputador principal do instituto, e teve seus sistemas invadidos por hackers anônimos. O PC tem um desempenho máximo de aproximadamente 26 Petaflops e está entre os supercomputadores mais rápidos do mundo. É o sistema de uso geral mais rápido para computação científica e industrial na Europa.

Além do instituto de pesquisa, o Centro de Supercomputação Leibniz, da Academia de Ciências e Humanidades da Baviera, perto de Munique, admitiu que seus sistemas haviam sido alvo de hackers. Em comunicado divulgado em 14 de maio, o centro confirmou "um incidente de segurança que afeta nossos computadores de alto desempenho". Por motivos de segurança, eles tiveram que isolar as máquinas afetadas.

Ainda não se sabe quem está por trás dos ataques, mas de fato os hackers estão usando dados roubados de contas de usuários. O Archer National Supercomputing Service, sediado no Reino Unido, também afirmou que seus sistemas sofreram uma "exploração de segurança" que levou seus administradores a reescrever senhas e chaves SSH (Secure Shell).

Mesmo sem indícios de quem está invadindo os supercomputadores para usar os dados de usuários, os Estados Unidos estão culpando a China, como sempre. Não há indícios de que hackers chineses estão por trás da operação, no entanto.

Via: Fudzilla
User img

Mariela Cancelier

Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Foi estagiária do Adrenaline e Mundo Conectado e atualmente é redatora freelancer em ambos os sites.

O fim do CANAL do RATO BORRACHUDO e o Dilema das Redes Sociais

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.