Robôs autônomos do MIT vão criar pontes dinâmicas em Amsterdã
Créditos: Divulgação/ Instituto de Soluções Metropolitanas Avançadas de Amsterdã

Robôs autônomos do MIT vão criar pontes dinâmicas em Amsterdã

Máquinas do projeto "Roboat" funcionam como pequenas plataformas móveis nos canais da cidade

O Instituto de tecnologia de Massachusetts (MIT), em parceria com o Instituto de Soluções Metropolitanas Avançadas de Amsterdã, revelou no dia 29 de agosto que desenvolveu uma pequena frota de jovens robôs "barcos" que conseguem navegar de forma autônoma pelos canais da cidade, criando pontes. Através de sistemas de GPS, micro controles, sensores e câmeras, essas pequeninas plataformas conseguem se juntar, como um Tetris, para criar pontes para a população e até suporte para mesas e produtos dos comércios locais.

26/08/2019 às 20:37
Notícia

Astronautas liberam vaga na ISS para nave com robô russo huma...

Tripulação ficará com o Skybot F-850 até o dia 7 de setembro, quando a máquina deve retornar

O projeto é liderado pelos professores Carlo Ratti, Daniela Rus, Dennis Frenchman e Andrew White, que pretendem, no futuro, colocar essas as máquinas nos 165 canais da cidade para transporte de mercadorias, coleta de lixo e criação de palcos e pontes para diminuir congestionamentos nas ruas da cidade. "Os Roboats conseguem criar e quebrar conexões com outros Roboats para aliviar as atividades nas ruas ", afirmou Daniela Rus. As configurações de "Tetris" são predefinidas, e os barquinhos escolhem os padrões mais eficientes para a tarefa. Tudo é controlado através de um algoritmo, que você pode conferir em ação no GIF abaixo.

Essas plataformas podem parecer pequenas, medindo, em média, um metro de comprimento; mas, elas ainda são apenas protótipos, e devem passar a ter quatro metros de comprimento quando começarem a nadar em Amsterdã. O próximo objetivo desses quadradinhos flutuantes será criar uma ponte "dinâmica" de 60 metros de extensão no canal que liga o centro da cidade com o Museu de Ciência de Amsterdã. Apelidada de RoundAround, a ideia é colocar os Roboats para nadar em círculos, pegando e transportando passageiros e mercadorias, e diminuindo o trajeto de 10 minutos para apenas dois.  Ainda falta algumas questões importantes para serem desenvolvidas nos Roboats, como resistência aos ventos e chuvas violentos da cidade, e algumas medidas de segurança para os passageiros.

Fonte: Divulgação/ Instituto de Soluções Metropolitanas Avançadas de Amsterdã e MIT

 

 

Via: Cnet Fonte: MIT
User img

Tadeu Mattos

Carros autônomos são 25% melhores na tomada de decisão do que motoristas egoístas

Carros autônomos são 25% melhores na tomada de decisão do que motoristas egoístas

Novos sistemas classificam motoristas como egoístas ou generosos