Saiba tudo sobre o Wi-Fi 6 e entenda como ele vai mudar a conexão sem fio [ATUALIZADO]
Créditos: Picbon | Pngtree

Saiba tudo sobre o Wi-Fi 6 e entenda como ele vai mudar a conexão sem fio [ATUALIZADO]

A nova geração da conexão sem fio traz mais velocidade e segurança - e um nome mais amigável

Leitura Rápida

  • Os smartphones Galaxy S10 foram os primeiros aparelhos a receber suporte ao Wi-Fi 6;
  • A partir do Wi-fi 6, a Wi-fi Alliance começa a adotar uma nomenclatura mais amigável;
  • O Wi-Fi 6 traz mais velocidade proporcional, possibilidade de conectar mais dispositivos, menos interferência e mais segurança;
  • Para aproveitar o Wi-Fi 6, é preciso ter um dispositivo e roteador com suporte;
  • A 5G não deve "matar" o Wi-Fi, pois as duas tecnologias têm focos de mercado diferentes.

[Atualização - 17/09/2019] - Depois de muito citar e explicar o padrão Wi-Fi 6 nas nossas notícias (e, obviamente, nesse artigo todo), o novo padrão finalmente foi lançado de forma oficial ontem, dia 16. Então, chegou a hora de fazer uma atualização nesse texto. 


De forma resumida, a descrição oficial do programa de certificação Wi-Fi 6 continua focando em segurança, interoperabilidade e mais desempenho para ambientes corporativos, estádios, aeroportos e afins (coisas que já desdobramos por aqui).Também deixa claro que serve tanto para quem precisa de muito desempenho quanto para aqueles que exigem baixa latência e energia  em residências inteligentes, por exemplo, ou cenários IoT industriais. 

16/09/2019 às 15:09
Notícia

Novo padrão Wi-Fi 6 de tecnologia 802.11ax é lançado oficialm...

Novos iPhone 11 devem trazer suporte à nova geração Wi-Fi quando lançados

Alguns recursos que chegam com o Wi-Fi 6 e que não foram mencionados anteriormente incluem o Modo de modulação de amplitude em quadratura 1024 (1024-QAM), que aumenta a taxa de transferência em dispositivos Wi-Fi em 25% (comparado ao 256-QAM do Wi-Fi 5), codificando mais dados na mesma quantidade de espectro, e o  "Transmit beamforming", que permite taxas de dados mais altas em um determinado intervalo, resultando em maior capacidade de rede.

Da última vez, comecei falando dos Galaxy S10, e outros dispositivos como os recém-anunciados iPhone 11 já anunciaram a compatibilidade com a atual geração de conexão sem fio. Porém, os novos Note 10 e Note 10+ da Samsung ganham destaque agora por serem os primeiros smartphones a receberem o selo de certificação Wi-Fi 6 (é válido lembrar que dizer que é compatível e receber o selo são coisas diferentes). 

Outros produtos que compõem a "bancada inicial" da certificação Wi-Fi 6 incluem:

Lista completa de produtos com certificação Wi-Fi 6

Continua após a publicidade
  • Broadcom BCM4375;
  • Broadcom BCM43698;
  • Broadcom BCM43684;
  • Cypress CYW 89650 com certificação automática Wi-Fi 6;
  • Intel Wi-Fi 6 (Gig +) AX200 (para PCs);
  • Série de chipsets Intel Home Wi-F WAV600 (para roteadores e gateways);
  • Marvell 88W9064 (4x4) STA de banda dupla Wi-Fi 6;
  • Marvell 88W9064 (4x4) + 88W9068 (8x8) Wi-Fi 6 AP de banda dupla simultânea;
  • Plataforma Qualcomm Networking Pro 1200;
  • FastConnect 6800 (Subsistema de conectividade mobile Wi-Fi 6 da Qualcomm); e
  • Ponto de acesso Wi-Fi 6 Ruckus R750.

