E-commerce: aumento de devoluções grátis contribui bastante para o aquecimento global
Créditos: 4oito | Encontro Essencial

E-commerce: aumento de devoluções grátis contribui bastante para o aquecimento global

O maior fluxo de devoluções será no dia 2 de janeiro, que foi chamado de "Dia Nacional do Retorno"

Estamos na época de feriados, a Black Friday aconteceu há pouco tempo e muita gente aproveitou para fazer suas compras online. Consequentemente, esse período do ano também traz um aumento significativo de devoluções de produtos e, nesse vai e vem, quem sofre é o meio-ambiente. 

Como menciona o The Verge, cerca de 1 milhão de pacotes de devolução são retirados diariamente apenas da UPS (empresa conhecida por seus serviços de entrega) durante o mês de dezembro. Cada produto precisa, logicamente, ser transportado de alguma forma até um determinado local, o que contribui em escala notável para a poluição do ar, aquecimento global, etc.

Além disso, Sharon Cullinane, professora da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, diz que há picos no fluxo de devoluções após a Black Friday e o Natal - e isso é em parte por causa do comércio eletrônico. De acordo com a Federação Nacional de Varejo, o e-commerce  tem uma taxa de retornos  20 a 30% mais alta que outros tipos de processo de compra. 

“As pessoas precisam estar cientes de que há consequências ambientais ao devolver seus produtos. Eles não simplesmente desaparecem. ” - Sharon Cullinane, professora da Universidade de Gotemburgo, na Suécia.

De acordo com pesquisas realizadas pela Optoro, empresa que ajuda varejistas a otimizar seus processos de devolução, transportar os estoques devolvidos nos Estados Unidos resulta em mais de 15 milhões de toneladas de dióxido de carbono anualmente. Para comparar, isso é mais do que 3 milhões de carros conseguem produzir em um ano.

Além disso, há, claro, o lixo. Mesmo que metade dos retornos volte para as lojas, cerca de 5 bilhões de libras em mercadorias devolvidas acabam nos aterros, junto com resíduos de embalagens.

27/11/2019 às 11:00
Notícia

Black Friday: Salesforce indica que 80% dos brasileiros plane...

Tendência deve se repetir no Natal deste ano

Continua após a publicidade

 "Se você está comprando uma camiseta ou algo assim e custa apenas alguns dólares, pode entender que a empresa não pode fazer nada além de jogá-la no aterro." - Sharon Cullinane, professora da Universidade de Gotemburgo, na Suécia.

O maior fluxo de devoluções ainda vai acontecer e está "marcado" para o dia 2 de janeiro, quando os trabalhadores voltam a sua rotina normal. A UPS espera lidar com quase 2 milhões de pacotes  - 25% a mais do que em 2018-2019 - e apelidou esse dia de  "Dia Nacional do Retorno".

Então, o e-commerce é totalmente do mal? Calma...

Os consumidores estão cada vez mais preocupados com os efeitos das suas compras para o planeta

Enquanto os consumidores se conscientizam cada vez mais sobre as consequências ambientais das suas compras, as empresas de e-commerce também estão tomando providências aos poucos. A Amazon, por exemplo, anunciou em setembro que encomendaria 100.000 vans de entrega elétrica. 

Além disso, grupos como o Fundo de Defesa Ambiental também estão pressionando as empresas a usar veículos elétricos, principalmente nos trechos entre armazéns e a casa dos consumidores.

Via: The Verge
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.