Astrônomos descobrem duas super-Terras potencialmente habitáveis
Créditos: Robin Dienel/Carnegie Institution for Science

Astrônomos descobrem duas super-Terras potencialmente habitáveis

Novos planejas orbitando as anãs vermelhas GJ180 e GJ229A foram batizados como GJ180 d e GJ229A c

Astrônomos descobriram dois novos planetas potencialmente habitáveis, ou super-Terras, e um terceiro planeta similar a Netuno e extremamente frio. Os dois novos planetas potencialmente habitáveis orbitam as anãs vermelhas GJ229A e GJ180, que estão localizadas a 19 anos-luz e 39 anos-luz da Terra, respectivamente. 

07/01/2020 às 15:43
Notícia

Planeta descoberto pela Nasa tem o tamanho da Terra e está em...

Planeta foi encontrado através do satélite TESS e nomeado TOI 700 d

Anãs vermelhas, que compõem cerca de 70% da população estelar da Via Láctea, são significativamente menores e mais frias do que o nosso Sol. Por causa disso, as "zonas habitáveis" destas estrelas - onde a água líquida poderia ser estável na superfície de um mundo – são mais próximas delas do que em outros sistemas com estrelas como o nosso Sol.

Planetas orbitando anãs vermelhas em uma zona habitável são normalmente travados por maré – isto significa que eles sempre mostram a mesma “face” para a estrela. Por isso planetas orbitando este tipo de estrela podem ter um lado com o dia extremamente quente e o outro com uma noite extremamente fria, o que não é muito bom para habitabilidade (embora uma atmosfera espessa seja capaz de distribuir o calor globalmente e mitigar as temperaturas extremas).

No caso dos planejas orbitando as anãs vermelhas GJ180 e GJ229A, que foram batizados como GJ180 d e GJ229A c, eles estão localizados em um ponto onde podem evitar o travamento por maré, de acordo com os astrônomos que fizeram a descoberta. E isso também faz do GJ180 d um mundo recorde.

"O planeta GJ180 d é a super-Terra com clima temperado mais próxima do nosso mundo que não é travado pelas marés, o que provavelmente aumenta a sua probabilidade de ser capaz de abrigar e sustentar a vida", disse o líder da equipe Fabo Feng, do Carnegie Institution for Science, em Washington, DC, em um comunicado.

Astrônomos descobrem duas super-Terras potencialmente habitáveis

Como Feng disse, GJ180 d é uma super-Terra, um mundo ligeiramente maior do que o nosso; os pesquisadores disseram que a massa do recém-descoberto exoplaneta é pelo menos 7,5 vezes maior que a da Terra. O planeta GJ229A c também é uma super-Terra e sua massa é 7,9 maior que a do nosso mundo. 

O GJ180 d completa uma órbita a cada 106 dias terrestres e o GJ229A c faz o mesmo a cada 122 dias terrestres, de acordo com o estudo publicado na semana passada no The Astrophysical Journal Supplement Series.

O planeta GJ229A c reside em um sistema binário composto por uma anã vermelha e uma anã marrom (a GJ229B). As anãs marrons são maiores do que planetas gigantes gasosos, mas pequenas demais para sofrer reações de fusão em seu núcleo. Isso explica outro nome para elas: "estrelas fracassadas".

30/11/2019 às 13:02
Notícia

Cientistas descobrem buraco negro tão grande que “nem deveria...

O “monstro” tem massa aproximada 70 vezes maior que a do Sol

Como o nome do planeta GJ180 d indica, ele não é o único mundo conhecido em seu sistema. Os astrônomos tinham descoberto anteriormente dois outros planetas que orbitam essa anã vermelha, GJ180 b e GJ180 c.

Os astrônomos esperam aprender mais sobre as duas novas super-Terras potencialmente habitáveis em breve. A proximidade deles os tornam bons alvos de estudo por futuros instrumentos como o James Webb Space Telescope da NASA, que deve ser lançado em 2021.

Sobre o terceiro planeta descoberto e apelidado como “Netuno gelado”, ele foi batizado oficialmente como GJ433 d e não é um bom candidato para abrigar e sustentar vida. Ele é interessante para os astrônomos por outros motivos. Este planeta tem massa pelo menos 4,9 vezes maior que a da Terra e orbita uma anã vermelha localizada a 29,5 anos-luz do nosso planeta.

"GJ 433 d é o planeta similar a Netuno mais próximo, maior e mais frio já detectado", disse Feng. O planeta também é um bom candidato para futuros estudos, incluindo a captura de imagens diretas.

Continua após a publicidade


Os astrônomos fizeram as novas descobertas depois de reanalisar os dados coletados pelo instrumento Ultraviolet and Visual Echelle Spectrograph (UVES) do European Southern Observatory (ESO) durante a análise de 33 anãs vermelhas próximas entre 2000 a 2007.

A equipe complementou os dados da UVES com medições feitas por três outros instrumentos: o Carnegie Planet Finder Spectrograph (PFS) no observatório Las Campanas no Chile, o High Accuracy Radial velocity Planet Searcher (HARPS) no observatório La Silla também no Chile e o High Resolution Echelle Spectrometer (HIRES) no observatório Keck localizado no Havaí.
 

Fonte: TweakTown, Space
User img

Fabio Rosolen

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.