Pesquisadores desenvolvem robôs
Créditos: National Geographic Magazine / Reprodução

Pesquisadores desenvolvem robôs "soft" extremamente velozes inspirados em guepardos

Novos softbots podem ser empregados em operações de resgate e na indústria no futuro

Estudos sobre robótica têm caminhado a passos largos nos últimos tempos em diferentes frentes, principalmente na automação de processos industriais. Um subcampo de pesquisa menos difundido, mas igualmente promissor, envolve os robôs “soft” (“moles” ou “macios”), que tendem a imitar organismos biológicos, têm melhor adaptação e trazem maior segurança aos seres humanos.  

Neste sentido, cientistas da Universidade Estadual da Carolina do Norte anunciaram o desenvolvimento de uma espécie de coluna robótica inspirada no guepardo que pode levar à criação de softbots mais rápidos e precisos nas mais diversas atividades.

"Nos inspiramos no guepardo para criar um tipo de softbot que possui uma coluna 'biestável' acionada por mola – o que significa que o robô tem dois estados estáveis", explica a Dr. Jie Yin, professora assistente de engenharia mecânica e aeroespacial da Universidade Estadual da Carolina do Norte.

“Podemos alternar rapidamente entre esses estados estáveis bombeando ar pelos canais que revestem o robô de silicone”, detalha, no estudo publicado na revista Science Advances.

Estes novos tipos robôs, chamados de LEAP (Leveraging Elastic instabilities for Amplified Performance), são significativamente mais rápidos que seus antecessores soft. 

Como ressalta o Engadget, robôs macios normalmente se locomovem através de superfícies sólidas, mantendo os quatro pés firmes no chão – fato que limita severamente sua velocidade a cerca de 0,8 comprimento do próprio corpo por segundo. Um robô LEAP, por outro lado, é três vezes mais rápido. 

Os pesquisadores demonstraram que o design do LEAP poderia melhorar até mesmo a velocidade da natação dos softbots.

Continua após a publicidade

Créditos: NC State Home/ Reprodução

Eles explicam que esse tipo de tecnologia é escalável, portanto, podem ser criadas versões maiores ou menores – do tamanho de um grande animal, até numa escala nano ou micro. 

"Também demonstramos o uso de vários robôs flexíveis trabalhando juntos, como pinças, para pegar objetos", relata Yin. "Ajustando a força exercida pelos robôs, conseguimos levantar objetos tão delicados quanto um ovo, além de objetos com peso de 10 kg ou mais".

Os pesquisadores observam que este trabalho está em estágio inicial, mas estão otimistas com as possibilidades de mudanças de design que poderiam tornar os robôs LEAP ainda mais rápidos e poderosos.

"As aplicações potenciais incluem tecnologias de busca e resgate, onde a velocidade é essencial, e robótica de fabricação industrial", diz Yin. 

Via: Engadget, Futurity
User img

Gabriel Tagarro

Formado em jornalismo pela Universidade Castelo Branco, é apaixonado por games desde 1994, quando ganhou um Master System. Joga de tudo um pouco, seja no PC ou no console. Ama tecnologia e escreve com prazer sobre tudo que a envolve.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.