Cientistas instalam alto-falantes no fundo do mar para repopular recifes danificados
Créditos: Harry Harding/University of Bristol

Cientistas instalam alto-falantes no fundo do mar para repopular recifes danificados

A pesquisa mostrou que os sons saudáveis podem atrair peixes jovens

Os grandes recifes de corais são uma das paisagens que mais sofrem com o aquecimento das águas. Para diminuir esse impacto, cientistas da Universidade de Exeter no Reino Unido e parceiros, começaram a desenvolver pesquisas com alto-falantes subaquáticos na Austrália, para restabelecer o ambiente sonoro marinho saudável. Segundo os cientistas, isso vai fazer com que peixes mais jovens façam a sua mudança para os corais danificados, repopulando a área e recuperando os danos aos poucos.

Publicação oficial sobre o estudo - Universidade de Exeter
Estudo publicado em Nature Communications

18/11/2019 às 19:00
Notícia

Cientistas planejam utilizar montanhas para gerar eletricidade

Fluxo de ar e sistema de pressão garantem o funcionamento da tecnologia desenvolvida

A Grande Barreira de Corais da Austrália já apresenta grandes impactos devido a poluição e aquecimento das águas, além da pesca excessiva. Para tentar encontrar uma solução para esse problema, a Universidade de Exeter se juntou com a Universidade de Bristol, com a James Cook University da Austrália e também com o Instituto Australiano de Ciência Marinha.

As pesquisas realizadas na área mostraram que o silêncio dos recifes de coral danificados não são muito atraentes para os peixes, o que está auxiliando para que eles fiquem afastados e não repopulem a área. Como sem animais não há sons, os cientistas tentaram apostar em uma solução artificial. Os cientistas instalaram alto-falantes subaquáticos, que reproduzem sons captados em recifes saudáveis. 

“Os recifes de coral saudáveis são lugares notavelmente barulhentos - o estalo de camarões quebrados e os gritos e grunhidos de peixe se combinam para formar uma deslumbrante paisagem sonora biológica. Os peixes juvenis percebem esses sons quando procuram um lugar para se instalar ” - Steve Simpson, Professor da Universidade de Exeter e autor do projeto

Os primeiros testes realizados pelos cientistas ocorreram conforme o planejado. Já pode se observar a migração de peixes jovens para os lugares onde os corais estão mais danificados, que era o principal objetivo dos alto-falantes. Isso demonstra que o experimento está dando certo.

"O estudo constatou que a transmissão de sons saudáveis de recifes dobrou o número total de peixes que chegam a áreas experimentais de habitat de recifes, além de aumentar o número de espécies presentes em 50%" - Comunicado oficial da Universidade de Exeter

O estudo está acontecendo há seis semanas, os pesquisadores ainda estão avaliando a funcionalidade do projeto a longo prazo. De qualquer forma, essa linha de estudo pode ser útil para outros cientistas ao redor do mundo que testam outras soluções para a reconstrução de uma vida marinha saudável. Para acessar a pesquisa completa, acesse este link.

Via: CNET Fonte: University of Exeter, Nature Communications
User img

Ana Luiza Pedroso

Tesla patenteia limpador de para-brisa laser para seus carros

Tesla patenteia limpador de para-brisa laser para seus carros

Tecnologia também pode ser utilizada em painéis solares


Samsung Galaxy S11 terá câmera de 108MP, indica rumor

Samsung Galaxy S11 terá câmera de 108MP, indica rumor

Vazamento também menciona teleobjetiva com zoom de 5x


Dispositivos com chips de 3nm fabricados pela TSMC devem chegar no final de 2022

Dispositivos com chips de 3nm fabricados pela TSMC devem chegar no final de 2022

Segundo a empresa, os novos chips estarão prontos um ano antes do esperado


Evento DroneShow abre inscrições para projetos serem divulgados na feira em 2020

Evento DroneShow abre inscrições para projetos serem divulgados na feira em 2020

Reunião anual realiza mostra de trabalhos com drones, realidade virtual e inteligência artificial


Presente de Natal? Asteroide gigantesco passará perto da Terra dia 26 de dezembro

Presente de Natal? Asteroide gigantesco passará perto da Terra dia 26 de dezembro

Chamado de 2000 CH59, o corpo celeste é maior que o Empire State Building