Impressão 3D é incrível, mas ainda não é tão simples

Impressão 3D é incrível, mas ainda não é tão simples

Não é só chegar e imprimir, você precisa gastar um bom tempo e dinheiro no aprendizado

Você já ouviu falar de impressão 3D, talvez não tenha se perguntado a fundo como funciona e nem o que é necessário para criar objetos 3D impressos, mas já deve ter uma ideia preestabelecida do que é. Antes de testar uma impressora, eu pensava que imprimir em 3D era algo muito específico e que era apenas utilizado em grandes empresas ou setores especializados. Na verdade, durante um bom tempo foi assim, mas isso está mudando, muitas pessoas já têm as impressões como hobby e outras até utilizam isso como uma maneira de conseguir uma grana.

Neste artigo eu vou compartilhar minha experiência completa com essa modalidade e explicar o básico que você precisa saber se quiser iniciar. É um apanhado de informações interessantes para quem está apenas curioso e também para quem quer começar a se aventurar.


Como funciona

Aqui na redação, nós recebemos a impressora FlashForge Inventor, um modelo mais completo de cerca de R$ 5.000. Mas calma, já tem modelos bem mais acessíveis no mercado, você pode procurar pela Finder da própria FlashForge e até mesmo por outros populares de outras marcas, tais como a Creality CR-10 e Ender-3. Essas duas últimas custam no máximo R$ 2.400.

As impressoras 3D estão cada vez mais simples de serem utilizadas, mas ainda são complexas

A FlashForge Inventor é um modelo mais completo, permite que você se conecte com ela via WiFi, tem uma câmera ip para monitorar o processo e também consegue trabalhar com dois filamentos ao mesmo tempo. Para você que já teve contato com uma impressora de tinta e papel, filamento é basicamente o cartucho, o material que ela utiliza para imprimir os objetos 3D.

Ele vem em rolos, é medido em kg e tem três tipos principais, cada um com diferentes propriedades físicas que precisam ser levadas em consideração antes da impressão: petg, ABS e PLA. Outros materiais podem ser utilizados, mas esses são os mais comuns. Sem entrar em detalhes na diferença entre cada um deles, é muito importante que você saiba com qual você está imprimindo e que configuração utilizará com ele. Cada rolo com cerca de 1,5kg custa em média R$100 reais.

Nós utilizamos PLA e até pegarmos o jeito da impressão, demorou. No começo utilizamos temperaturas erradas para o PLA, que precisa de temperaturas menores que o ABS para funcionar corretamente. Talvez pareça um pouco complicado ouvir sobre todos esses nomes, mas basicamente cada tem uma temperatura ideal para ser utilizado.

Impressora 3D FlashForge Inventor - Link de compra

Você coloca uma das pontas do filamento no extrusor da máquina, e essa peça da máquina será responsável por esquentar o material e fazer com que ele seja expelido pelo bico. Assim que sai do bico, como na imagem abaixo, o material está derretido, então a impressora recebe as coordenadas 3D e passa a desenhar o modelo. Pouco tempo depois, em temperatura ambiente, os fios voltam a ficar rígidos.

Se você não sabe modelar e nem tem um modelo 3D, é só procurar em inúmeros sites online que disponibilizam arquivos gratuitamente para impressão. Impressora, material de impressão e o objeto 3D, esses são os itens básicos que você precisar para imprimir. Depois de montar a impressora e carregá-la com os filamentos, basta procurar por um objeto 3D para imprimir. Se você é modelador e já tem algo que precisa imprimir, é só pegar esse objeto e levar para o software da impressora.

No vídeo abaixo eu explico esse processo:

Para imprimir em 3D você precisa basicamente de 3 itens

Os arquivos podem já vir configurados no padrão .stl (utilizados por softwares de impressáo 3D) ou em .obj mesmo. Ao receber o arquivo e abri-lo no software, ele vai fazer a leitura dele e prepará-lo para ser impresso. Nesse processo, acontece o slicing (ou fatiamento), em que ele determina como os espaços da impressão serão preenchidos de modo que dê sustentação, seja bem acabado e tudo corra bem.


Agora é só imprimir, certo?

Errado. Mesmo que você leia sobre, ache as configurações indicadas, configure os softwares, sua impressão não vai sair perfeita de primeira. Você vai precisar achar a configuração ideal para a sua impressora e o objeto que você quer imprimir. Cada objeto também precisa de um cuidado especial antes de ser colocado para imprimir, é necessário garantir que a base dele vai continuar sempre no mesmo lugar enquanto a impressão continua.

