CEO da Boeing renuncia após incidentes com 737 MAX
Créditos: Flickr

CEO da Boeing renuncia após incidentes com 737 MAX

Dennis Muilenburg foi afastado pelo conselho de diretores numa tentativa de restaurar confiança na firma

O CEO da companhia de aviação BoeingDennis Muilenburg, renunciou ao seu cargo após a crise causada pelos dois incidentes com os aviões 737 MAX. Ele será substituído pelo empresário Dave L. Calhoun, que estava atuando como presidente do conselho de diretores da firma e possui grande respeito dentro da indústria.

17/05/2019 às 17:20
Notícia

Boeing conclui atualização de software para aviões 737 Max - ...

A FAA deu aprovação provisória em março, mas software ainda precisa passar pelo seu teste

As ações da Boeing caíram em 20% nos últimos nove meses enquanto a empresa enfrentou grandes dificuldades para gerenciar a sua crise. De acordo com o site WCCF Tech, analistas comentam que a firma demorou para afastar Muilenburg, que era o CEO desde 2015. Ele começou na firma em 1985 como um estagiário e foi subindo na firma até a posição de diretor-executivo.

Só que o ex-CEO da Boeing não foi capaz de lidar de maneira satisfatória com a pressão da concorrente Airbus. Cerca de 10 anos atrás, a fabricante francesa lançou uma nova opção de motor para o A320.


Dennis Muilenburg não resistiu à pressão de dois incidentes fatais com Boeing 737 MAX (Fonte: Wikimedia Commons)

A aeronave passou a bater o 737 em consumo de gasolina, o que resultou em grande economia para as empresas. O 737 MAX era uma maneira de combater o A320, mas que acabou falhando por falhas graves em seu design.

O primeiro incidente aconteceu em outubro de 2018, com o voo 610 da Lion Air Flight na Indonésia. Todos os 189 ocupantes da aeronave faleceram depois que o avião mergulhou violentamente em direção ao mar apenas 13 minutos após a decolagem.

Fonte: Flickr

Continua após a publicidade

A mesma aeronave já tinha sofrido problemas com os seus sensores de ângulo de ataque (AoA) em voos anteriores. Em sua penúltima viagem, aquele 737 MAX específico tinha sofrido com séria turbulência e um cheiro de borracha queimada dentro da cabine. Num ponto da viagem, ela chegou a cair mais de 61 metros sozinha em alguns segundos.

O segundo voo a sofrer com as falhas de design do 737 MAX foi o 302 da Ethiopian Airlines. Ocorrido no dia 10 de março de 2019, ele foi responsável pela morte de 157 pessoas apenas seis minutos após a decolagem. A mesma queda brusca com o nariz da aeronave apontada para baixo foi detectada na análise dos destroços.

Após o segundo incidente, as autoridades começaram a impedir que as companhias aéreas usassem o Boeing 737 MAX em voos. O avião terá sua produção totalmente descontinuada em janeiro de 2020.

Via: WCCF Tech
User img

Carlos Felipe

Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou parao PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Conheça o Luna! O novo serviço de STREAMING de JOGOS da Amazon

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.