CEO da Zoom pede desculpas por falhas de segurança em videoconferência
Créditos: DPA

CEO da Zoom pede desculpas por falhas de segurança em videoconferência

Eric Yuan destacou as recentes atualizações de privacidade e prometeu levar as questões de segurança a sério

Em uma transmissão ao vivo no YouTube na quarta-feira, o CEO da Zoom, Eric Yuan, pediu desculpas aos usuários por uma série de falhas de segurança que abalaram o aplicativo nas últimas semanas. Falando aos telespectadores por mais de duas horas, Yuan destacou as recentes atualizações de privacidade da empresa e prometeu levar as questões de segurança a sério.

"Claramente temos muito trabalho a fazer para garantir a segurança de todos que usam o aplicativo", disse Yuan. "Mas o que eu posso prometer a você é que nós levamos essas questões muito, muito a sério. Estamos investigando cada uma delas. Se encontrarmos um problema, vamos reconhecê-lo e corrigi-lo.”

06/04/2020 às 18:24
Notícia

Por falhas de segurança, Anvisa proíbe uso interno do app de ...

Vulnerabilidades permitem a invasores acesso à câmera, microfone e dados pessoais

O bate-papo ao vivo vem na esteira de entrevistas semelhantes para a CNN e o The Wall Street Journal, enquanto a Zoom se esforça para se adaptar ao seu novo público consumidor. Como parte desse novo foco, a empresa também instituiu uma paralização de 90 dias em recursos planejados para o aplicativo, permitindo que os desenvolvedores se concentrem melhor no produto atual.

No início desta semana, a empresa anunciou uma série de mudanças destinadas a evitar a prática de "zoombombing", que é quando muitas pessoas que não foram convidadas invadem uma reunião em andamento, e outros tipos de assédio.

Yuan também abordou especificamente um relatório do Citizen Lab publicado na semana passada, que mostrou chaves de criptografia sendo processadas através de um servidor na China, mesmo quando todos os participantes da reunião estavam fora do país.

De acordo com Yuan, a comunicação aconteceu como resultado de aplicativos de clientes tentando entrar em contato com um servidor de tempo, mas ele disse que isso aconteceu em uma porcentagem bem pequena de casos. Ainda assim, a mera possibilidade de tal comunicação pode ser considerada como uma vulnerabilidade.

"Para ser claro, isso nunca deveria ter acontecido", disse Yuan, "e a questão foi completamente solucionada na sexta-feira passada."

A Zoom também está trazendo ajuda para gerenciar seus novos desafios de segurança e privacidade. O ex-chefe de segurança do Facebook, Alex Stamos, anunciou que passaria a colaborar com a empresa na área de segurança.

"Em um momento de crise global, o aplicativo Zoom se tornou um elo crítico entre colegas de trabalho, famílias, amigos e, mais importante, entre professores e alunos", disse Stamos em um post no Medium. "Isso criou desafios de privacidade, confiança e segurança que nenhuma empresa jamais enfrentou."

Continua após a publicidade

O aplicativo Zoom também é alvo de legisladores e reguladores dos Estados Unidos. Em uma carta à Comissão Federal de Comércio, o senador Ed Markey pediu à agência que emita "diretrizes abrangentes para empresas que fornecem serviços de conferência online, bem como práticas recomendadas para os usuários que ajudarão a proteger a segurança e a privacidade on-line durante esta pandemia e além".

Tais diretrizes afetariam não apenas o aplicativo Zoom, mas também afetaria concorrentes como Skype e Google Hangouts, abrindo as portas para novas ações regulatórias.

Fonte: The Verge
User img

Fabio Rosolen

Conheça o Luna! O novo serviço de STREAMING de JOGOS da Amazon

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.