Cientistas descobrem buraco negro tão grande que “nem deveria existir” na Via Láctea
Créditos: Getty Images

Cientistas descobrem buraco negro tão grande que “nem deveria existir” na Via Láctea

O “monstro” tem massa aproximada 70 vezes maior que a do Sol

Uma nova descoberta feita por cientistas chineses tem intrigado especialistas. Foi encontrado no outro lado da nossa galáxia um buraco negro monstruoso – tão grande que, teoricamente, "nem deveria existir".

Chamado de LB-1, esse buraco negro fica a 15.000 anos-luz da Terra e tem uma massa 70 vezes maior que o Sol, segundo estudo publicado na revista Nature. Estima-se que a Via Láctea contenha 100 milhões de buracos negros estelares, mas o novo “monstro” descoberto é duas vezes maior do que qualquer coisa que os cientistas acreditavam ser possível, disse Liu Jifeng, professor do Observatório Astronômico Nacional da China, que liderou a pesquisa.

"Buracos negros dessa massa nem deveriam existir em nossa galáxia, de acordo com a maioria dos modelos atuais de evolução estelar", disse Liu Jifeng. "O LB-1 é duas vezes maior do que pensávamos ser possível. Agora os teóricos terão que assumir o desafio de explicar sua formação".

21/11/2019 às 19:30
Notícia

Garoto de 14 anos cria foto da lua em resolução 52MP juntando...

Foram usados dois tipos de fotografia, três programas diferentes e bastante edição

Os cientistas agora estão tentando entender como o LB-1 ficou tão grande. A equipe chinesa propôs uma série de teorias. Um delas sugere que o tamanho do novo buraco negro possivelmente "não foi formado a partir do colapso de apenas uma estrela". Em vez disso, poderiam ser dois buracos negros menores orbitando um ao redor do outro.

"Essa descoberta nos obriga a reexaminar nossos modelos de como os buracos negros de massa estelar se formam", disse David Reitze, professor da Universidade da Flórida, diretor do Observatório de Ondas Gravitacionais com Interferômetro a Laser (LIGO).

"Essa descoberta nos obriga a reexaminar nossos modelos de como os buracos negros de massa estelar se formam"

Como destaca o site MSN News, estudos recentes dos detectores de ondas gravitacionais LIGO e "Virgo" detectaram ondulações no espaço-tempo causadas por colisões de buracos negros que se fundem para criar novos e maiores. Mas é a primeira vez que um buraco negro dessa magnitude é descoberto na Via Láctea.

"Este resultado notável, juntamente com as detecções LIGO-Virgo de colisões binárias de buracos negros nos últimos quatro anos, realmente apontam para um renascimento em nossa compreensão da astrofísica dos buracos negros", disse Reitze.

Via: CNN, MSN
User img

Gabriel Tagarro

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Drones ajudam a identificar resíduos plásticos em oceanos com IA

Drones ajudam a identificar resíduos plásticos em oceanos com IA

Organização The Plastic Tide utiliza tecnologia presente no Phantom 4 da DJI para detectar e classificar tipos de lixo


Dióxido de carbono sequestrado pode ser usado para reciclar baterias

Dióxido de carbono sequestrado pode ser usado para reciclar baterias

Técnica pode fazer a captura do gás do efeito estufa ser economicamente viável


Elon Musk explica como pretende levar 1 milhão de pessoas para Marte até 2050

Elon Musk explica como pretende levar 1 milhão de pessoas para Marte até 2050

CEO da SpaceX planeja enviar 3 foguetes Starship por dia e criar muitos empregos por lá


Astrônomos descobrem duas super-Terras potencialmente habitáveis

Astrônomos descobrem duas super-Terras potencialmente habitáveis

Novos planejas orbitando as anãs vermelhas GJ180 e GJ229A foram batizados como GJ180 d e GJ229A c


Cientistas criam Xenobots, um

Cientistas criam Xenobots, um "robô vivo" que consegue se regenerar

A pesquisa desenvolveu um tipo de ser totalmente desconhecido na natureza