Análise: Motorola One Action - alguém aí quer uma

Análise: Motorola One Action - alguém aí quer uma "GoPro" em seu smartphone?

Bom smartphone intermediário traz também uma action cam "embutida"

O Motorola One Action é um smartphone intermediário/premium. Ele mantém a tela 21:9 também presente do One Vision, com o formato mais estreito e alongado, mas conta com um truque novo que dá seu nome "Action": esse aparelho trás mais uma câmera adicional que tem um ângulo mais amplo de captura e estabilização, atuando como um equivalente a uma action cam, como "GoPros da vida".

Especificações técnicas

Preços

Preço no lançamentoR$ 1.444,15 14/10/2019R$ 1.999,00 15/04/2019R$ 1.999,90 10/04/2019R$ 1.999,00 16/08/2018
Preço atualizadoR$ 1.250,00 19/10/2019R$ 1.618,00 04/07/2019R$ 1.399,00 19/10/2019R$ 1.299,00 19/10/2019

Ficha Técnica

FabricanteMotorola Motorola Samsung ASUS
Site oficialLinkLinkLinkLink

Display

Tamanho6,3 polegadas6,3 polegadas6,4 polegadas6,2 polegadas
Resolução1080 x 2520 1080 x 2520 1080 x 2340, 393 ppi 1080 x 2246, 402 ppi
TecnologiaLTPS IPS LTPS IPS Super AMOLED IPS LCD
ProteçãoGorilla Glass Gorilla Glass Corning Gorilla Glass 3 Corning Gorilla Glass

Câmera

Traseira12MP + 5MP + 16MP 48MP + 5MP 25 MP + 8 MP + 5 MP Dual 12 MP + 8 MP
Vídeos[email protected] [email protected] [email protected] 2160p @ 30 FPS, 1080p @ 60 FPS
Frontal12MP 25MP 25MP f/2.0 8 MP
DetalhesCâmera adicional ultra-wide de 118.8º, câmera adicional para efeito de profundidade Abertura f/1.7 e f/2.2 (traseiras) e f/2.0 (frontal), flash dual LED, Night Vision f/1.7 , f/2.2 , f/2.2 Traseiras 12 MP, f/1.8, 24mm, 1/2.55", 1.4µm, PDAF, 4-axis OIS + 8 MP, f/2.0, 12mm, 1/4", 1.12µm, no AF

Especificações

Sistema OperacionalAndroid 9.0 Android 9.0 Android 9 Android 8 (Oreo)
ProcessadorExynos 9609 Exynos 9609 Samsung Exynos 9610 Qualcomm Snapdragon 636
Número de núcleos8 8 8
Clock2.2GHz 2.2GHz 4x 2.3 GHz e 4x 1.7 GHz 1.8 GHz
GPUMali-G72 MP3 Mali-G72 MP3 Mali-G72 MP3 Adreno 509
Memória RAM4 GB4 GB4 GB4, 6 GB
Armazenamento interno128 GB128 GB64 GB64, 128 GB
Cartão microSDaté 512GB até 512GB SIM, até 512GB Até 2TB
Bateria3500 mAh3500 mAh4000 mAh3300 mAh
Dimensões160 x 71,2 x 9,2 mm160x71,2x8,7 mm158.5 x 74.7 x 7.7 mm153 x 75,7 x 7,9 mm
Peso181 g181 g166 g155 g
Portas de conexãoUSB Tipo-C USB Tipo-C USB Tipo-C, 3.5mm audio USB Tipo-C
REDELTE LTE LTE LTE
Tipo de cartão SIMDual-nano SIM Dual-nano SIM Dual Nano SIM Dual Nano SIM

Recursos

Leitor de DigitalSim Sim SIM, na tela SIM
ResistênciaResistente à respingos d'água Resistente à respingos d'água NÃO NÃO
RadioSim Sim SIM SIM
Bluetooth5.0 5.0 5.0 5.0
Carregamento sem fioNão Não NÃO NÃO
NFCSim Sim NÃO SIM
GPSSim Sim A-GPS, GLONASS, GALILEO, BDS A-GPS, GLONASS, BDS, GALILEO
ExtrasCarregador rápido de 10W Carregamento rápido de 25W ZenUI, reconhecimento facil

Design e Tela

O One Action mantém boa parte da estrutura que vimos no One Vision, com o grande destaque sendo a tela no formato 21:9, bem mais alongada e estreita que o 16:9 ou mesmo 18:9 da maioria dos aparelhos do mercado. O resultado é um aparelho fácil de segurar, graças ao formato menor na horizontal, mas com mais área útil na vertical.

