Startup Unicorn declara falência, não entrega as scooters e não reembolsa clientes
Créditos: Unicorn

Startup Unicorn declara falência, não entrega as scooters e não reembolsa clientes

A empresa investiu o seu orçamento em marketing em anúncios do Facebook e Google

A startup Unicorn, que oferecia patinetes elétricos, ou e-scooters, declarou falência. A empresa ainda não tinha concluído o processo de fabricação de suas e-scooters, e enviou um e-mail para os compradores afirmando que eles não irão receber os produtos encomendados e também não terão estorno do dinheiro.

Site oficial da Unicorn

16/02/2019 às 18:00
Artigo

Patinetes e bicicletas compartilhadas no Brasil, solução ou p...

Entenda como funciona e o que pode mudar com a chegada dessa inovação

A empresa foi fundada há seis meses e tinha como CEO Nick Evans, ele é co-criador do rastreador de gadgets Tile. Evans disse que a Unicorn "falhou totalmente como empresa" e ainda fez os primeiros clientes pagarem pelo fracasso. "Acho chocante que alguém como Nick Evans, que tenha reconhecimento de nome e influência na comunidade tecnológica devido a Tile, operaria de maneira tão fraudulenta", escreveu o cliente Matt Furhma, que encomendou duas scooters e teve o prejuízo de US$998.

O principal motivo pelo encerramento das atividades é pela má administração dos recursos. A empresa diz que investiu muito dinheiro em marketing, em anúncios pagos no Facebook e Google. A esperança era conseguir atrair mais clientes, mas apenas 350 unidades de scooters foram vendidas. Isso fez com que não sobrasse o valor necessário para o pagamento final dos produtos, e também não tivesse o suficiente para devolver aos compradores. Cada um dos patinetes custava US$499.

"Poderíamos ter continuado a avançar e receber mais pedidos, e isso continuaria financiando os negócios, e se o fizéssemos, poderíamos entregar o produto, mas também poderíamos não conseguir vender Unicórnios suficientes, fazendo isso estaríamos arriscando mais pedidos das pessoas. Por isso, tomamos a decisão muito, muito difícil de parar." - Nick Evans, CEO da Unicorn

Em meio a uma onda de startups oferecendo scooters elétricas, o maior diferencial da Unicorn era seu design totalmente branco e dobrável. Ele também devia ser equipado com alguns adicionais como sinos, GPS, sincronização com o Tile, travamento automático, reconhecimento de usuários, etc. Para ver o seu design e funcionalidades, veja o vídeo promocional abaixo:

Alguns dos clientes se manifestaram, enviando a sua insatisfação com o serviço. "Estou chateada porque ele basicamente roubou todos os seus clientes e está fechando sem entregar nenhuma scooter. Este foi o presente de Natal para minhas filhas e agora não posso lhe dar nenhum presente.", foi o que escreveu Rebecca Buchholtz em um e-mail para The Verge, que também teve quase mil dólares de prejuízo.

Via: The Verge
User img

Ana Luiza Pedroso

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Nova funcionalidade permite que drones façam missões de reconhecimento autônomas

Nova funcionalidade permite que drones façam missões de reconhecimento autônomas

A configuração Scoutonomy permite que os drones da Exyn operem sem comunicação com piloto ou GPS


Xiaomi Mi 10 e Mi 10 Pro anunciados com câmera de 108MP, tela 90Hz e Snapdragon 865

Xiaomi Mi 10 e Mi 10 Pro anunciados com câmera de 108MP, tela 90Hz e Snapdragon 865

O Mi 10 Pro é atualmente o melhor smartphones para fotos do mundo


Motorola Razr terá a opção de cor dourada em breve

Motorola Razr terá a opção de cor dourada em breve

Até o momento o smartphone está disponível apenas na opção preta


Samsung pode ter revelado oficialmente o design do Galaxy Z Flip

Samsung pode ter revelado oficialmente o design do Galaxy Z Flip

A coreana divulgou uma propaganda no intervalo do Oscar com o smartphone dobrável


Huawei estuda construir base de produção 5G na Europa

Huawei estuda construir base de produção 5G na Europa

De acordo com representante da empresa na UE, o processo já está em andamento