Não vai demorar muito para vermos outras empresas como Asus e Xiaomi apresentando o novo padrão como característica dos seus produtos, já que também tiveram participação na construção dos parâmetros técnicos do selo ""Wi-Fi 6 Certified". 

Algumas novas informações também foram adicionadas no decorrer do artigo, então não deixe de conferir o resto do texto!

 


Com a chegada da linha Galaxy S10 - os primeiros aparelhos com suporte para a próxima geração de conexões sem fio no mercado - chegou a hora de explorar mais a fundo o que é o Wi-Fi 6 e quais suas novidades.

Um nome mais amigável é a primeira grande mudança. As gerações anteriores de Wi-Fi tinham um esquema de nomenclatura bem mais complexo, com números e letras que complicavam o entendimento geral. O 802.11n é mais rápido que o 802.11ac? E ele é melhor que o  802.11af?

Para solucionar isso, a Wi-Fi Alliance decidiu renomear as gerações de maneira mais simples e compreensível. A atual versão 802.11ac se tornou Wi-Fi 5, e a chamada de 802.11ax virou Wi-Fi 6.

Você provavelmente não ouvirá falar muito do Wi-Fi 5 a partir de agora, já que ele está por aí há cinco anos e recebeu o novo nome em outubro de 2018. As empresas em sua grande maioria, no entanto, parecem estar adotando a nomenclatura simplificada para a próxima geração.

Continua após a publicidade


Que tipo de dispositivo oferece Wi-Fi 6?

A Wi-Fi Alliance vai lançar o seu programa de certificação Wi-Fi 6, que garante a compatibilidade dos dispositivos com o padrão, em outubro deste ano (2019). Mesmo que seu smartphone tenha suporte para a conexão, não será possível usá-la sem um roteador compatível. Ou seja: você provavelmente vai precisar de um roteador novo e as empresas terão que investir em algumas coisinhas relacionadas a hardware para esse sinal ser reconhecido.  

Os roteadores desenvolvidos para suportar Wi-Fi 6 usam duas tecnologias principais para melhorar a eficiência de transmissão de sinal:

  • MU-MIMO: Multi-Usuário, Entrada Múltipla, Saída Múltipla. O roteador se comunica com vários aparelhos simultaneamente através dela. Também permite que mais dados de downlink sejam transferidos de uma só vez.
  • OFDMA: Acesso Múltiplo por Divisão de Frequência Ortogonal. É possível enviar dados para várias máquinas de uma vez só.

 

Modelos desses roteadores começaram a aparecer há pouco tempo, como em todo lançamento, com preços altos. Atualmente dispositivos com essa tecnologia alcançam facilmente R$1.000 ou mais, mas será natural com o passar do tempo caírem de preço assim que a nova tecnologia virar padrão de mercado.

Na linha mobile, o Snapdragon 855, processador da Qualcomm com foco nos smartphones high-end, tem suporte para Wi-Fi 6.


Lista de smartphones com suporte a Wi-Fi 6

- Lenovo Z5 Pro GT;
- LG G8 ThinQ;
- LG v50 ThinQ;
- Linha iPhone 11;
- Linha Samsung Galaxy S10;
- Linha Samsung Galaxy S20;
- Linha Samsung Galaxy Note 10;
- Linha Xiaomi Mi 10;
- Linha Black Shark 3;
- Sony Xperia 1;
- Xiaomi Mi9;
- Xiaomi Mi Mix 3;
- ZTE Axon 10 Pro 5G;
- ZTE Axon 10s Pro.


O que muda com o Wi-Fi 6?

O Wi-Fi 6, no geral, continua tendo a mesma função - permitir a conexão de internet entre variados dispositivos sem fio.  No entanto, ele promete mais eficiência e velocidade, além de outros benefícios que podem não ser tão óbvios de primeira.