O design é quase idêntico ao do One Vision, com destaque para a tela estreita e alta, e um furo na tela para a câmera frontal

Esse formato tem vantagens e seus problemas. O grande beneficiário são os apps e situações com timelines, como redes sociais ou sites de notícias. Com mais altura disponível, tem mais postagens visíveis por rolagem de tela, por exemplo. Nos vídeos, porém, a situação se inverte. Ou você tem boa parte de tela desperdiçada com tarjas pretas, ou o zoom para preenchê-la tem potencial de cortar o topo da cabeça de quem está no video e ainda por cima deixa evidente o furo na tela.

 

A tela longa é boa para navegar e redes sociais, mas é meio estranha para vídeos

Falando desse furo, estamos nos referindo ao entalhe para comportar a câmera frontal. Como temos aqui o mesmo formato do Motorola One Vision, essa câmera chama bastante a atenção, algo potencializado pela borda em torno da lente. O resultado é novamente um ponto preto que chama bastante a atenção e que faz com que a barra de status no topo da interface seja bem mais alta que o normal, algo que fica com uma estética bem ruim especialmente devido aos ícones pequenos ficarem meio que "voando" nesse espaço todo. 

Apesar de não ser à prova d'água, o One Action tem resistência a respingos d'água, algo que já ajuda em algum acidente aquático. Pena que não foram mais longe nesse aspecto ou em resistência, considerando o foco na câmera de ação.

No restante ele é um competente aparelho intermediário/alto, com acabamento de vidro na traseira, bordas metalizadas e uma tela com cores vivas e bons contrastes, apesar de ser LCD IPS. Outras características que merecem destaque incluem boa parte da área frontal usada pela tela (exceto a borda um pouco mais larga embaixo e o furo pra câmera frontal) e o módulo de câmeras pouco protuberante na traseira, algo já resolvido pela capinha transparente inclusa na caixa.

Performance

Novamente temos a mesa estratégia usada no Motorola One Vision, com hardwares semelhantes. O MotorolaOne Action tem um bom conjunto de componentes. O processador é o Exynos 9609, um competente chip feito em 10 nanômetros, enquanto temos um total de 4GB de memória RAM, e o resultado desse conjunto é um bom smartphone para o uso cotidiano. Dá para abrir e alternar entre múltiplos aplicativos sem dificuldades, e ao longo do nosso período de testes ele não mostrou qualquer sinal de lentidão.

O One Action tem um competente desempenho para o segmento intermediário, e tem muita memória interna!

A Motorola também não economizou em memória interna, entregando 128GB de armazenamento, algo que faz iPhones e Google Pixels passarem vergonha com seus preços bem mais caros e só 64GB disponível. Esse espaço todo é muito bem-vindo, atendendo mesmo aqueles que instalam muitos jogos ou fazem muito vídeo em seus aparelhos.

Falando em jogos, o One Action dá conta da maioria dos games atuais com bom nível de desempenho. Em games mais pesados, como PUBG mobile, pode ser preciso rodar na qualidade média ou baixa, mas em geral ele se sai de forma satisfatória. Para quem quer gráficos no máximo e mais fluidez, não tem jeito: só partindo para aparelhos mais caros com hardware mais poderoso, e se o foco for jogar, quem sabe ficar de olho em modelos com telas com taxa de atualização mais alta, por exemplo.

Algo digno de elogio é que a Motorola não tem sido econômica na memória interna, e seus 128GB dão aula até mesmo para aparelho premium, com caras como iPhone 11 e Pixel 4 sendo "muquiranas" e colocando patéticos 64GB. Essa quantidade enorme presente no One Action dificilmente vai deixar na mão mesmo quem gosta de fazer vídeos.

