Departamento do Interior dos EUA está tirando 800 drones chineses de circulação
Créditos: Noticias ao minuto

Departamento do Interior dos EUA está tirando 800 drones chineses de circulação

Medida foi tomada como precaução contra espionagem e ataques cibernéticos

The US Interior Department (Departamento do Interior dos EUA, responsável pela administração das terras do governo) está tirando de circulação mais de 800 drones chineses, ou que tenham componentes vindos da China. Essa medida foi justificada por "preocupação com espionagem chinesa e ataques cibernéticos".

Essa informação foi veiculada pela primeira vez pelo The Wall Street Journal e agora foi confirmada pelo The Verge em entrevista feita por responsáveis pelo departamento. O atual secretário do Interior, David Bernhardt, já realizou o pedido para que todas as aeronaves façam o pouso e não realizem mais voos até que o departamento defina quais são os riscos apresentados.

“O secretário Bernhardt está revisando o programa de drones do Departamento do Interior. Até que esta revisão seja concluída, o Secretário determinou que os drones fabricados na China ou fabricados com componentes chineses sejam aterrados, a menos que estejam sendo utilizados atualmente para fins de emergência, como combater incêndios, busca e salvamento e lidar com desastres naturais que podem ameaçar a vida ou propriedade.” - Melissa Brown, porta-voz do Departamento do Interior em entrevista para o The Verge.

29/10/2019 às 12:38
Notícia

EUA quer proibir suas empresas de telecom de usarem equipamen...

Novas regras da FCC podem fazer companhias removerem até o que já foi instalado

Segundo o Wall Street Journal todos os drones que estão em uso pelo Departamento do Interior são fabricados pela China, ou possuem componentes chineses. Isso pode gerar problemas para as pessoas, já que a tecnologia é usada para diversos fins, como por exemplo: ajudar no combate e prevenção de maiores danos de incêndios florestais, auxilia no monitoramento de barragens e inundações, é usado na inspeção da terra por danos materiais ou que tem alguns problemas ambientais causados pela erosão e também faz o monitoramento de algumas espécies de animais que estão ameaçadas de extinção, ou que sofrem alguns riscos.

O principal motivo de tirar esses drones é a preocupação com a possibilidade que os drones tem de transmitir dados. Como as aeronaves captam imagens diversas, como fotografias e vídeos de infraestruturas estadunidense, os responsáveis temem que as informações coletadas sejam usadas como objeto de futuros ataques cibernéticos.

Essa não é a única medida de restrição do uso de tecnologia de drones em solo estadunidense. No mês passado, foi apresentado um projeto de lei que previa que as agências federais dos EUA estariam impedidas de efetuar a compra de drones da China. Essa medida iria impactar tanto no atraso do uso da tecnologia, como nos negócios de muitas empresas, sendo a principal delas a chinesa DJI, que em 2018 detinha 74% do mercado mundial de drones.

Via: The Verge
User img

Ana Luiza Pedroso

Drone da DJI ajuda no combate da Malária na África

Drone da DJI ajuda no combate da Malária na África

Experimento utiliza a tecnologia para facilitar o combate aos mosquitos que transmitem doença


Huawei P30 e P30 Pro recebem atualização estável da EMUI 10

Huawei P30 e P30 Pro recebem atualização estável da EMUI 10

Fabricante promete update de outros smartphones seus até dezembro


Black Friday chinesa tem modelos de sucesso por preços baixos

Black Friday chinesa tem modelos de sucesso por preços baixos

Xiaomi Mi A3 por US$145, Mi 9T Pro por US$338, OnePlus 7T de 256GB por US$490


QooCam 8K é a primeira câmera de bolso 360 a filmar em 8K

QooCam 8K é a primeira câmera de bolso 360 a filmar em 8K

Gadget também tem gravações em slow-motion em 4K120fps


DJI se posiciona sobre enquadramento do drone Mavic Mini no Brasil

DJI se posiciona sobre enquadramento do drone Mavic Mini no Brasil

No Brasil, o que vale é o "peso de decolagem máximo" e não "peso de decolagem"