Mais Velocidade

A próxima geração Wi-Fi funciona em frequências de 2,4 e 5GHz com capacidade de até 14 Gigabits por segundo (Gbps). De acordo com a Huawei, ele pode chegar até 9,6 Gbps, que podem ser divididos entre uma quantidade X de aparelhos. Para motivos de comparação, o atual Wi-Fi 5 chega a 3,5 Gbps. Ou seja, O Wi-Fi 6 oferece quatro vezes a capacidade do padrão anterior.

Isso significa mais velocidade proporcional para cada dispositivo conectado.

Huawei anuncia sua entrada na geração Wi-Fi 6 (802.11ax)

"Pense no Wi-Fi 5 como uma estrada com uma faixa para veículos indo em uma direção e outra faixa para veículos indo em outra direção. Para o Wi-Fi 6, você tem mais faixas para cada direção. Isso significa que, mesmo com mais carros na estrada (leia mais dispositivos na rede), o fato de haver mais faixas significa que as velocidades não são reduzidas." - Exemplo dado pelo Gizmochina.

Porém, é importante dizer que essas velocidades são os valores teóricos máximos. Um usuário comum da rede Wi-Fi provavelmente nunca alcançará esses números. E mesmo se pudesse, não é certo que ele realmente precisaria dessa velocidade atualmente.

Para exemplificar: a velocidade média para downloads nos Estados Unidos é de apenas 72 megabits por segundo (mbps), o que representa menos de 1% da velocidade máxima teórica. Dados levantados no 2º e 3º trimestre de 2018 pelo Speedtest Intelligence mostram que, no Brasil, a velocidade média de download em banda larga fixa foi de 23,64 Mbps.

Durante o mesmo trimestre, a velocidade média de uploads foi de 10,57 Mbps. Nesse contexto, a possibilidade de alcançarmos 9,6 Gbps no dia-a-dia é quase nula em um cenário de curto/medio/longo prazo, pra ficar bem claro. :D

Mais dispositivos conectados

Um roteador Wi-Fi pode se comunicar com um número limitado de dispositivos de uma só vez sem sofrer consequências. Quanto mais gadgets exigirem conexão ao mesmo tempo, mais lenta a rede tende a ficar.

A família média dos EUA pode chegar a ter 50 aparelhos conectados ao Wi-Fi em alguns anos.

A família média dos Estados Unidos tinha cerca de cinco dispositivos Wi-Fi quando o Wi-Fi 5 foi lançado. Hoje, esse número subiu para nove aparelhos e várias empresas preveem que em alguns anos ele chegará a 50.

Nesse caso, o Wi-Fi 6 permite que:

  • Os roteadores se comuniquem com mais aparelhos simultaneamente;
  • Enviem dados para esses vários dispositivos na mesma transmissão;
  • E que os dispositivos Wi-Fi programem os check-ins com o roteador.  

Esses três recursos juntos devem manter a conexão forte e diminuir os gargalos, mesmo com mais dispositivos conectados. Até o momento, é possível ter uma conexão sem problemas com até quatro aparelhos funcionando ao mesmo tempo. Espera-se que essa nova rede consiga lidar com o dobro de dispositivos.

Mas, a velocidade de cada um deles não vai ficar obrigatoriamente mais rápida. O que importa aqui é que não será mais preciso dividir a largura de banda entre os usuários.

E falando em largura de banda, o Wi-Fi 6 traz canais de 160 MHz para aumentá-la e permitir que as pessoas tenham maior desempenho com baixa latência.

Menos interferência

Roteadores e outros equipamentos compatíveis com a nova tecnologia vão usar uma assinatura chamada de BSS Color, que ajuda a identificar pacotes de informações de rede. Dessa forma, será possível prevenir interferências de outras redes Wi-Fi.

Mas por que isso acontece?
Porque o roteador utilizado não consegue diferenciar pacotes de informação que são destinados a ele de pacotes que são parte de outras redes. Com esse recurso do Wi-Fi 6, os dispositivos serão capazes de ignorar dados que não são direcionados a eles, diminuindo as interferências.

