Exército dos EUA desenvolve drones de reconhecimento que são disparados por lançadores de granadas
Créditos: Flickr da Guarda Nacional dos Estados Unidos

Exército dos EUA desenvolve drones de reconhecimento que são disparados por lançadores de granadas

Eles são disparados a partir de lançadores de granadas M320A1 de 40mm

Cientistas do laboratório de pesquisas do Exército dos Estados Unidos, ou ALR, desenvolveram pequenos drones de reconhecimento que os soltados podem disparar a partir de lançadores de granadas para detecção de atividade inimiga.

Depois de disparados a partir de lançadores de granadas M320A1 de 40mm, que possui alcance máximo de 350 metros, os soldados podem controlar os drones batizados como Grenade Launched Unmanned Aerial Systems (GLUAS) com um dispositivo portátil que também pode ser usado para visualização de vídeo transmitido pelas câmeras dos drones.

17/03/2020 às 14:50
Notícia

Polícia da Espanha usa drones para alertar pessoas na rua sob...

País é um dos mais afetados no mundo pelo COVID-19

"Em combate, há vários cenários onde os soldados podem fazer uso desta tecnologia", disse John Gerdes, engenheiro mecânico do laboratório de pesquisa do Exército dos Estados Unidos. "Basicamente, se há algo que você quer ver, mas não sabe onde está, é aí que o drone entra."

Os drones foram batizados como Grenade Launched Unmanned Aerial Systems (GLUAS)

No ano passado, o Exército dos EUA começou a fornecer drones compactos para unidades sob o programa Soldier Borne Sensor (SBS). Eles são capazes de voar até 25 minutos, enquanto transmitem vídeo ao vivo e imagens estáticas de até dois quilômetros de distância. Os novos drones GLUAS possuem duas variantes. Uma destas variantes é um pequeno sistema de parapente com hélices de lâmina dobráveis e asas de parapente Mylar para ajudá-lo a permanecer no ar. A outra variante tem um estilo similar a um helicóptero que paira no ar com a ajuda um conjunto de rotores coaxiais.

Exército dos EUA desenvolve drones de reconhecimento que são disparados por lançadores de granadas
Cadete da Academia Militar de West Point disparando um lançador
de granadas M203 pela primeira vez durante seu treinamento

O drone disparado através do lançador de granadas tem um alcance de dois quilômetros com uma autonomia de bateria que pode superar 90 minutos e é capaz de operar a uma altitude de até 609 metros. "Este dispositivo fornece uma plataforma de autonomia e inteligência para ajudar os soldados a realizar missões úteis enquanto têm um vigia a centenas de metros no ar", disse Gerdes. "Componentes como receptores GPS e controladores de voo são muito fáceis instalar nos drones GLUAS, o que facilita a manutenção de uma posição ou o monitoramento de uma unidade terrestre."

Continua após a publicidade

O Exército começou a colocar o lançador de granadas M320 em campo em 2009 e depois ele foi atualizado para o M320A1. O sistema tem um alcance máximo efetivo de 350 metros. Já o Corpo de Fuzileiros Navais recentemente colocou em campo seu novo lançador de granadas M320A1 para fuzileiros navais em Camp Lejeune, Carolina do Norte, e pretende fornecê-lo para todas as suas unidades de infantaria até o ano fiscal de 2021.

Fonte: DroneDJ, Military.com
User img

Fabio Rosolen

PIX: TUDO que você PRECISA SABER

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.