Ações de Apple, Qualcomm, AMD e Nvidia caem após declarações de Trump
Créditos: Wikimedia Commons

Ações de Apple, Qualcomm, AMD e Nvidia caem após declarações de Trump

Presidente dos EUA afirmou em seu Twitter que país não precisa da China

As ações de grandes fabricantes de chips norte-americanas perderam valor depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, proferiu declarações radicais sobre negociações com a China. Segundo o chefe de estado dos EUA, a nação não precisaria fazer negócios com o país oriental para se sustentar.

23/08/2019 às 18:02
Notícia

Vídeo de hands-on mostra design do iPhone 11 Pro nas mãos de ...

Finalmente temos a primeira visualização de como ficará o novo smartphone da Apple no mundo real

"Nosso país tem perdido, estupidamente, trilhões de dólares com a China através de muitos anos. Eles têm roubado nossa propriedade intelectual na taxa de centenas de bilhões de dólares por ano e pretendem continuar assim. Não deixarei isso acontecer! Não precisamos da China e, francamente, estaríamos muito melhores sem eles".
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos em sua conta no Twitter

A forte posição de Trump repercutiu mal entre os acionistas, que rapidamente passaram a valorizar de maneria negativa as ações de grandes fabricantes de chips e processadores dos Estados Unidos. As ações da Apple caíram 4,1%, enquanto a Qualcomm perdeu 2,7% de valor. Já a Nvidia está valendo menos 4,8% e a AMD menos 5,1%.

"As vastas quantidades de dinheiro que a China ganha e rouba dos Estados Unidos, ano após ano, por décadas, irá e deverá parar. Nossas grandes companhias americanas estão, portanto, ordenadas a imediatamente começarem a procurar por uma alternativa para a China, incluindo trazer suas companhias para a casa e fabricar seus produtos nos EUA".
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos em sua conta no Twitter

Vale lembrar que, como aponta o site Cnet, a Apple é responsável pelo design de seus próprios produtos — como iPhones, iPads e Macbooks. Ainda assim, a empresa depende de fábricas chinesas para a produção e montagem de seus smartphones, tablets e notebooks.


Fonte: Apple

Recentemente, o CEO da Apple, Tim Cook, se reuniu com Donald Trump para discutir o aumento nas tarifas dos produtos vindos da China. Elas podem resultar num aumento de 10% nos preços de alguns eletrônicos, o que torna cada vez mais difícil com a competição com rivais como a sul-coreana Samsung.

"Eu irei dar uma resposta para as tarifas da China nesta tarde. Essa é uma ótima oportunidade para os Estados Unidos. Também estou ordenando que todas as transportadoras, incluindo FedEx, Amazon, UPS e o Correio busquem e neguem todas as entregas de Fentanil vindas da China (ou de qualquer outro lugar!)".
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos em sua conta no Twitter

Via: Cnet
Exploit no iOS 13 permite ver os contatos do iPhone mesmo com o aparelho bloqueado

Exploit no iOS 13 permite ver os contatos do iPhone mesmo com o aparelho bloqueado

Nova versão do sistema só chega no dia 19 de setembro e já encontraram falhas


Qualcomm e Ericsson trabalham na comercialização 5G em modo autônomo

Qualcomm e Ericsson trabalham na comercialização 5G em modo autônomo

Empresas querem conduzir uma transição para o 5G autônomo a partir de 2020


Sony anuncia que consumidores finais poderão ter suas telas de cinema 16K em casa

Sony anuncia que consumidores finais poderão ter suas telas de cinema 16K em casa

Existem quatro opções de tamanho, mas o preço e disponibilidade ainda são mistérios


Huawei está pensando em vender o acesso ao seu setor de negócios 5G

Huawei está pensando em vender o acesso ao seu setor de negócios 5G

O interesse maior seria vender os negócios para uma organização fora da Ásia


iPhone 11 Pro aparece no Geekbench com apenas 4GB de RAM

iPhone 11 Pro aparece no Geekbench com apenas 4GB de RAM

Especificação coloca novo modelo da Apple bem atrás dos novos modelos Android