Economia de energia

O Wi-Fi 6 chega com um recurso chamado Target Wake Time (TWT), que “dá permissão” para roteadores programarem horários de verificação de status dos dispositivos conectados a ele. Por isso, aparelhos com suporte Wi-Fi 6, principalmente celulares, gastarão menos bateria devido ao uso de internet, já que ficam inativos em vários momentos do dia.

 

Outros dispositivos como os computadores podem não sentir tanto esse benefício, pois quando estão sendo utilizadas, as máquinas enviam  sinal constante para os roteadores.

Mais segurança

Por fim, o protocolo WPA3 se tornou um requisito obrigatório para que os roteadores com suporte Wi-Fi 6 sejam certificados pela Wi-Fi Alliance. Ele introduz a criptografia de 192 bits para troca de dados, que aumenta a dificuldade de  rastreamento/hackeamento de informações enviadas de um ponto de acesso para smartphones, SmartTVs e outros dispositivos conectados, mesmo em redes sem senha. Esse tipo de criptografia está de acordo com o Commercial National Security Algorithm do Comitê de Segurança Nacional dos EUA.

No geral, o WPA3 traz mais segurança para o usuário e seu suporte é indispensável para que roteadores Wi-Fi 6 sejam comercializados.


Wi-Fi 6E [UPDATE]

Pouco menos de um ano após começarmos a falar sobre o Wi-Fi 6, temos mais uma grande novidade que deve impulsionar as características que já citamos nesse artigo. Recentemente, a FCC (Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos) anunciou a ratificação do padrão de internet Wi-Fi 6E nos EUA. O que é esse padrão? Você descobrirá abaixo.

23/04/2020 às 16:05
Notícia

FCC ratifica padrão de internet sem fio Wi-Fi 6E nos EUA

Nova geração de conexões vai utilizar banda de rádio de 6GHz

A diferença entre o Wi-Fi 6 e o 6E está, principalmente, na frequência das ondas de transmissão que eles podem utilizar. Tecnicamente, ambos tem a mesma velocidade máxima teórica - 9,6 Gbps - , mas,  enquanto dispositivos com o primeiro trabalham com espectros de 2.4GHz e 5GHz, o segundo introduzirá um terceiro: o espectro de 6GHz.

Para deixar mais claro: a rede de 2.4GHz é a mais comum de se encontrar, pois é a que tem o maior alcance de sinal. Porém, ela é bastante sujeita a interferências, o que resulta em inconsistência e menos velocidade. Já a banda de 5GHz tem menor latência, maiores velocidades e mais confiabilidade - mas seu alcance é menor.

"Esta é a decisão mais monumental em torno do espectro Wi-Fi em sua história, nos 20 anos em que vivemos." - Kevin Robinson, líder de marketing da Wi-Fi Alliance

 

Nessa linha, podemos esperar que a banda de 6GHz do Wi-Fi 6E forneça mais velocidade, responsividade e espaço. Como o The Verge menciona, "ele oferece não apenas uma nova faixa de ondas aéreas para os roteadores usarem, mas uma faixa espaçosa que não requer sinais sobrepostos, como em alguns canais Wi-Fi atuais". Isso porque consegue suportar até sete fluxos Wi-Fi de capacidade máxima sendo transmitidos simultaneamente, sem interferência entre si   

"O que realmente importa não são as frequências específicas (...), mas o tamanho de uma faixa de ondas aéreas disponível."

Esta é a maior adição de espectro desde que a FCC abriu caminho para o Wi-Fi em 1989 e irá quadruplicar a quantidade de espaço disponível para roteadores e outros dispositivos. Para ser mais exato, a FCC está abrindo 1.200 MHz de espectro na faixa de 6GHz. Nas últimas duas décadas, o Wi-Fi opera com aproximadamente 400 MHz de espectro - e todos os canais disponíveis precisavam ser divididos dentro disso. Os canais de 6GHz devem ter 160MHz cada.

A esperança é que o espectro mais amplo permita que os sinais permaneçam mais rápidos e mais fortes do que os que usamos hoje.

