Brasil não descarta negociar com Huawei para rede 5G, mesmo com pressão dos EUA
Créditos: conexaopolitica

Brasil não descarta negociar com Huawei para rede 5G, mesmo com pressão dos EUA

Segundo o ministro Marcos Pontes, empresa chinesa não será descartada do leilão para 5G

Marcos Pontes - atual Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação -, anunciou que o Brasil não irá ceder a pressões do governo dos EUA para o leilão da 5G no país. A principal preocupação é restringir a participação da empresa chinesa Huawei, que é uma das principais na disputa pela implementação da tecnologia no mundo. Segundo Pontes, a escolhida para começar a introduzir a tecnologia para o mercado brasileiro será a mais qualificada. 

Os EUA estão em disputa comercial com a Huawei desde maio de 2019. O país americano decidiu impedir que as empresas fizessem qualquer tipo de transação comercial com a chinesa, rompendo assim parcerias importantes para uma das maiores fabricantes de smartphones do mundo. Para entender melhor sobre essa polêmica, veja o vídeo abaixo.

Com a aliança que o atual governo brasileiro está firmando com os EUA, uma preocupação era que a restrição com a empresa Huawei também fosse aplicada para o Brasil. Isso poderia resultar em um atraso ainda maior para a implementação do 5G, que já tem alguns problemas para implementação no país. O ministro afirmou que "Um bom parceiro sempre entende as necessidades do outro" e que, portanto, a Huawei poderá entrar na disputa.

5G faz mal a saúde? Conversamos
com o deputado que quer proibir a tecnologia

Pontes ainda fala que "Da mesma forma que o Brasil não fez pleito aos EUA sobre quais negócios fazer com a China, e como isso afeta ou não nossa agricultura". Ainda há algumas dificuldades para a implementação do 5G em solo brasileiro. Um dos principais fatores é a tecnologia afetar o sinal das antenas parabólicas, o que poderia resultar em problemas para a transmissão de sinais de TV.

27/06/2019 às 15:02
Notícia

Vimos de perto o 5G da Tim em ação

Velocidades chegam na casa dos 1Gbps nos experimentos da empresa

Para resolver essa situação, algumas alternativas estão sendo estudadas. Uma das possibilidades é adicionar filtros nas próprias antenas parabólicas, para que o sinal de 5G não afetasse na transmissão da TV. Outra resolução que está sendo cogitada é alterar a frequência de transmissão de televisão, que é usada para distribuir o sinal pelos fornecedores. 

O atraso da implementação da tecnologia no Brasil se deve principalmente a solucionar esse problema, antes de começar a distribuir o sinal no país. Outro fator que está atrasando a 5G brasileira é o fato da Anatel, agência responsável por regulamentar o setor de telecomunicações, ter demorado para publicar o aviso oficial, que anuncia o leilão para as empresas começarem a disputa pelo mercado.

Continua após a publicidade

Era previsto que em 2020 as operações começassem a ser feitas no Brasil, mas devido a esses fatores, pode ser que ainda leve mais um ano. Sendo assim, a 5G seria realidade para os aparelhos brasileiros apenas em 2021. O ministro afirma que esse período de atraso pode ser positivo, assim seria possível analisar e aprender com os erros dos países que já estão utilizando a tecnologia.

Via: Bloomberg
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.