Câmera

A câmera é o principal diferencial do One Action, mas aqui não falamos de um foco em fotografia, e sim em vídeo. Além da câmera de 12MP com o tradicional enquadramento grande angular, temos uma câmera de 16MP ultrawide, com abertura de quase 120º e que tem o objetivo de atuar nos vídeos. Apesar de termos três câmeras na traseira, esse aparelho não trás múltiplos enquadramentos. Uma câmera adicional busca informações de profundidade, para criar efeitos de desfoque, e outra só é usada no modo "ação" quando você está filmando.

Falando da fotografia, o One Action é apenas OK. Seu desempenho é bom em cenas com boa iluminação, mas rapidamente degrada junto com a qualidade da iluminação no ambiente. Seus resultados ficam inclusive abaixo do que vimos com o One Vision, especialmente na captação de detalhes, já que não conta com um sensor de 48MP na câmera principal.

Talvez a grande baixa seja o Night Vision, que ficou de fora por aqui. Sem o pós-processamento avançado que a Motorola colocou no Vision, o Action sofre muito com cenas pouco iluminadas, perdendo cores e apresentando bastante saturação. É uma pena que não implementaram esse recurso nesse aparelho, também.

Modo noturno do One Vision deixa saudade, e o Action se sai mal em cenas escuras

Na selfie temos resultados regulares, perdendo qualidade em relação ao sensor principal da câmera traseira. Cenas com menos iluminação acabam perdendo detalhes e ficando com cores menos vivas, enquanto fotos em situações mais favoráveis de luz se saem bem melhor, mas com todas as limitação típicas das câmeras selfies, como foco bastante limitado

Nas cenas de ação, que é o grande propósito desse celular, o sensor adicional e a lente ultra-grande angular de 118º se saem bem em cenas movimentadas, e o resultado não é ruim mesmo em situações mais escuras. Graças ao estilo dessa lente, ela já é mais estável e o resultado são vídeos que ficam firmes mesmo que você se movimente bastante. A câmera é posicionada para filmar na horizontal quando você segura o aparelho na vertical, algo que também ajuda na pegada.

A câmera de ação se sai bem, com bons resultados até em cenas difíceis

Nessas três situações dá para perceber algumas características da câmera. A primeira é que a abertura bastante ampla é bem interessante para brincar com cenas movimentadas, conseguindo pegar muito do que acontece ao seu redor sem criar uma imagem excessivamente tremida mesmo que você mexa muito o aparelho ou segure de forma displicente. Outro é o resultado bastante aceitável na cena mais escura, com a bicicleta à noite. Apesar de uma evidente granulação, o resultado final não é ruim, apesar que a estabilização digital falhou mais, criando um efeito meio borrado em alguns momentos do vídeo.

Os vídeo com essa câmera adicional são feitos em FullHD a até 60 quadros por segundo, então é uma pena que não há a opção em 4K, seja em 30fps ou em 60fps, além de ficar devendo vídeos em taxas mais altas, algo que seria bem relevante em cenas de ação. Só a câmera principal consegue entregar [email protected]

Autonomia

Com hardware parecido, não é uma surpresa descobrir que o One Action não passa longe do desempenho que vimos com o One Vision quando o assunto é duração de bateria. Em nossos testes ele segura um dia completo de uso, em geral chegando ali no final do dia com uns 15% restantes. Se você faz um uso muito pesado do dispositivo, dá pra ficar sem energia antes do fim do dia. 

O One Action segura um dia completo de uso, podendo descarregar antes se você fizer um uso muito intensivo

E nossos testes o app de monitoramento estimou que a autonomia é de quase 8 horas com a tela sempre acesa, um bom resultado para esse segmento. O carregador rápido é o mesmo do One Vision, e trouxe um resultado semelhante: consegue carregar em torno de 20% após 15 minutos na tomada, mostrando que alguns minutos na energia podem resolver algum risco de ficar sem energia antes da hora. Como vários aparelhos desse segmento, apesar da traseira em vidro, ele não traz carregamento por indução.

Recursos e Extras

Os modelos da Motorola vem apostando em fazer o mínimo de intervenções no sistema da Google, mantendo algo bem próximo do sistema "puro", algo que deve agradar muito os consumidores que gostam da experiência padrão do Android sem aplicativos adicionais da fabricantes ou mudanças nas interfaces ou funcionalidades.

