Câmeras de segurança e babás eletrônicas são invadidas por hackers no Brasil
Créditos: em tempo

Câmeras de segurança e babás eletrônicas são invadidas por hackers no Brasil

PF investiga que mais de 141 equipamentos foram invadidos por cibercriminosos

A Polícia Federal (PF) descobriu em investigação que mais de 141 equipamentos de babás eletrônicas e câmeras de segurança residencial, foram invadidas por cibercriminosos. Segundo a PF, eles estavam se aproveitando do momento de isolamento social, devido ao Covid-19, para invadir equipamentos e gravar a rotina das famílias. O principal intuito era utilizar as imagens posteriormente fazer extorsão, obrigando a repassar bens, por exemplo.

Os equipamentos invadidos ficam em diferentes localidades do Brasil. Até agora, a Polícia conseguiu identificar que os ataques foram em cerca de 35 municípios, mas ela informa que acredita ter ainda mais dispositivos acessados, que ainda não foram identificados.

06/04/2020 às 18:35
Artigo

Confira dicas para proteger as crianças na internet durante a...

Com tudo fechado, inclusive escolas, é natural que grande parte dos jovens passe mais tempo conectado

Para fazer a invasão os criminosos usam a deepweb. Eles tem acesso em tempo real das informações captadas por babás eletrônicas e câmeras IP, que são usadas para fazer a segurança residencial. Ainda não foi relatado nenhum crime, além da invasão da privacidade, cometido por essas pessoas. Apesar disso, a polícia pede que a população fique alerta, já que essas imagens poderiam facilmente ser usadas como chantagem, para conseguir obter alguma vantagem das famílias.

O que se acredita é que os criminosos ainda estavam no começo do ataque, mapeando a rotina das famílias. Assim, seria possível encontrar um momento de maior vulnerabilidade para praticar algum crime. 

A PF ainda está investigando para saber como os criminosos estão atuando, além de identificar se há mais famílias envolvidas no golpe. O trabalho está sendo feito em conjunto com órgãos internacionais de segurança, para que seja possível encontrar e culpabilizar os responsáveis pelas invasões. 

Não há mais detalhes sobre a investigação para manter o processo em sigilo. Em comunicado para a imprensa, foi informado que "por essa razão, a PF não comentará detalhes sobre a investigação. O objetivo neste momento é o de fazer um alerta à população". 

Para quem usar esses dispositivos vale fazer um reforço na segurança. Uma dica simples é alterar as senhas de tudo que for possível, além de resetar - que é reiniciar e limpar todas as informações -, os equipamentos. O manual de instruções deve conter a informação de como fazer esse processo de forma adequada.

Continua após a publicidade
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.