Pesquisadores criam pele artificial camaleônica com nanotecnologia

Pesquisadores criam pele artificial camaleônica com nanotecnologia

Partículas reagem quando expostas à luz ou ao calor

Cientistas da Universidade de Cambridge desenvolveram uma pele artificial com características camaleônicas usando nanomáquinas. De acordo com os criadores da tecnologia, essa pele poderia ser usada para criar imagens dinâmicas e até mesmo como camuflagem. A ideia de desenvolver essa tecnologia surgiu a partir de estudos sobre as interações da luz com nanopartículas normalmente feitas de ouro. 

Para criar essa pele, os pesquisadores usaram um material que consiste em minúsculas partículas de ouro revestidas com uma camada de polímero, que serão mais tarde inseridas em gotículas de água no óleo. As características da pele se revelam quando ela é exposta ao calor ou à luz, que é quando as partículas se unem e a cor da pele artificial muda. 

as nanopartículas têm 14 nanômetros de diâmetro

A cor é determinada por quão próximas ou distantes estão as partículas. Se as nanopartículas se afastarem, elas aparecem como vermelhas. Se elas estão agrupadas, eles aparecem azuis escuro. Como a pesquisa ainda está no início, os pesquisadores desenvolveram uma única camada, ou seja, a pele só pode mudar para uma cor. O objetivo é adicionar mais camadas para tornar a pele mais dinâmica. 

Os cientistas também explicaram que as microgotas possuem a largura de um cabelo humano. Dentro das gotículas, as nanopartículas têm 14 nanômetros de diâmetro. Para referência, uma dupla hélice de DNA tem 2 nanômetros de diâmetro.

"Colocar as nanopartículas nas microgotas de água nos permite controlar a forma e o tamanho dos aglomerados, nos mostrando as mudanças dramáticas de cor", explicou Andrew Salmon, coautor do estudo. Os cientistas tiveram como base de pesquisa a pele de animais que mudam de cor, como o próprio camaleão. Essa capacidade de mudar de cor acontece por causa dos cromatóforos da pele. A pesquisa inteira foi publicada na revista Advanced Optical Materials e pode ser lida aqui.

Fonte: CNet
User img

Mariela Cancelier

Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.