Drones deixam de ser novidade e startups do setor começam a quebrar
Créditos: Shutterstock

Drones deixam de ser novidade e startups do setor começam a quebrar

Fundadas no início da euforia, a maioria não está crescendo o necessário

Segundo conta o Bloomberg em recente artigo, startups de drones começam a quebrar aos montes. Antes inspiradas pela novidade da tecnologia, com a aposta de que em breve veríamos as aeronaves por todos os lados sendo utilizadas para tudo, agora estão tendo que fechar as portas por causa de um mercado que ficou rapidamente inflado.

É provável que em um futuro não tão distante os drones sejam responsáveis para funções variadas como entrega de pacotes, fertilização de terras agrícolas e até mesmo monitoramento e segurança. Mas, enquanto isso não acontece, todas aquelas empresas que chegaram no mercado através de investimentos de capital de risco, começam a perceber a dura realidade.

Bloomberg conta que no ano passado algumas das maiores startups começaram a fechar. Isso depois de queimar milhões de capital de risco investido na promessa de que o mercado teria uma exponencial, algo que não aconteceu. Segundo conta Kay Wackwits, fundador e presidente do grupo de pesquisa Drone Industry Insights, houve irracionalidade por parte das startups, que leram os sinais errados. Ele acredita que uma euforia foi gerada por causa da popularidade do setor de hobby.

Empresa de drones Bell demonstra
primeiros voos de sua aeronave autônoma

Nos últimos anos, ficamos familiarizados com imagens geradas por drones, mas não é como se o mercado estivesse bombando, apenas foi algo que chamou muita atenção. Isso fez com que empresas enxergassem uma oportunidade e os investidores acreditassem.

A fabricante Parrot, conhecida no segmento, anunciou que planeja o cancelamento da produção da maioria de suas linhas de drones. E esse é a apenas um dos sinais de que o negócio na área não está bom. A própria GoPro recuou, decidiu abandonar a fabricação de drones e não se arriscar no mercado.

Segundo o Teal Group, que pesquisa sobre a área, capitalistas de risco investiram U$2,6 bilhões no setor de drones entre 2012 e 2019. Agora, com o fim da euforia da novidade, empresas grandes como a PrecisionHawk, líder em serviços de drones, começam a comprar algumas startups. Ela comprou cinco dessas empresas em 2018.

Mesmo que a crise esteja atingindo empresas novas com alto risco de investimento, não há dúvidas de que os drones estarão presentes em nosso futuro. Pode demorar um pouco, mas é difícil negar que essas aeronaves serão utilizadas principalmente para transporte de cargas em breve.

Fonte: Bloomberg
User img

Neri Neto

O universo geek faz parte do dia a dia, da vida, deste jornalista. Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, Neri Neto é responsável por conteúdos diversos no Mundo Conectado. Ele adora tecnologia, cinema, games e descobriu ainda na infância que a linguagem dos vídeos seria perfeita para falar de tudo que ama. Neri também fala bastante em terceira pessoa, gosta de descontrair e está sempre nas redes sociais.

PIX: TUDO que você PRECISA SABER

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.