Não crie expectativa para a sua primeira impressão, ela tem bastante chance de dar errado

Então o que é necessário para conseguir acertar? Você precisa testar diferentes temperaturas para a plataforma de impressão, para o extrusor (peça que esquenta o filamento), e também prever o que pode dar errado com cada arquivo enviado.


Nossa primeira impressão 3D não saiu como o esperado

No caso abaixo, eu deveria ter configurado um preenchimento menos espaçado, isso porque ele é um brinquedo que depois de impresso precisa ter suas partes separadas. Como os espaços foram bastante preenchidos, ficou difícil separar as peças e a força feita teve que ser maior do que precisaria. Foi assim que eu acabei quebrando uma peça que demorou 10 horas para ser impressa. Essa é uma impressão articulada, algo muito bacana de se imprimir, mas algumas delas são bastante complexas.


Erro de impressão com objeto articulado

Às vezes você pode gastar horas imprimindo um objeto e ele pode simplesmente dar errado

As impressões demoram, e muito. Mesmo impressões simples podem demorar horas. Isso deixa o processo de aprendizagem muito mais demorado, porque leva tempo para você, como iniciante, perceber que a impressão vai dar errado e em certas vezes o erro pode acontecer depois de horas. O indicado, é achar uma configuração que funcione bem para a maioria dos casos e salvá-la.

A seguir eu comento um exemplo simples que ajuda a entender mais as dificuldades do processo. Eu modelei o logo aqui do site em 3D, ajustei tudo que imaginei que seria suficiente e coloquei ele para imprimir. Configurei para a impressora imprimi-lo em pé. Hoje, o erro é bastante claro pra mim, não há sustentação para a peça, ela descolou da plataforma e aí foi uma bagunça só. Por fim, descobri que o jeito era imprimi-la deitada. Outra opção era criar uma parede ou suportes, que podem ser gerados no próprio software.

Uma solução simples que muitas pessoas fazem para garantir que cada peça desenhada mantenha a base fixa, é colocar cola bastão na superfície de impressão. A plataforma da FlashForge já é áspera e dá certa aderência, mas isso não é suficiente em alguns casos. Utilizar cola bastão foi essencial para a nossa evolução e nós descobrimos isso conversando com um seguidor, Rodrigo Botelho, um rapaz muito talentoso e que você conhecer melhor logo abaixo.

Mas antes, eu preciso comentar um outro probleminha. As impressoras 3D ainda não estão prontas para imprimir com dois filamentos. É possível ter uma boa impressão com bastante esforço e com uma série de configurações. Mas na maioria dos casos ela vai acabar misturando as duas cores envolvidas no processo. Se você tiver um rolo com duas cores, vermelho e branco no exemplo abaixo, selecionar as partes que devem ser impressas nas cores escolhidas, elas vão acabar se misturando em alguns cantos.

O ideal, e que é o que a maioria que trabalha com 3D escolhe fazer, é imprimir os objetos separados e depois colá-los. Mesmo que a Inventor tenha a possibilidade de imprimir com dois filamentos e você possa selecionar que parte vai ser impressa em que cor no software, provavelmente você terá um problema semelhante como nas imagens acima. Ainda não estamos prontos para imprimir com perfeição em diferentes cores.


Um hobby para poucos

Sabendo das dificuldades e procurando o resultado, você pode se apaixonar pela impressão 3D. Assim que publicamos stories em nosso perfil do Instagram mostrando nossos testes, um dos nossos seguidores, Rodrigo Botelho, nos enviou algumas impressões dele pintadas à mão. Trocamos uma ideia com ele e sua ajuda foi essencial para entender as etapas a serem seguidas para que tudo saísse certo. Ele nos contou que para pintar, basta utilizar tinta acrílica fosca.

Como tive essas dificuldades, resolvi perguntar a ele, que já tem cerca de um ano de experiência e trabalhos muito muito bem acabados, sobre as dificuldades de começar na área. Perguntei se ele acha que é difícil aprender a imprimir em 3D, ele me disse que isso depende do conhecimento prévio da pessoa na área de informática e até mesmo em inglês e eletrônica. Também comentou que o começo pode ser dificultado também quando você escolhe um modelo de impressora que precisa ser montado (que não foi o nosso caso).


