Cientistas instalam alto-falantes no fundo do mar para repopular recifes danificados
Créditos: Harry Harding/University of Bristol

Cientistas instalam alto-falantes no fundo do mar para repopular recifes danificados

A pesquisa mostrou que os sons saudáveis podem atrair peixes jovens

Os grandes recifes de corais são uma das paisagens que mais sofrem com o aquecimento das águas. Para diminuir esse impacto, cientistas da Universidade de Exeter no Reino Unido e parceiros, começaram a desenvolver pesquisas com alto-falantes subaquáticos na Austrália, para restabelecer o ambiente sonoro marinho saudável. Segundo os cientistas, isso vai fazer com que peixes mais jovens façam a sua mudança para os corais danificados, repopulando a área e recuperando os danos aos poucos.

Publicação oficial sobre o estudo - Universidade de Exeter
Estudo publicado em Nature Communications

18/11/2019 às 19:00
Notícia

Cientistas planejam utilizar montanhas para gerar eletricidade

Fluxo de ar e sistema de pressão garantem o funcionamento da tecnologia desenvolvida

A Grande Barreira de Corais da Austrália já apresenta grandes impactos devido a poluição e aquecimento das águas, além da pesca excessiva. Para tentar encontrar uma solução para esse problema, a Universidade de Exeter se juntou com a Universidade de Bristol, com a James Cook University da Austrália e também com o Instituto Australiano de Ciência Marinha.

As pesquisas realizadas na área mostraram que o silêncio dos recifes de coral danificados não são muito atraentes para os peixes, o que está auxiliando para que eles fiquem afastados e não repopulem a área. Como sem animais não há sons, os cientistas tentaram apostar em uma solução artificial. Os cientistas instalaram alto-falantes subaquáticos, que reproduzem sons captados em recifes saudáveis. 

Os primeiros testes realizados pelos cientistas ocorreram conforme o planejado. Já pode se observar a migração de peixes jovens para os lugares onde os corais estão mais danificados, que era o principal objetivo dos alto-falantes. Isso demonstra que o experimento está dando certo.

Continua após a publicidade

O estudo está acontecendo há seis semanas, os pesquisadores ainda estão avaliando a funcionalidade do projeto a longo prazo. De qualquer forma, essa linha de estudo pode ser útil para outros cientistas ao redor do mundo que testam outras soluções para a reconstrução de uma vida marinha saudável. Para acessar a pesquisa completa, acesse este link.

Via: CNET Fonte: University of Exeter, Nature Communications
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.