Criador da internet como a conhecemos propõe acordo para
Créditos: South China Morning Post

Criador da internet como a conhecemos propõe acordo para "salvar a web"

Tim Bernes-Lee divulga o "Contrato pela Web" com 9 princípios para melhorar a internet

O crescente uso inadequado da internet para espalhamento de notícias falsas, manipulações políticas, violações de privacidade e outros graves problemas relacionados à web não estão passando batido pelo criador da rede, Tim Berners-Lee. É por isso que o físico britânico decidiu criar uma iniciativa para "salvar a web" das práticas que estão acabando com ela, como o "Contract for the Web" (Contrato pela Web, em tradução livre).

"Eu acredito que o medo das pessoas de coisas ruins acontecendo na internet está se tornando, de maneira justificada, maior e maior. Se nós deixarmos a web como está, existe um número muito grande de coisas que vão dar errado. Nós podemos acabar numa distopia digital se não mudarmos as coisas. Não é que precisemos de um plano de 10 anos para a web, nós precisamos fazer as mudanças na web agora."
Tim Berners-Lee, criador da World Wide Web em entrevista ao The Guardian

O Contrato nada mais é do que um conjunto de compromissos e diretrizes que governos, empresas e cidadãos devem adotar para, coletivamente, evitar que a internet se torne um espaço cada vez pior e mais nocivo. São nove princípios, no total, três para cada segmento:

Governos:

- Princípio 1: Se certificar que todos podem se conectar à internet
- Princípio 2: Manter toda a internet disponível, o tempo todo
- Princípio 3: Respeitar e proteger a privacidade online fundamental das pessoas e seus direitos de dados

Empresas:

- Princípio 4: Tornar a internet pagável e acessível para todos
- Princípio 5: Respeitar e proteger a privacidade das pessoas e dados pessoais para construir confiança online
- Princípio 6: Desenvolver tecnologias que apoiam o que há de melhor na humanidade, e desafiar o que há de pior

Cidadãos:

Princípio 7: Ser criadores e colaboradores na web
- Princípio 8: Construir comunidades fortes que respeitam o discurso civilizado e dignidade humana
- Princípio 9: Lutar pela web

Os links levam para detalhamento de cada princípio, em inglês.

Várias gigantes ajudaram na criação e assinam como colaboradoras do Contrato. Entre elas podemos citar a Google, Microsoft, Facebook, Twitter, Reddit, Telefonica e por aí vai. A questão é se elas realmente vão se manter nos princípios que assinam. Se alguma empresa for considerada em violação de alguma das responsabilidades, ela será removida da lista de apoiadores.

"O poder da web para ser uma força para o bem está sendo ameaçado e as pessoas estão pedindo por mudanças. Nós estamos determinados a moldar o debate usando a estrutura criada pelo Contrato.
No fim, nós precisamos de um movimento global para a web como nós temos agora para o meio ambiente, de maneira que os governos e companhias se tornem bem mais responsivos aos cidadãos do que eles são hoje. O contrato cria as fundações para este movimento.
"
Emily Sharpe, diretora de política na Web Foundation

Fonte: The Guardian
User img

João Gabriel Nogueira

Microsoft inicia atualização obrigatória do Windows 10 1809

Microsoft inicia atualização obrigatória do Windows 10 1809

Dispositivos receberão o update 1909


Instagram passa a pedir data de nascimento de novos usuários

Instagram passa a pedir data de nascimento de novos usuários

Medida ajuda a personalizar a experiência do usuário e proteger os jovens, diz a rede social em nota


YouTube compartilha lista de vídeos mais assistidos de 2019

YouTube compartilha lista de vídeos mais assistidos de 2019

No Brasil, retrospectiva é marcada por Caneta Azul, "TICOLÉ É MUITO BOM!", e Whindersson Nunes


Google Photos agora suporta o envio de mensagens

Google Photos agora suporta o envio de mensagens

O novo recurso começou a ser disponibilizado hoje nos aplicativos para iOS, Android e na versão Web


Facebook treina funcionários com chat bots para responder perguntas polêmicas

Facebook treina funcionários com chat bots para responder perguntas polêmicas

Colaboradores estão preocupados com a pressão dos familiares em festas de fim de ano