As poucas mudanças são recursos muito bem-vindos, especialmente por consumidores de longa data da empresa. Os comandos de gestos são muito ágeis para funções como ligar o LED da câmera pra usar como lanterna (chacoalhar), abrir a câmera (movimento de rotacionar o pulso) ou virar a tela para baixo para silenciar uma ligação. Outro recurso bem interessante é a reatividade do aparelho com o recurso Moto Tela, que mostra informações como hora, carga da bateria e novas notificações assim que o aparelho detecta que foi movido ou tirado do bolso, por exemplo, antes mesmo de ser desbloqueado.

Com o uso do sistema Android 9.0, o One Vision consegue usar novidades como a central de bem-estar, que analisa o uso do aparelho e vê aplicações mais usadas e período que a pessoa passa no celular, além de incluir a nova interação por gestos na base da tela no lugar dos tradicionais botões fixos da interface. Pra quem não curtir a novidade, não tem problema: dá para habilitar o estilo tradicional.

Conclusão

O Motorola One Action é muito semelhante ao One Vision, trazendo apenas como diferencial a câmera de ação e um design levemente mais espesso, mas no restante são aparelhos idênticos.

{notas}

Isso quer dizer que temos aqui também um ótimo celular intermediário/premium, com bom design e acabamento em metal e vidro, bela tela com o diferencial do formato 21:9, desempenho ágil e uma grande quantidade de memória interna, um mérito da Motorola nesse aparelho e também no One Vision.

Com tanta coisa igual, o caminho acaba sendo buscar seus diferenciais. O primeiro é o preço: enquanto o One Vision tem aparecido na casa dos R$ 1.4 mil, não é difícil achar o One Action por 200 reais a menos que isso. Além da diferença de preço, o que sobra é comparar o jogo de câmeras, já que é a principal especificação que varia entre os dois modelos. E é aqui que a coisa complica.

O One Action perde muito ao não contar com o sensor principal de 48MP e, principalmente, não possuir o modo Night Vision. A diferença na qualidade das fotos dos dois modelos é notável, especialmente na captação de detalhes da cena, e a coisa fica gritante quando estamos em cenas pouco iluminadas e o One Vision pode "ligar seu truque".

Assim, só há sentido em pegar o Action se você realmente está interessado na câmera de ação. Ela realmente tem resultados interessantes e pode servir para quem estava buscando as duas coisas, uma "GoPro" da vida e um celular intermediário, e pode ter a chance de resolver ambas em um único dispositivo. Só é importante ressaltar que o One Action não conta com o amplo ecossistema de acessórios que esse tipo de câmera possui, como encaixes para capacete ou estojos de proteção, por exemplo. Caso contrário, o One Vision tem todos os diferenciais, como a tela 21:9, grande quantidade de memória e recursos da Motorola, mas com uma câmera bem melhor para todas as outras situações.

O Motorola One Action tem uma excelente câmera de ação, mas exceto para quem realmente busca esse recurso, o One Vision é um aparelho mais atraente

DxOMark: Câmera principal do Motorola One Zoom é boa, secundárias deixam a desejar

DxOMark: Câmera principal do Motorola One Zoom é boa, secundárias deixam a desejar

Aparelho se saiu bem nos testes para o seu segmento, mas não tem qualidade surpreendente


Samsung anuncia smartphones Galaxy A51 e Galaxy A71 com quatro câmeras traseiras

Samsung anuncia smartphones Galaxy A51 e Galaxy A71 com quatro câmeras traseiras

Ambos trazem o Android 10 pré-instalado e personalizado com One UI 2.0.


Fabricante de câmeras para celular alerta para escassez de módulos intermediários e de entrada

Fabricante de câmeras para celular alerta para escassez de módulos intermediários e de entrada

Indústria está tendo dificuldade para suprir a alta da demanda no segmento mais acessível


BMW finalmente oferecerá integração com o Android Auto em 2020

BMW finalmente oferecerá integração com o Android Auto em 2020

Empresa confirmou que usará a versão wireless do Android Auto.


Google compartilha principais termos buscados no Brasil em 2019

Google compartilha principais termos buscados no Brasil em 2019

iPhone 11, Xiaomi Mi 9 e outros smartphones foram destaques na categoria de tecnologia