Neurônios biológicos e artificiais conseguem se comunicar através da internet

Neurônios biológicos e artificiais conseguem se comunicar através da internet

Pesquisa pode ser usada para usar IA em partes disfuncionais do cérebro

Cientistas de universidades ao redor do mundo conseguiram criar com sucesso a primeira interação entre neurônios cerebrais artificiais e neurônios cerebrais biológicos. Ambos se comunicaram através da no experimento que colocou os neurônios para enviar, receber e interpretar mensagens.

Pesquisadores da Universidade de Pádua, na Itália, extraíram neurônios de ratos de laboratório. Ao mesmo tempo, pesquisadores da Universidade de Zurique e da ETH Zurique, na Suíça, criaram seus próprios neurônios artificiais em microchips de silício. Para ajudar, pesquisadores da Universidade de Southampton, na Inglaterra, usaram nanotecnologia de ponta para criar dispositivos que ligam os dois neurônios juntos chamados sinapses, ou mais precisamente, memristores.

22/01/2020 às 13:20
Notícia

Engenheiro cria super câmera que pode tirar fotos até de neur...

Dispositivo também consegue capturar imagem de objetos transparentes

Com a ajuda dessas três entidades, os cientistas de Southhampton conseguiram observar picos biológicos sendo enviados pela internet pelos neurônios biológicos vindos da Itália. Eles então repassaram esses picos para os memristores (sinapses criadas por eles) e os enviaram para os neurônios artificiais em Zurique. O processo foi um sucesso, já que as informações de Zurique também chegaram à Itália.

Ou seja, mensagens são enviadas para e pelos neurônios artificiais através dos mesristores, e os neurônios biológicos conseguem interpretá-las. Isso provar que as Universidades conseguiram fazer com que, pela primeira vez, neurônios artificiais e biológicos se comunicassem bidirecionalmente em tempo real.

"Um dos maiores desafios na realização de pesquisas desse tipo e nesse nível tem sido a integração de tecnologias de ponta distintas e conhecimentos especializados normalmente não é encontrado no mesmo centro de pesquisa. Ao criar um laboratório virtual, conseguimos isso", explicou Themis Prodromakis, professor de nanotecnologia e diretor do Centro de Fronteiras Eletrônicas da Universidade de Southampton.

Essa foi a primeira vez que neurônios biológicos e artificiais interligados se comunicam através de redes globais. A pesquisa significa um avanço para a internet no campo da neuroeletrônica. As pesquisas poderão ser usadas futuramente para substituição de partes disfuncionais do cérebro por chips de IA (Inteligência Artificial).

Fonte: Sciencedaily
User img

Mariela Cancelier

Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Intel se compromete a investir US$ 50 milhões para combater a Covid-19

Intel se compromete a investir US$ 50 milhões para combater a Covid-19

Empresa buscará acelerar pesquisas científicas e facilitar acesso de tecnologias a pacientes


Windows 10 roda com apenas 192MB de RAM em teste feito por adolescente

Windows 10 roda com apenas 192MB de RAM em teste feito por adolescente

Microsoft recomenda 1GB de memória RAM para a versão 32-bits


Samsung registra design de celular com tela curva

Samsung registra design de celular com tela curva

Patente foi publicada neste mês e recebeu renders não oficiais recentemente


Superlua Rosa vai poder ser vista de qualquer lugar do Brasil hoje

Superlua Rosa vai poder ser vista de qualquer lugar do Brasil hoje

O fenômeno desse ano será a maior Superlua de 2020


Huawei lança relógio inteligente Watch GT 2e com monitoramento avançado de saúde

Huawei lança relógio inteligente Watch GT 2e com monitoramento avançado de saúde

Vestível ainda tem 100 modos de treino, que vão de esportes tradicionais a exercícios modernos