Ericsson pagará mais de US$ 1 bilhão para resolver caso de corrupção nos EUA
Créditos: Ericsson

Ericsson pagará mais de US$ 1 bilhão para resolver caso de corrupção nos EUA

Os crimes de suborno e corrupção ocorreram em países como China e Vietnã

A Ericsson já foi bastante popular no início da telefonia móvel com seus aparelhos. No início dos anos 2000, os aparelhos produzidos em parceria com a Sony também foram bastante populares, como a linha Sony Ericsson Walkman. Hoje a empresa é focada em equipamentos e serviços de telecomunicações móveis atendendo diversos segmentos do mercado como empresas, indústrias e governos.

A empresa voltou a ser foco dos holofotes nesta semana, sobre uma investigação conduzida pelo Departamento de Justiça dos EUA, no qual a Ericsson é acusada de corrupção e suborno de funcionários do governo, ocorridos durante vários anos em países como China, Vietnã e Djibuti.

No total a Ericsson deverá pagar mais de US$ 1 bilhão por conta dos casos de corrupção e suborno. Dentro deste valor, US$ 520 milhões por conta de penalidade criminal, mais US$ 540 milhões deverão ser pagos à Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA por uma questão associada.

A empresa admitiu ter conspirado com outras pessoas para violar a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (Foreign Corrupt Practices Act - FCPA) entre os anos de 2000 a 2016, participando de um esquema para pagar subornos, falsificar livros e registros e não implementar controles contábeis internos sensatos, segundo o Departamento de Justiça dos EUA através de um comunicado oficial.

"Certos funcionários em alguns mercados, alguns dos quais executivos, agiram de má fé e conscientemente falharam na implementação de controles suficientes. Eu vejo o que aconteceu como um capítulo completamente inaceitável e extremamente perturbador da nossa história" - Borje Ekholm, CEO da Ericsson.

 

A Ericsson utilizou de terceiros para pagar propinas à funcionários do governo afim de garantir os negócios. Os consultores foram contratados para criar fundos escassos e transferir dinheiro para terceiros, de acordo com uma das queixas. Uma das subsidiárias da empresa, a Ericsson Egypt Ltd, se declarou culpada no distrito sul de Nova York por uma acusação de conspiração para violar as disposições antissuborno da FCPA.

Declarar-se culpado pode trazer graves sanções adicionais, como a revogação de licenças. Entretanto a Ericsson poderá negociar isenções e continuar operando.

"Por meio de fundos escassos, subornos, presentes e enxertos, a Ericsson conduziu negócios de telecomunicações com o princípio norteador 'dinheiro manda'", afirmou em um comunicado o procurador dos EUA Geoffrey Berman, do Distrito Sul de Nova York.

A Ericsson comunicou que revisou seu programa anticorrupção e tomou medidas para melhorar sua ética e conformidade. Ele disse anteriormente que estava cooperando com as autoridades dos EUA e que faria uma provisão de US$ 1,2 bilhão em relação às investigações. "Embora o valor da liquidação hoje seja significativo, posso confirmar que seremos capazes de gerenciar a saída de caixa associada com os fundos disponíveis", disse o diretor financeiro da Ericsson, Carl Mellander.

Fonte: Reuters
User img

Jean Oliveira

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.