Spotify cria campanha no metrô de SP que relembra a década

Spotify cria campanha no metrô de SP que relembra a década

"Da luz ao Morumbi - uma viagem no tempo" é uma experiência real do Spotify Wrapped

O Wrapped 2019 não bastou para relembrar as músicas da década e se despedir desse período. O Spotify lançou a campanha "Da Luz ao Morumbi - uma viagem no tempo", cujo título se refere aos terminais. Para a campanha, todas as estações da Linha 4 Amarela foram decoradas com trechos e títulos de músicas e artistas que se destacaram entre 2010 e 2019.

Cada estação representa um ano da década, e nas plataformas os transeuntes podem pegar como recordação pôsteres com dados sobre as streams das músicas e artistas relacionados a aquele ano. Butantã, Pinheiros e Higienópolis-Mackenzie foram decoradas com referências como "Yukê", simbolizando a cantora Pabllo Vittar, "Cebruthius", termo que se popularizou com a música de MC Loma e "Ai Se Eu Te Pego", título e refrão do sucesso de Michel Teló

A estratégia faz parte de uma campanha global do Spotify. A foto abaixo é de uma estação de metrô em Nova Iorque. A adaptação brasileira foi realizada com auxílio da agência de publicidade CuboCC. Sobre as campanhas,  líder global de marketing de consumidor e produto do Spotify, June Sauvaget, declarou que "o Spotify transformou a forma como as pessoas encontram e desfrutam de música e podcasts, dando a elas em todo o mundo um acesso fácil ao conteúdo que não conseguem".

Fonte: CanalTech

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Mercado de música dos EUA agora é 80% streaming, tendo saltado de 7% em 2010

Mercado de música dos EUA agora é 80% streaming, tendo saltado de 7% em 2010

Venda de mídias físicas, que ainda era maior parte em 2010, agora soma apenas 9%


Spotify vai parar de exibir propagandas políticas em 2020

Spotify vai parar de exibir propagandas políticas em 2020

Decisão serve para um futuro a curto prazo, mas companhia não sabe quando voltará a veicular tais comerciais