Xiaomi, Samsung e outras fabricantes retomam produção de celulares na Índia
Créditos: GSMArena

Xiaomi, Samsung e outras fabricantes retomam produção de celulares na Índia

Empresas receberam aprovação para retomar parcialmente a fabricação e montagem de dispositivos

Leitura Rápida

  • Empresas receberam aprovação para retomar parcialmente a produção de dispositivos
  • Xiaomi retomará a produção nas instalações da Foxconn em Andhra Pradesh
  • Vivo retomará a produção com 30% de sua capacidade
  • Oppo retomará a produção com cerca de 3.000 funcionários
  • Samsung retomou a produção em sua fábrica na Índia de forma limitada

De acordo com informações recentes, Xiaomi, Vivo, Samsung, Oppo e outras empresas de smartphones receberam aprovação de alguns governos estaduais na Índia para retomar parcialmente a fabricação e montagem de dispositivos em meio ao bloqueio em curso no segundo maior mercado de smartphones do mundo que fechou completamente as operações nessas fábricas no final de março.

As empresas disseram que conseguiram permissão para iniciar suas operações de fabricação no país, embora várias restrições, como a operação com mão de obra limitada, ainda estejam em vigor. O governo federal na Índia permitiu a retomada da produção de smartphones no início deste mês, mas os governos estaduais têm a palavra final sobre se as condições locais são seguras o suficiente para isso.

As empresas disseram que conseguiram permissão para iniciar suas operações de fabricação no país, mas com algumas restrições.

A decisão de Nova Deli vem dias depois de estender o bloqueio por duas semanas no início deste mês, mas removeu algumas restrições para reviver a atividade econômica que está paralisada desde que as rigorosas ordens de permanência em casa foram impostas em todo o país no final de março.

16/04/2020 às 14:35
Notícia

Coronavírus: Samsung pode amargar pior taxa operacional da hi...

LG estaria passando pelos mesmos problemas

No início desta semana, o governo permitiu que empresas de comércio eletrônico e serviços de carona retomassem os serviços em zonas verdes e laranjas, distritos que viram um surto menos grave do Coronavírus (COVID-19), em todo o país. As zonas verdes e laranjas representam 82% dos 733 distritos da Índia.

A Xiaomi, que lançou uma série de aparelhos na Índia, incluindo seu smartphone Mi 10 equipado com o chip Qualcomm Snapdragon 865, disse no início deste mês que só tinha estoque para atender à demanda por até três semanas.

Manu Kumar Jain, vice-presidente da Xiaomi que supervisiona os negócios da empresa chinesa na Índia, disse hoje que a empresa, que tem sido a principal fornecedora de smartphones do país há mais de dois anos, reiniciaria as operações nas instalações de seu parceiro Foxconn no estado de Andhra Pradesh. Já a Wistron, parceira da Apple no país, iniciou suas operações de forma limitada para a criadora do iPhone em Bangalore.

Xiaomi, Samsung e outras fabricantes retomam produção de celulares na Índia

Continua após a publicidade

A Vivo, segunda maior fornecedora de smartphones da Índia, disse que a empresa retomará a produção com 30% de sua capacidade. "Começaremos a produção com cerca de 3.000 funcionários", disse um porta-voz da empresa.

A Oppo retomará a produção em sua unidade Greater Noida com cerca de 3.000 funcionários que trabalharão em rotação. Já a Samsung, que abriu a maior fábrica de smartphones do mundo na Índia em 2018, reiniciou a produção nessa fábrica na última quinta-feira, dia 7, de forma limitada.

Vale lembrar que todos os principais fabricantes de smartphones na Índia estabeleceram sua própria fábrica ou fizeram parcerias para produzir unidades localmente nos últimos anos para aproveitar os benefícios fiscais que Nova Deli oferece.

Fonte: TechCrunch
User img

Fabio Rosolen

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.