Segundo a Wi-Fi Alliance, o Wi-Fi 6E vai ser especialmente importante para o uso de Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR), que aproveitarão a nova rede para seu alto consumo de dados. Espera-se que os dispositivos comecem a suportar Wi-Fi de 6GHz até o final de 2020, mas a implantação deve realmente iniciar em 2021, quando a Wi-Fi Alliance começar a oferecer um programa de certificações.

Segundo Phil Solis, analista sem fio da IDC, é provável que os smartphones sejam os primeiros a adotar o Wi-Fi 6E. Em seguida, virão os tablets e as TVs em 2022. Todos os dispositivos Wi-Fi 6E devem ser  retrocompatíveis com qualquer roteador que você já tenha em casa. Mas, para realmente aproveitar os 6GHz, terá que começar do início e comprar um roteador Wi-Fi 6E, e um novo telefone, computador ou semelhante. Sem contar que terá que esperar até seu país abrir as ondas aéreas de 6GHz (afinal, elas são supervisionadas país por país e ainda é ilegal transmitir nessa frequência na maior parte deles). 

"6GHz se tornará parte integrante do Wi-Fi 6 e das gerações futuras de Wi-Fi." - Kevin Robinson 

 


Wi-Fi 6 x Wi-Fi Mesh

Outra tecnologia Wi-Fi que promete mais qualidade de sinal é o Wi-Fi Mesh. No entanto, ela é um pouco diferente do Wi-Fi tradicional.

26/12/2017 às 10:29
Artigo

Conheça a tecnologia WiFi Mesh, que promete resolver problema...

Modo de conexão está cada vez mais popular e eficiente

Um único roteador geralmente enfrenta dificuldades em fornecer sinal para toda a casa com a mesma qualidade, mesmo que você tenha gasto mais por mais alcance de rede.  Ele vai fazer a distribuição do sinal até alcançar seu limite, mesmo que a qualidade diminua. Uma das ideias do Wi-Fi 6 é amenizar esse problema, mas ainda não dá para adiantar resultados.

A solução Wi-Fi Mesh também é conectada em um roteador principal, mas conta com outros dispositivos Wi-Fi plugados pelo lugar para criar pontos de conexão.  Estes pontos funcionam quase como extensores ou repetidores (que amplificam e propagam o mesmo sinal principal), mas a diferença é que conseguem gerar ainda mais velocidade com perda mínima de sinal e conexão entre todos os pontos. Temos um artigo bem completo sobre a tecnologia MESH que pode ser visto clicando aqui.

Vamos pensar no caminho que esse sinal faria se o roteador estivesse na garagem da sua residência e você estivesse utilizando seu telefone conectado ao Wi-Fi no terceiro andar. Se aquele dispositivo for o único roteador da casa, o sinal vai chegar até você, mas provavelmente vai sofrer perda de qualidade (como se estivesse se esticando demais). Caso você tivesse plugado um ponto de acesso no terceiro andar, o Wi-Fi Mesh buscaria esse ponto e você poderia desfrutar do sinal como se estivesse próximo ao roteador principal. E se esse ponto estragasse, outros pontos da casa se reorganizariam para continuar mandando sinal na mesma potência.

As vantagens do Wi-Fi Mesh também são interessantes, principalmente questões como baixa manutenção e instalação fácil, mas ele também chega com preço relativamente alto (semelhante aos primeiros roteadores Wi-Fi 6). Como o Wi-Fi tradicional já está bem consolidado, mesmo com seus problemas, o Wi-Fi Mesh ainda precisa que o mercado cresça para se tornar realmente popular.

Se o Wi-Fi Mesh te interessou, você também pode conferir o artigo do Adrenaline sobre o assunto.


A 5G vai acabar com o Wi-Fi? [Atualizado]

E pergunta que vem fritando o cérebro de algumas pessoas: com sua chegada quase simultânea, pode a 5G matar o Wi-Fi?

