Qualcomm vai permitir a leitura de duas digitais simultaneamente em scanners sob o display
Créditos: Jason Cipriani/CNET

Qualcomm vai permitir a leitura de duas digitais simultaneamente em scanners sob o display

Empresa promete que a próxima geração terá leitura mais rápida e segura

A Qualcomm está realizando o seu evento no Havaí para demonstrar as novidades que os seus próximos processadores Snapdragon. Os chips vão ser responsáveis por possibilitar uma série de inovações nos smartphones de próxima geração. Uma das novidades anunciadas pela empresa foi a atualização do sistema de leitura de impressões digitais Ultrassônica diretamente no display dos aparelhos. O nome da tecnologia foi alterado, agora está sendo chamada de Qualcomm’s 3D Sonic Max fingerprint sensor e traz uma área maior e a possibilidade de leitura de mais de uma digital por vez.

04/12/2019 às 17:01
Notícia

Qualcomm apresenta chips Snapdragon 865, 765 e 765G até 2x ma...

O novo SoC premium da empresa conta com a plataforma 5G mais avançada do mundo

A leitura de impressões digitais diretamente no display dos aparelhos não é novidade. A tecnologia já apareceu em diversos smartphones ao longo de 2019, mas ainda é algo mais comum em aparelhos topo de linha. Apesar do processo de reconhecimento da digital na tela ser rápido, a velocidade nem se compara com um leitor na parte traseira. Há um pequeno delay e, por vezes, é difícil localizar a área exata onde o sensor está, o que dificulta ainda mais o uso da tecnologia. 

Por esse motivo, muitos jornalistas especializados em reviews de smartphones reclamaram desse tempo de resposta em suas análises. Um dos exemplos é o OnePlus 7, que aderiu a tecnologia de leitor de digitais no display e que decepcionou muitas pessoas, inclusive nós, em nossa análise. Para conferir as nossas impressões com o uso diário desse scanner, veja o vídeo abaixo:

Durante o evento, a Qualcomm diz que corrigiu as falhas e trabalhou para melhorar a tecnologia em seus novos SoCs. O novo 3D Sonic Max tem uma área maior dos scanners apresentados até agora, medindo 20mm por 30mm. Em grau de comparação, a área dos leitores dos smartphones Galaxy S10 e na Note 10 é de 4mm por 9mm. Isso significa que a área de reconhecimento de impressões digitais do 3D Sonic Max é 17 vezes maior.

O que essa área maior traz de benefícios direto é que a margem de erro será muito menor. Isso porque o usuário não vai precisar acertar exatamente um pequeno local onde o sensor está instalado sob a tela. Outra novidade é a possibilidade de leitura de mais de um dedo por vez. Se os smartphones conseguirem ler duas digitais combinadas, isso significa que o sistema de bloqueio pode ser ainda mais seguro e evitar fraudes.

Esse maior tamanho também possibilita uma leitura ampliada da impressão digital, o que vai permitir o reconhecimento mais rápido do dedo. "A falsificação se torna muito mais difícil. A segurança aumenta. A facilidade de uso aumenta.", disse o vice presidente sênior e gerente de dispositivos mobile da Qualcomm, Alex Katouzian.

Continua após a publicidade

Essa tecnologia deve chegar aos smartphones de 2020 que vão ser equipados com os SoCs Snapdragon 865, 765 e 765G, que prometem ser até duas vezes mais potentes do que o Snapdragon 855. 

Via: CNET
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.