Daenerys Targaryen impressa e colorida por Rodrigo Botelho

Ele também falou que nos dias de hoje não basta apenas você colocar um modelo para imprimir e esperar que saia perfeito:

"Existem dezenas de configurações tanto na parte de software os chamados ''fatiadores'' tanto na parte de hardware que são ajustes mecânicos na própria impressora, se seu objetivo for extrair o máximo de qualidade e perfeição nas suas impressões se prepare pois pode ser bem estressante e desafiador, porém, não existe prazer maior de conseguir imprimir uma peça perfeita, uma obra prima." - Rodrigo Botelho, artista 3D

Uma dica dele para quem pretende aumentar seus conhecimentos na área é seguir canais no YouTube que falem apenas desse assunto. Essa dica realmente faz diferença, já que os processos ainda são cheios de "jeitinhos" que você precisa pegar, e só vendo a experiência de outros para saber o que fazer em alguns casos. Também é bacana procurar por tutoriais de pessoas que utilizam a mesma impressora que você, já que há características que variam.


Uma fonte de renda extra

Ter uma renda extra é sempre interessante, e maneiras criativas de fazer dinheiro sempre tendem a se destacar. Para o Rodrigo, isso é primeiro um hobby, e depois uma maneira de conseguir uma grana. Ele elogia a versatilidade de ter uma impressora do tipo, comenta que cria todo tipo de acessório para a sua casa, "já fiz um suporte para controle de Xbox One e até uma réplica do Machado de Kratos de God of War".

Mas se você quiser fazer dinheiro, é preciso ter algum diferencial e mais de uma impressora. Apesar de trabalhar em alguns projetos para empresas e vender algumas peças, Rodrigo diz que não é muito o foco dele, mas observando pessoas que empreendem na área ele nota algumas características:

"Pela minha experiência na área e vendo pessoas que trabalham nessa área, o segredo é saber e ter boa experiência no nicho que for investir.  Por exemplo, tem pessoas que usam impressoras 3D em petshop imprimindo DogTags personalizadas e modelos personalizados dos pets, outros imprimem logotipos em 3D personalizados para lojas e empresas, outros fazem artigos de decoração personalizados.... Vai da criatividade e saber empreender de cada um, mas  uma coisa é certa, você precisará ter uma farm de impressoras ou pelo menos duas delas para nunca ficar parado e sempre estar imprimindo para não perder os clientes causo uma delas parar."


Trabalho de Rodrido Botelho para uma empresa de aquários

Se você pensa em começar a empreender na área, talvez seja melhor começar como hobby e ver se há alguma possibilidade de transformar isso em um negócio. Até porque vai levar um bom tempo para você aprender a lidar com as diferentes configurações possíveis.


3D e o futuro

É praticamente indiscutível que o 3D terá inúmeras aplicações no futuro e que está se popularizando. A medicina está testando a impressão de órgãos com tecidos que imitam os feitos por nossas células, a engenharia e arquitetura estão começando a imprimir em aço e cada vez mais pessoas passam a se aventurar na impressão 3D. Seja como Hobby, ou profissionalmente, as três dimensões estão invadindo cada vez mais os nossos espaços e ficando ainda mais acessíveis.

Em Amsterdã uma empresa decidiu imprimir uma ponte em aço

O desenvolvimento de jogos, com ferramentas gratuitas de modelagem, animações e design, como Blender e Unreal engine, permitem que em casa as pessoas comecem a fazer seus próprios códigos e deem vida para projetos incríveis pessoais.

Em décadas passadas, apenas estúdios gigantes de animação conseguiam criar suas próprias animações, hoje os nossos computadores já são capazes de rodar, editar e reproduzir códigos de altíssima complexidade.

13/04/2019 às 18:00
Artigo

Mais dicas de impressão 3D para quem está começando!

Depois de quase dois meses de prática, finalmente estamos pegando o jeito

Um dia as câmeras foram apenas de grandes estúdios cinematográficos, se hoje cada um pode utilizar seu smartphone para criar seu canal no YouTube, ter equipamentos para desenvolver séries e até filmes, o que garante que nos próximos anos não teremos acesso a tecnologias complexas de motion capture, impressão 3D e animação?

Esse foi nosso primeiro artigo sobre o assunto, recentemente escrevemos mais sobre 3D e nossos métodos em um artigo. Em breve compartilharemos mais sobre essa tendência, fique de olho aqui no site, principalmente na tag impressora 3D.

Xerox planeja adquirir Hewlett-Packard (HP), diz jornal

Xerox planeja adquirir Hewlett-Packard (HP), diz jornal

União pode gerar economia de U$2 bilhões para as duas empresas


Impressora inovadora cabe na palma da mão e imprime em diversos materiais

Impressora inovadora cabe na palma da mão e imprime em diversos materiais

Produto está em financiamento coletivo e já superou em muito a meta inicial