Segundo a Extreme Networks, empresa fornecedora de equipamentos e serviços de infra-estrutura de redes, a resposta é não. Mesmo que números possam “provar” que um é melhor que o outro em variadas circunstâncias, as duas tecnologias têm focos de mercado diferentes até então.

Mesmo com a chegada do 5G, Wi-Fi não vai sumir tão cedo.

Uma pesquisa publicada em dezembro de 2018 pelo  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que 69,8% dos cidadãos do Brasil  - quase dois terços da população - têm conexão com a internet. O smartphone já é o principal meio de acesso para 97% desses usuários. Nesse contexto, o 5G tem vantagem sobre o Wi-Fi no ramo mobile, oferecendo alta mobilidade e alcance. Com o desenvolvimento da tecnologia LTE, esse tipo de sinal já está presente em quase todo lugar. No entanto, a complicação da 5G seria , ironicamente, a falta de serviços além dos smartphones (o primeiro notebook 5G do mundo foi anunciado na Computex 2019).

17/06/2019 às 12:56
Notícia

Apple pode estar interessada em comprar 5G da Intel para cons...

A Intel pode estar considerando a venda de peças de seus negócios em sua sede na Alemanha

O Wi-Fi, por sua vez, é uma rede empresarial. Tentar usar a 5G no ambiente corporativo levaria o tráfego de dados a transitar na rede da operadora, o que não é uma situação ideal, mesmo que esses dados estejam destinados a um servidor local.

Dessa forma, podemos ver a situação Wi-Fi versus 5G como ter um carro e uma bicicleta em casa: ambos tem vantagens um sobre o outro, dependendo do contexto. As duas tecnologias podem ser usadas no futuro para desenvolver uma única solução de conectividade sem fio, mas ninguém tem planos de aposentar o Wi-Fi a curto prazo.

[Atualização 24/04/2020]

E agora com os 6GHz?

Tecnicamente, a FCC abriu um novo espectro "não licenciado", ou seja, ninguém precisa de uma licença para usá-lo. Isso significa que outros dispositivos e tecnologias poderiam usar a banda de 6GHz e ocupar o espaço que o Wi-Fi 6E deseja. E sim, 5G é uma dessas tecnologias.

No passado, as operadoras de celular usavam espectros não licenciados para aumentar o espectro licenciado que constituía  suas redes sem fio - e talvez façam isso novamente,  sobrepondo o 5G  no espectro pensado atualmente para o Wi-Fi 6E. Mas, como já falamos, os dois padrões não estão necessariamente em disputa, então é muito cedo para pensar nisso.

"Há tanto espectro na faixa de 6GHz que deve haver espaço para ambos." - Phil Solis

 


Faltou alguma coisa?

Para fazer os artigos do Mundo Conectado, a pesquisa é longa, mas sempre pode passar alguma coisa. Se você conhece alguma informação sobre o Wi-Fi 6 que não está no texto acima, não deixe de compartilhar com a gente! 


Lista de fontes utilizadas para a criação deste artigo:

- Conheça a tecnologia WiFi Mesh, que promete resolver problemas de sinal em internet sem fio: https://adrenaline.com.br/2017/08/27/51032/conheca-a-tecnologia-wifi-mesh-que-promete-resolver-problemas-de-sinal-em-internet-sem-fio/

- Everything You Need to Know About WPA3 and Wi-Fi Security: https://www.makeuseof.com/tag/wpa3-wifi-security/

- Extreme Networks YouTube channel: https://www.youtube.com/channel/UCMtPKoR8ZCx9gdcDTqHj_iA/about

- Wi-Fi Alliance: https://www.wi-fi.org/discover-wi-fi/wi-fi-certified-6

- Seis perguntas e respostas sobre Wi-Fi mesh: https://www.techtudo.com.br/listas/2018/05/seis-perguntas-e-respostas-sobre-wi-fi-mesh.ghtml

