Agência espacial chinesa revela conteúdo de estudo sobre o lado oculto da Lua
Créditos: Administração Espacial Nacional da China

Agência espacial chinesa revela conteúdo de estudo sobre o lado oculto da Lua

AENC divulgou o primeiro estudo da sonda Chang'e 4, a primeira a explorar essa região do satélite

Dois dias atrás veio a público o primeiro estudo já realizado com uma sonda no lado oculto da Lua, que foi compartilhado pela Administração Espacial Nacional da China (Guó Ji? Háng Ti?n Jú) ou AENC, na revista científica Science Advances. O artigo publicado na edição nº 26 da revista contém informações sobre o solo da região coletadas pela sonda Chang'e 4, que usa um radar de penetração para diferenciar as discrepâncias que existem de uma camada do solo para a outra.

O lado oculto da lua é uma presença constante no imaginário das pessoas por sua "aura de mistério", já que é uma região da Lua muito mais difícil de ser observada. Por conta da rotação sincronizada da Lua com a Terra, o lado da Lua que fica virado para o nosso planeta, e portanto observável pelos poderosos telescópios e equipamentos de observação astronômica que existem hoje, é sempre o mesmo. Esse mistério serviu de inspiração para várias obras culturais, sendo a mais famosa o álbum The Dark Side of The Moon, da banda Pink Floyd, mas incluindo também filmes e livros.

   

O fato de ser uma região que está sempre virada para o lado contrário ao da Terra também torna mais difícil que uma nave alcance o lado oculto para realizar um pouso. Por conta disso, nenhuma das seis missões tripuladas que pousaram na Lua estiveram no lado oculto. Antes dessa missão da sonda chinesa todas as informações que existiam sobre essa parte do satélite natural tinham sido obtidas à distância, através de imagens registradas por sondas que orbitaram a Lua.

A sonda da agência espacial do governo chinês foi a primeira a realizar o que podemos chamar de "um pouso de verdade" no lado oculto da Lua, já que a sonda Ranger 4 enviada pelos Estados Unidos em 1962, considerada a primeira nave humana a chegar lá, mais colidiu com a Lua do que pousou. O equipamento da AENC pousou no lado oculto no dia 3 de janeiro do ano passado e tem coletado dados desde então. As informações divulgadas no artigo mostram que a sonda encontrou sob a superfície um terreno poroso e granulado cravejado de rochas, o que é diferente do tipo de formação encontrada na superfície do "lado conhecido" e indica que o material provavelmente foi trazido a tona por algum impacto.

Esses dados divulgados na Science Advances foram coletados pelo Lunar Penetrating Radar (LNR), um dos vários equipamentos de experimento da Chang'e 4. Considerando as imagens de radar feitas pelo LNR em conjunto, os cientistas acreditam ter indicação de a área que está sendo explorada é um depósito de dejetos, ou seja, pedras de asteroides que assentaram no terreno depois de sucessivas colisões com a Lua, misturadas com grãos finos que foram se acumulando com o tempo.

Via: Gizmodo Fonte: Science Advances
User img

Vinícius Bressan

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.