Boeing 777X, avião com melhor eficiência ne consumo de energia da empresa, faz seu voo inicial
Créditos: Boeing

Boeing 777X, avião com melhor eficiência ne consumo de energia da empresa, faz seu voo inicial

Ele também é o primeiro avião comercial com pontas de asas dobráveis

Depois de um adiamento por causa das condições climáticas na última sexta-feira, o Boeing 777X conclui com sucesso seu voo inicial no sábado, dia 25, e aterrissou em Paine Field após quatro horas sobre o estado de Washington. Modelo de próxima geração da família 777, o 777X é o primeiro avião comercial com pontas de asas dobráveis.

26/12/2019 às 07:17
Notícia

LATAM inova ao utilizar drones para inspeção de aeronaves

A iniciativa é resultado da parceria da empresa aérea com a Donecle, fabricante de drones para inspeção

Assim como o Boeing 787 Dreamliner, a aeronave é feita de materiais compósitos e tem janelas maiores e uma cabine de passageiros redesenhada. Capaz de transportar mais pessoas e voar mais longe do que os modelos 777 existentes, ele será o avião bimotor mais eficiente do mundo, de acordo com a Boeing.

As pontas de asas dobráveis ajudam a reduzir a envergadura da aeronave de 235 pés (pouco mais de 71m) para pouco menos de 213 pés (64,9m), deixando o 777X caber nas taxiways aeroportuárias existentes e nos portões de terminais onde os velhos 777 podem operar. A envergadura de 261 pés (80m) do Airbus A380 forçou os aeroportos a fazer modificações caras quando o avião de dois andares foi lançado em 2007, algo que a Boeing quer evitar.

Construído para o 777X, o GE9x é o maior motor a jato comercial já construído.

O voo bem-sucedido é uma notícia bem-vinda para a Boeing, que continua a enfrentar as consequências dos dois acidentes com seu 737 Max que mataram um total de 346 passageiros e tripulação em 2018 e 2019. Na última segunda-feira, a empresa anunciou que o Max permanecerá sem voar até pelo menos junho/julho deste ano.

Boeing 777X, avião com melhor eficiência ne consumo de energia da empresa, faz seu voo inicial

Projetado e construído para competir com o Airbus A350, o 777X terá dois modelos. O 777-8 acomodará cerca de 384 passageiros e terá um alcance de 8.730 milhas náuticas, enquanto o 777-9 acomodará cerca de 426 passageiros e terá um alcance de 7.285 milhas náuticas. 

A Boeing tirou o primeiro 777X de sua fábrica em Everett em março passado, mas logo encontrou problemas que atrasaram seu voo de teste. Em junho do mesmo ano, no Paris Air Show, a empresa disse que o desgaste excessivo dentro do motor General Electric GE9X do 777X estava atrasando sua aprovação. Construído para o 777X, o GE9x é o maior motor a jato comercial já construído e com ele a aeronave consumirá 10% menos combustível.

Em setembro de 2019, uma das aeronaves de teste foi despressurizada violentamente durante um teste da flexibilidade de suas asas (fotos publicadas pelo Seattle Times na época mostraram uma enorme ruptura na fuselagem). E há dois meses a empresa anunciou que abandonaria os planos de usar robôs para montar automaticamente o avião, entregando o trabalho de volta aos humanos.

A Boeing diz que o 777X pode começar a transportar passageiros já em 2021. Até agora a empresa tem pedidos de oito companhias aéreas, incluindo British Airways, Cathay Pacific, Emirates, Lufthansa e Singapore Airlines. Antes que ele possa começar a transportar passageiros, a Administração Federal de Aviação (FAA) e outros órgãos reguladores de aviação em todo o mundo precisarão certificar a aeronave, e suas pontas de asas dobráveis, como seguras. De acordo com um documento da FAA publicado em maio de 2018, a Boeing havia determinado que "um evento catastrófico" poderia ocorrer se as asas do avião não fossem adequadamente posicionadas e protegidas para decolagem e durante o voo.

Nesse documento, a FAA estabeleceu 10 condições que as pontas das asas devem atender antes que a agência certifique a aeronave. Estas condições incluem ter mais de um método para alertar a tripulação de voo de que as pontas das asas não estão devidamente posicionadas antes da decolagem, um mecanismo para evitar a decolagem se as pontas das asas não forem estendidas e outro mecanismo para evitar que as pontas das asas dobrem durante o voo.

Fonte: Boeing, CNet, Engadget, TweakTown
User img

Fabio Rosolen

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.