- Speedtest Intelligence: https://www.speedtest.net/reports/brazil/#fixed

- This Week: WiFi 6 is Here!: https://www.cbtnuggets.com/blog/2019/02/this-week-wifi-6-is-here/

- Tudo sobre o protocolo WPA3 que deixa a Internet Wi-Fi mais segura: https://www.techtudo.com.br/noticias/2018/04/tudo-sobre-o-protocolo-wpa3-que-deixa-a-internet-wi-fi-mais-segura.ghtml

- Tudo sobre o Wi-Fi 6: quais são as vantagens do novo padrão de rede sem fio: https://olhardigital.com.br/noticia/wi-fi-6-o-que-e-e-como-funciona/83090

- Wi-Fi 6 (802.11ax): tudo o que você precisa saber sobre a nova geração wireless: https://www.hardware.com.br/artigos/wi-fi-6-802-11ax-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-a-nova-geracao-wireless/

- Wi-Fi 6: is it really that much faster?: https://www.theverge.com/2019/2/21/18232026/wi-fi-6-speed-explained-router-wifi-how-does-work

- Wi-Fi 6: What’s Different, and Why it Matters: https://www.howtogeek.com/368332/wi-fi-6-what%E2%80%99s-different-and-why-it-matters/

- Wi-Fi 6 at CES 2019: https://www.youtube.com/watch?v=kqKYIQlhSU4&feature=youtu.be

- What Is Wi-Fi 6 and Do You Need a New Router?:https://www.makeuseof.com/tag/what-is-wifi-6/

- Wi-Fi mesh e Wi-Fi tradicional: entenda as diferenças: https://olhardigital.com.br/noticia/wi-fi-mesh-e-wi-fi-tradicional-entenda-as-diferencas/80946

[Atualização 17/09/2019]

- Wi-Fi Alliance Officially Launches the Wi-Fi Certified 6 Program: https://www.techpowerup.com/259282/wi-fi-alliance-officially-launches-the-wi-fi-certified-6-program

- Samsung Galaxy Note10 and Note10+ are the first Wi-Fi Certified 6 smartphones: https://www.gsmarena.com/samsung_galaxy_note10_and_note10_are_the_first_wifi_certified_6_smartphones-news-39218.php 

[Atualização 03/03/2020]

- Wi-Fi 6 Explained: All You Need To Know about the latest 802.11 AX standard: https://www.gizmochina.com/2020/03/03/wi-fi-6-explained-all-you-need-to-know-about-the-latest-802-11-ax-standard/ 

[Atualização 24/04/2020]

- Wi-Fi is getting its biggest upgrade in 20 years: https://www.theverge.com/2020/4/23/21231623/6ghz-wifi-6e-explained-speed-availability-fcc-approval

User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Cientistas fazem teletransporte quântico de informações entre partículas de matéria

Cientistas fazem teletransporte quântico de informações entre partículas de matéria

Entrelaçamento foi usado quântico para transferir dados entre elétrons separados por alguma distância


Com Snapdragon 865 e 5G, Motorola Edge Plus chega ao Brasil R$ 7.999

Com Snapdragon 865 e 5G, Motorola Edge Plus chega ao Brasil R$ 7.999

Celular marca a volta da Motorola para o mercado de smartphones topo de linha


Liga de futebol espanhola tem torcida criada por computador para quem assiste pela TV

Liga de futebol espanhola tem torcida criada por computador para quem assiste pela TV

O campeonato possui sons personalizados para que os espectadores tenham melhor experiência


OnePlus confirma que o smartphone OnePlus Nord virá com o Snapdragon 765G

OnePlus confirma que o smartphone OnePlus Nord virá com o Snapdragon 765G

Pré-venda deve começar já nesta quarta-feira


Qualcomm lança plataformas Snapdragon Wear 4100 para smartwatches

Qualcomm lança plataformas Snapdragon Wear 4100 para smartwatches

Nova geração de SoCs para relógios inteligentes promete mais desempenho e experiências otimizadas