Rússia exigirá que dispositivos vendidos no país tenham softwares russos
Créditos: Aleksey Nikolskyi/ Reuters

Rússia exigirá que dispositivos vendidos no país tenham softwares russos

A nova lei entrará em vigor em 2020

Foi aprovada na Rússia uma nova lei que proíbe as vendas de alguns dispositivos que não venham com software russo pré-instalado. De acordo com a BBC, ela entrará em vigor em julho de 2020 e vai abranger smartphones, computadores e smart TVs.

Segundo a reportagem, a nova legislação não impedirá que dispositivos de outros países sejam vendidos com seus próprios apps, porém, as “versões equivalentes" russas também terão que ser instaladas. 

A lei foi aprovada na quinta-feira. Uma lista completa de todos os programas russos e os dispositivos que serão afetados pela decisão, além de tudo que será pré-instalado, ainda vai ser definido pelo governo.

vai abranger smartphones, computadores e smart TVs

Seus defensores dizem que o objetivo principal é promover a tecnologia russa e facilitar o uso dos aparelhos comprados pelas pessoas que vivem no país. A reportagem destaca, no entanto, que há preocupações com a vigilância e temores de que as empresas possam sair do mercado russo. Um dos co-autores do projeto, Oleg Nikolayev, afirmou que a nova lei vai ajudar seus compatriotas.

"Quando compramos dispositivos eletrônicos complexos, eles já têm aplicativos individuais, principalmente ocidentais, pré-instalados neles", disse ele, de acordo com a agência de notícias Interfax. "Naturalmente, quando uma pessoa os vê... eles podem pensar que não há alternativas domésticas disponíveis. E, além de aplicativos pré-instalados, também ofereceremos os (apps) russos aos usuários, eles terão o direito de escolher”, declarou.

22/08/2019 às 09:40
Notícia

A Rússia tem drones para guerra e faz suas primeiras demonstr...

Altius-U é sua aeronave mais recente e é uma versão modificada de modelos norte americanos

A Associação de Empresas de Comércio e Fabricantes de Eletrodomésticos e Equipamentos Elétricos de Computador (RATEK) afirmou que não será possível instalar software fabricado na Rússia em alguns dispositivos e que empresas internacionais podem acabar deixando o mercado russo. Além disso, outros demonstraram preocupação com a possibilidade de que os softwares fabricados na Rússia possam ser utilizados para espionagem.

Vale recordar que o país já tem se tornado cada vez mais rigoroso com o controle da internet nos últimos cinco anos. Recentemente, entrou em vigor uma lei de "internet soberana" – que tem como justificativa a proteção contra possíveis ciberataques – prevendo que todo o tráfego de internet russo passe a ser conduzido dentro do país. 

Fonte: BBC
User img

Gabriel Tagarro