Torres 5G são atacadas por manifestantes na Holanda por

Torres 5G são atacadas por manifestantes na Holanda por "fazerem mal à saúde"

Ativistas também apontam a possibilidade de invasão de privacidade

Opositores da implantação de uma nova rede de dados 5G danificaram e incendiaram várias torres da tecnologia na Holanda. De acordo com o jornal local De Telegraaf, os ativistas responsáveis pelos ataques demonstraram preocupação com possíveis riscos à saúde e violações da privacidade. As torres de transmissão para celulares faziam parte da nova rede de telecomunicações 5G.

11/04/2020 às 19:33
Notícia

Pandemia ainda não impactou fornecedoras de peças para smartp...

Empresas como Huawei e Oppo mantiveram os pedidos conforme o planejado antes das quarentenas

Torres nas cidades de Roterdã, Liessel, Beesd e Nuenen foram severamente danificadas pelo fogo. Os danos às estruturas foram confirmados por Rob Bongelaar, diretor da The Monet Foundation, associação que supervisiona a colocação de torres de celular e coordena com os governos estaduais representando redes como KPN, T-Mobile e Vodafone.

"As operadoras estão fazendo todo o possível para manter as redes móveis em funcionamento neste momento difícil", disse Bongelaar. De acordo com ele, a frase "F*** 5G (F***-se 5G)" estavam escritas na caixa de transmissão em um dos locais atacados.

O órgão de Segurança e Contra-Terrorismo do governo holandês (NCTV) anunciou que havia registrado "vários incidentes" em torno de antenas de transmissão na semana passada, incluindo incêndio criminoso e sabotagem. A NCTV acrescentou que ataques semelhantes têm ocorrido recentemente no Reino Unido.

Embora os manifestantes expressem sua preocupação em relação à tecnologia 5G interferir na saúde, a disponibilidade de infraestrutura de comunicação digital afeta diretamente os hospitais, por exemplo. As autoridades estão preocupadas porque os ativistas possam, na verdade, interferir em diversos tratamentos de pacientes (ainda mais agora com a epidemia COVID-19). A comunicação de hospitais, principalmente com ambulâncias, depende de ondas de rádio que atuam por meio das torres que estão sendo atacadas.

Via: Dw
User img

Mariela Cancelier

Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Foi estagiária do Adrenaline e Mundo Conectado e atualmente é redatora freelancer em ambos os sites.

O fim do CANAL do RATO BORRACHUDO e o Dilema das Redes Sociais

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.