Cientistas encontram água em planeta potencialmente habitável
Créditos: ESA/Hubble, M. Kornmesser

Cientistas encontram água em planeta potencialmente habitável

O K2-18b é o planeta com as características mais aproximadas da Terra, mas está a 110 anos-luz

Cientistas acabam de descobrir que existe água em um planeta que orbita uma estrela própria longe do nosso sistema solar. O planeta é o KB2-18b e começou a ser estudado em 2015, após ser descoberto utilizando o telescópio Kepler da Nasa. Ele tem condições de temperatura suportáveis para nós e, ao que tudo indica, tem uma atmosfera e outras características ideias para a nossa sobrevivência.

Giovanna Tinetti, uma das pesquisadoras da UCL, time responsável por analisar o corpo celeste na Nasa, conta que foi uma surpresa para os envolvidos descobrir uma assinatura de água em vapor, segundo ela, isso significa que lá contém uma quantidade significativa de água e também uma atmosfera.

Astrônomos descobrem planeta com
órbita bizarra e como nenhuma outra encontrada

Ele tem oito vezes a massa da Terra e habita um sistema solar com uma estrela anã vermelha que não chega ter metade do tamanho do nosso sol, mas mantém o planeta aquecido em temperaturas próximas dos 10C.

Com a tecnologia atual ainda não é possível tirar fotos da superfície de planetas tão distantes como esse, que está a 110 anos-luz de distância. Para você ter ideia, um ano-luz equivale a 9.461.000.000.000 quilômetros. Mas os telescópios conseguem gerar uma boa quantidade de informações sobre eles.

Segundo Angelos Tsiaras, astrônomo na Universidade Pública em Londres, este é o primeiro planeta onde a temperatura é ideal e que é praticamente certo que tem água. Até agora, é o melhor candidato em habitabilidade.

Não é certo que o K2-18b tem água, mas tudo está indicando que sim. Segundo a Nature Astronomy, somente na atmosfera, o planeta tem entre 0.01% e 50% de água. A Terra tem concentrações de 0,2% acima dos polos e até 4% nos trópicos.

A vida como conhecemos está completamente relacionada com a água, isso principalmente por ser fundamental para a liberação de oxigênio. Além disso, há evidência da existência de hidrogênio, hélio e há a possibilidade de nitrogênio e metano. Os pesquisadores ainda não descobriram se há oceanos por lá, mas vamos ter que esperar um pouco mais para ter todas essas respostas.

Via: The Guardian

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Universidade cria gafanhoto ciborgue que identifica explosivos

Universidade cria gafanhoto ciborgue que identifica explosivos

Insetos levam consigo mini mochilas detectoras com sinal wireless


Booster do foguete usado no quinto lançamento de satélites Starlink ficou no oceano

Booster do foguete usado no quinto lançamento de satélites Starlink ficou no oceano

Esse é o quarto impulsionador que a companhia espacial perde no mar


Chuva vai se tornar uma fonte altamente eficaz de energia em breve

Chuva vai se tornar uma fonte altamente eficaz de energia em breve

Uma única gota de água poderá acender 100 lâmpadas de LED


Astronauta da NASA Christina Koch retorna à Terra após recorde de permanência no espaço

Astronauta da NASA Christina Koch retorna à Terra após recorde de permanência no espaço

Ela ficou com 328 dias consecutivos na Estação Espacial Internacional


Sonda da NASA é o objeto mais rápido já criado por humanos

Sonda da NASA é o objeto mais rápido já criado por humanos

Lançada em 2018, a sonda solar Parker atingiu uma velocidade de 393.044 km/h