Austrália começa a usar câmeras com Inteligência Artificial para pegar motoristas no celular
Créditos: Medium

Austrália começa a usar câmeras com Inteligência Artificial para pegar motoristas no celular

País é o primeiro do mundo a implementar tecnologia em todo um estado

O estado de New South Wales, na Austrália, começou a usar um sistema de câmeras com inteligência artificial (IA) para flagrar automaticamente motoristas que estejam usando o celular enquanto dirigem. O sistema fez sua estreia oficial no dia 1º de dezembro, marcando a primeira vez no mundo em que um serviço do tipo é usado nessa escala.

O sistema, na verdade, não vai detectar o uso do smartphone em tempo real. As câmeras tiram fotos de todos os veículos que passam por elas, usando a IA depois para analisar cada imagem. Se o programa detectar, automaticamente, que o motorista estava no celular enquanto dirige, a imagem vai ser encaminhada para um funcionário. Existe então, uma avaliação humana antes da penalidade ser aplicada. 

01/11/2019 às 13:27
Notícia

Celular e direção é a terceira maior causa de acidentes fatai...

Mesmo sendo uma infração gravíssima, 20% dos brasileiros usam o seu smartphone no trânsito

A penalidade em questão, por enquanto, serão apenas avisos. Nos três primeiros meses do serviço de detecção por câmeras com inteligência artificial os motoristas serão apenas notificados que foram flagrados, sem precisar pagar uma multa. Depois desse período, serão aplicadas multas que podem ir de US$ 344 a US$ 457 se for uma área escolar. A Austrália também trabalha com sistema de pontos na carteira, e a infração vai custar cinco deles para quem for pego.

A presença das câmeras não será sinalizada. Segundo Andrew Constance, ministro de rodovias do estado: "Nós temos que, infelizmente, contar com o elemento surpresa para fazer as pessoas pensarem 'bom, eu posso ser pego a qualquer momento'. Eu quero que o comportamento mude e eu quero que ele mude imediatamente."

Uma reversão no ônus da prova

Claro que o novo serviço não vai ser implementado sem críticas. A principal delas é que o sistema não é capaz de detectar, categoricamente, se o objeto na mão do motorista é um celular ou outra coisa. Se o funcionário que verifica depois também não tiver certeza, vai caber ao motorista recorrer da multa e provar que não estava usando o celular ao volante. Isso inverte um princípio básico do direito democrático moderno, em que a parte acusatória tem que oferecer provas contra o acusado primeiro, não o contrário.

Michael Mantaj, da Sociedade para a Lei do estado de New South Wales declarou num comitê a respeito do assunto que:

"Isso promove uma aceitação da preposição de que é correto criar presunções fundamentalmente injusta e fictícias para tornar mais fácil processar uma violação.
A presunção da culpa pode desgastar a confiança do público no uso de câmeras como um jeito de reforçar as leis de trânsito porque vai alimentar o já existente cinismo em algumas partes da comunidade, de que as câmeras serão mais usadas para conseguir renda do que para a segurança do público.
"

Continua após a publicidade
Fonte: Mashable
User img

João Gabriel Nogueira

João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline e o Mundo Conectado, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Testamos o ROG Phone 3!

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.