Durou pouco: Xiaomi abandona criação de chips próprios para celulares
Créditos: CGTN

Durou pouco: Xiaomi abandona criação de chips próprios para celulares

Surge S1 foi revelado em 2017 e só foi usado pelo Xiaomi Mi 5c

Em 2017 a Xiaomi revelou seu próprio chipset para smartphones, o Surge S1. O chip chamou mais atenção para a empresa chinesa, já que com ele era estaria no mesmo nível de outras como a Samsung e a Huawei, que também podem desenvolver seus próprios chips.

Após a revelação do Surge S1, pouco foi falado sobre o progresso da Xiaomi no desenvolvimento de chips e agora as últimas informações da China sugerem que a empresa provavelmente abandonou seu projeto de chipset.

O chip Surge S1 era bem básico para a época em que foi anunciado e deveria competir com concorrentes como o Snapdragon 430 ou Snapdragon 625. Produzido com o processo de 28nm, ele veio com oito núcleos Cortex-A53 – 4 operando com 2.2GHz e 4 operando com 1.4GHz – e GPU Mali-T860. O smartphone Xiaomi Mi 5c foi o primeiro e único telefone a usar o chip da empresa.

Rumores sobre a revelação de um chip Surge S2 no Mobile World Congress 2018 não se confirmaram e posteriormente surgiram informações de que a Xiaomi estava trabalhando com a TSMC, mas nada mais foi divulgado.

De acordo com uma fonte da indústria, a Xiaomi agora está focando sua atenção em outros projetos que não são tão complicados ou caros como o desenvolvimento de um chipset próprio. Em vez de fabricar processadores para smartphones, a empresa está procurando desenvolver Bluetooth de baixa potência, chips RF e outros componentes periféricos. A fonte observa que isso seria diferente da estratégia da Huawei de investir completamente em seu negócio de chipsets.

A fonte ainda acrescenta que a Xiaomi parece estar procurando um equilíbrio entre o desenvolvimento de um produto competitivo e o lucro financeiro. Nesse sentido, a empresa está diversificando seu negócio de chips para evitar os custos de longo prazo de pesquisa e desenvolvimento.

Durou pouco: Xiaomi abandona criação de chips próprios para celulares

Continua após a publicidade

Nos últimos anos, a Xiaomi investiu pesado em várias empresas de chips. Recentemente a empresa adquiriu uma participação na Hypower Electronics. Já no início deste ano, a empresa fez investimentos estratégicos em dois fabricantes de chipsets. No ano passado ela também havia investido em uma empresa de design de chips, a Verisilicon.

Mesmo antes do comentário da fonte mencionada acima, outros relatos indicavam que a Xiaomi poderia abandonar seu projeto de processador de smartphones e converter este departamento em uma empresa de propriedade de funcionários com ações da Xiaomi. Considerando essas informações, parece que a empresa chinesa realmente desistiu de desenvolver chipsets próprios.

Vale destacar que a Xiaomi ainda não fez um anúncio oficial sobre o fim do desenvolvimento de seus processadores.
 

Fonte: GSMArena, Gizmochina
User img

Fabio Rosolen

Estamos com a MI BAND 5! Veja o que a PULSEIRA INTELIGENTE da XIAOMI pode fazer

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.