Microsoft está tentando resolver problema de alto consumo de RAM e bateria do Chrome
Créditos: Softonic

Microsoft está tentando resolver problema de alto consumo de RAM e bateria do Chrome

A preocupação da companhia pode ter bastante relação com o seu próprio navegador Edge

Ao que tudo indica, a Microsoft anda preocupada com o Google Chrome e alguns alguns de seus problemas. O browser da Google é atualmente o navegador mais utilizado do mundo, mas também é conhecido por consumir memória RAM e bateria de dispositivos Windows 10 bem rápido - e é aí que a gigante do software está mirando.

Em agosto do ano passado, a Microsoft descobriu uma maneira de impedir o uso de cache de disco quando os usuários assistem vídeos. Quando esse tipo de cache é utilizado em segundo plano, o disco rígido se mantém ativo - o que consome bateria. Se esse cache não é utilizado, pelo outro lado, o consumo de energia do Chrome é reduzido e, consequentemente, o de bateria também.

A companhia também estaria trabalhando em um recurso que verifica se o dispositivo está ativo através da bateria já carregada e não está conectado à energia CA (a que normalmente chega nas nossas casas). Dessa forma, essa ferramenta seria ativada apenas quando o aparelho "não estivesse na tomada".

"Como o objetivo é melhorar a vida útil da bateria, isso faz com que a mudança ocorra de maneira a não afetar os cenários quando o dispositivo estiver conectado à energia." - Commit da Microsoft sobre o recurso citado acima no Chromium Garret.

Além disso, um terceiro ajuste teria sido implementado e permite que o Chrome compare o tamanho do conteúdo de resposta HTTP (protocolo base de qualquer troca de dados na web). Com ele, um conteúdo maior que o tamanho máximo não seria armazenado em cache, mantendo o uso do disco rígido no mínimo.

15/01/2020 às 14:57
Notícia

Novo navegador Microsoft Edge baseado no Chromium já está dis...

Navegador está disponível para Windows 10, Windows 8.1, Windows 8, Windows 7, macOS, iOS e Android

Depois de tudo isso, um engenheiro do Google Chrome conhecido como Chrome Cunningham na plataforma Chromium revelou que o Google está interessado em testar esses novos recursos para ver como eles podem melhorar o consumo de bateria do Chrome.

Algo interessante que o Techradar menciona é que uma provável razão para a Microsoft estar preocupada com o Chrome (um pouco mais que a Google, pelo menos) é que a empresa lançou a nova versão do seu navegador Edge. Para quem não entendeu, a questão aqui é a seguinte: o Edge usa a mesma engine do Chrome - a Chromium. Então, melhorias podem beneficiar ambas as empresas.

Se o Google realmente adotar as descobertas da Microsoft, podemos ver alguns avanços em uma próxima versão do Chrome.

Via: TechRadar, Windows Latest
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

MediaTek anuncia SoC Helio P95 com tecnologias de IA e para games

MediaTek anuncia SoC Helio P95 com tecnologias de IA e para games

Sucessor do Helio P90, peça traz melhorias para GPU, câmera e conectividade


Xiaomi Watch Exclusive Edition começará a ser vendido por US$ 285

Xiaomi Watch Exclusive Edition começará a ser vendido por US$ 285

Produto é feito de materiais premium, incluindo vidro de safira sobre o seu display


Timex Ironman R300 GPS é um smartwatch com bateria que dura 25 dias

Timex Ironman R300 GPS é um smartwatch com bateria que dura 25 dias

Fabricante norte-americana está no mercado desde 1854 e agora lança seu primeiro relógio inteligente


Neurônios biológicos e artificiais conseguem se comunicar através da internet

Neurônios biológicos e artificiais conseguem se comunicar através da internet

Pesquisa pode ser usada para usar IA em partes disfuncionais do cérebro


Google solicita isenção ao governo dos EUA para trabalhar com Huawei

Google solicita isenção ao governo dos EUA para trabalhar com Huawei

Microsoft é uma das empresas que já recebeu autorização