Universidade cria gafanhoto ciborgue que identifica explosivos

Universidade cria gafanhoto ciborgue que identifica explosivos

Insetos levam consigo mini mochilas detectoras com sinal wireless

Estudantes da Universidade de Washington nos Estados Unidos criaram gafanhotos ciborgues que podem identificar explosivos. De acordo com a pesquisa, os alunos aproveitaram os sentidos olfativos do gafanhoto americano (Schistocerca americana, em nome científico) para aumentar suas capacidades perceptivas usando tecnologia. O projeto foi financiado pelo Escritório de Pesquisa Naval dos EUA e os pesquisadores acreditam que os gafanhotos poderiam ser usados ??para fins de segurança interna.

De acordo com a pesquisa, os neurônios receptores olfativos nos insetos (localizados em suas antenas) detectam odores químicos no ar, o que poderia aumentar exponencialmente com ajuda da ciência. Cada antena de gafanhoto possui aproximadamente 50.000 desses neurônios.

09/02/2020 às 14:21
Notícia

Cientistas criam papel de parede inteligente que deixa sinal ...

Tecnologia funciona ao refletir o sinal de internet, sem precisar de energia ou cabeamento

O processo começou com a equipe da Universidade injetando vapores de diferentes materiais explosivos em antenas de gafanhotos, incluindo vapores de trinitrotolueno (TNT) e seu precursor 2,4-dinitrotolueno (DNT). Como controle, eles usaram não explosivos. Ao implantar eletrodos nos lobos das antenas dos gafanhotos, os pesquisadores descobriram que diferentes grupos de neurônios foram ativados após a exposição aos explosivos. Eles analisaram os sinais elétricos e foram capazes de diferenciar os vapores explosivos dos não-explosivos.

Assim, os alunos deram mini mochilas para os insetos com sensores capazes de gravar e transmitir a atividade elétrica de suas antenas quase instantaneamente para um computador. As mini mochilas contam com tecnologia wireless, então o sinal não precisa de fios para chegar ao computador dos pesquisadores. Os gafanhotos continuaram detectando com sucesso explosivos até sete horas depois que os eletrodos foram implantados. Depois disso, os insetos morreram de exaustão.

Em um teste controlado, os gafanhotos foram capazes de detectar onde estava a maior concentração de explosivos. A equipe também testou o efeito de combinar informações sensoriais de vários gafanhotos e a atividade neural de sete gafanhotos produziu uma precisão média de detecção de 80%, em comparação com 60% de um único inseto.

Fonte: News Cientist
User img

Mariela Cancelier

Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Superlua Rosa vai poder ser vista de qualquer lugar do Brasil hoje

Superlua Rosa vai poder ser vista de qualquer lugar do Brasil hoje

O fenômeno desse ano será a maior Superlua de 2020


Supercomputador da IBM aponta 77 drogas que podem virar remédio contra o coronavírus

Supercomputador da IBM aponta 77 drogas que podem virar remédio contra o coronavírus

Summit ajuda cientistas a encontrarem uma resposta mais eficaz contra o COVID-19


Nvidia dá assinatura gratuita do Parabricks a pesquisadores do Covid-19

Nvidia dá assinatura gratuita do Parabricks a pesquisadores do Covid-19

Software de sequenciamento de genoma para GPUs acelera o processo para entender mais sobre o novo coronavírus