Huawei acusa governo dos EUA de ciberataques e assédio a funcionários
Créditos: Reprodução/Nikkei Asian Review

Huawei acusa governo dos EUA de ciberataques e assédio a funcionários

A empresa divulgou um extenso comunicado em que rebate acusações de roubo e espionagem

Em meio a uma batalha legal que resultou na proibição do uso do Android e das tecnologias ARM em seus aparelhos, a Huawei divulgou um comunicado repleto de acusações ao governo dos Estados Unidos. Nele, a empresa afirma que autoridades do país arquitetaram ciberataques a suas redes e assediaram diversos de seus funcionários.

Segundo a companhia, o país “usou todas as ferramentas à sua disposição — incluindo poderes tanto judiciais quanto administrativos, bem como outros meios inescrupulosos — para perturbar as operações de negócios normais da Huawei e de seus parceiros”. A lista de acusações inclui a prisão sem fundamentos de empregados e tentativas de convencer membros atuais e antigos da empresa a se virar contra ela.

A fabricante chinesa também afirma que o governo dos Estados Unidos está desenterrando processos civis antigos que já foram resolvidos e, a partir deles, está lançando investigações criminais relacionadas ao roubo de tecnologia. A posição oficial do país é que a corporação age como um braço da espionagem chinesa, algo que ela negou diversas vezes.

Rebatendo as acusações

Apesar das declarações graves sobre tentativas de ciberataques, a Huawei não deixou claro se eles foram bem-sucedidos e quais danos podem ter sido causados por eles. A lista surge em um momento no qual a empresa está em uma “trégua temporária” que a permite continuar realizando operações no país norte-americano.

Na prática, a fabricante ainda está na “lista negra” do Departamento de Estado dos EUA, o que a impossibilita de fazer negócios com empresas que possuem sedes por lá. Em sua declaração, a companhia afirma que investe em pesquisa e desenvolvimento há mais de 30 anos e tem 180 mil funcionários ao redor do mundo, que a ajudaram a ganhar a confiança e suporte de consumidores, fornecedores e parceiros.

O fato permanece que nenhuma das tecnologias centrais da Huawei foi sujeita a nenhum caso criminal contra a companhia, e nenhuma das acusações levantadas pelo governo dos Estados Unidos foi amparada por evidências suficientes”, afirma o comunicado. Para finalizar, ela afirma que nenhuma companhia se torna um líder global em seu campo através do roubo.
 

Via: The Verge Fonte: Huawei
User img

Felipe Gugelmin

EUA concedem à Huawei nova licença extendida de 90 dias

EUA concedem à Huawei nova licença extendida de 90 dias

É a terceira licença concedida pelo Departamento de Comércio norte-americano


Huawei Sound X: Caixa de som inteligente será lançada no dia 25 de novembro

Huawei Sound X: Caixa de som inteligente será lançada no dia 25 de novembro

Manual do dispositivo vazou na rede social chinesa Weibo.


Huawei começa venda do Mate X na China e estoque esgota no mesmo dia

Huawei começa venda do Mate X na China e estoque esgota no mesmo dia

Celular dobrável da empresa custa o equivalente a R$ 10.000, mas todas unidades foram vendidas


Huawei Nova 6 será lançado no dia 5 de dezembro na China

Huawei Nova 6 será lançado no dia 5 de dezembro na China

Novo smartphone terá variantes com 4G e 5G


Smartphones da linha Huawei Mate 20 começam a receber a atualização para EMUI 10

Smartphones da linha Huawei Mate 20 começam a receber a atualização para EMUI 10

Atualização baseada no Android 10 traz várias novidades tanto da Google quanto da Huawei, e já está disponível também no Brasil