FBI precisou de quase dois meses para desbloquear um iPhone 11
Créditos: Twitter | iPlace Blog

FBI precisou de quase dois meses para desbloquear um iPhone 11

É o segundo aparelho desbloqueado legalmente, mas a Apple não está ajudando no processo

O FBI (Federal Bureau of Investigation) conseguiu desbloquear recentemente seu segundo iPhone 11 (tudo dentro da lei), mas demorou algum tempo para realizar esse feito  - quase dois meses.  O dono do dispositivo era Lev Parnas, que está sendo investigado por supostamente mobilizar dinheiro estrangeiro ilegalmente para as eleições dos Estados Unidos.

O telefone de Parnas, assim como outros documentos, foram "confiscados" pelo comitê da Câmara também responsável pela investigação do presidente Donald Trump. Segundo uma carta enviada ao juiz distrital dos EUA, o FBI continua tentando liberar outros dispositivos do investigado - não é claro se são outros iPhones ou não.

16/01/2020 às 19:37
Notícia

Em investigação, FBI desbloqueia iPhone 11 Pro Max sem auxíli...

Governo americano solicitou ajuda da empresa no passado, mas foi negada

"Primeiro, Parnas se recusou a fornecer a senha para seus dispositivos, o que obviamente é seu direito, mas exigia que o FBI passasse quase dois meses desbloqueando o iPhone 11." -  Carta do governo ao juiz distrital dos EUA, J. Paul Oetken.

Antes disso, o FBI havia desbloqueado outro iPhone 11 versão Pro Max usando o GrayKey, ferramenta desenvolvida pela Grayshift para hackear senhas de iPhones. A Apple não comentou oficialmente sobre os relatórios do FBI até o momento.

Em paralelo, o departamento de investigação dos EUA também pediu ajuda da Apple para ter acesso às informações de dois smartphones utilizados por atiradores que causaram um tiroteio em massa na Florida. Na teoria, esses iPhones seriam mais fáceis de "destrancar" por serem modelos mais antigos, mas a empresa se recusou a prestar auxílio.

27/12/2019 às 10:38
Notícia

iPhone XR foi o smartphone mais vendido no último trimestre d...

Samsung está logo atrás com Galaxy A10 e A50

A Apple justifica sua posição dizendo que qualquer "porta de entrada" oferecida às autoridades pode cair eventualmente na mão de hackers e deixar 1 bilhão de dispositivos iOS desprotegidos. Sobre a investigação dos atiradores, a companhia afirma que já entregou todas as evidências disponíveis até então.

O procurador-geral dos Estados Unidos acusou a Apple de não ajudar nas investigações. 

Via: wccftech
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Coronavírus pode atrasar o lançamento do próximo iPhone

Coronavírus pode atrasar o lançamento do próximo iPhone

Engenheiros da Apple não estariam na China para testar protótipos


Modem X60 5G da Qualcomm deve vir no iPhone 12 superando 7 Gbps de download

Modem X60 5G da Qualcomm deve vir no iPhone 12 superando 7 Gbps de download

Este é o primeiro chip 5G com mmWave e todo o espectro sub-6GHz, segundo a empresa


Novo padrão de Wi-Fi 802.11ay pode ser usado nos óculos Apple AR

Novo padrão de Wi-Fi 802.11ay pode ser usado nos óculos Apple AR

Especulações iniciais eram de que tecnologia estaria presente já no iPhone 12


iPhone XR foi o celular mais vendido no mundo em 2019, aponta pesquisa

iPhone XR foi o celular mais vendido no mundo em 2019, aponta pesquisa

Smartphone da Apple bateu dispositivos Android focados no custo-benefício


Apple consegue ordem de restrição contra stalker do CEO Tim Cook

Apple consegue ordem de restrição contra stalker do CEO Tim Cook

Tribunal Superior de Santa Clara concedeu a ordem de restrição em 13 de fevereiro