Webcam: como escolher e o que levar em consideração antes de comprar uma

Entenda um pouco mais sobre este equipamento muito importante para os adeptos do home office

Webcam: como escolher e o que levar em consideração antes de comprar uma
Créditos: pixabay.com / MarcWinter

Com o advento do isolamento social em meados de 2020, e até mesmo neste momento, no qual muitas empresas estão retornando gradualmente as suas atividades presenciais, uma modalidade de prestação de serviços ficou mais popular do que nunca, e chegou para ficar: o home office.

Com as facilidades de poder desempenhar o seu ofício no conforto da sua casa, alguns equipamentos que antes não eram essenciais para o seu computador pessoal, agora são imprescindíveis, como a boa e velha Webcam — que se tornou um recurso disputado neste período conturbado. 

Contudo, muito mais do que uma simples câmera capaz de transmissões em tempo real pela internet, cada hardware possui as suas particularidades, e esses pontos precisam ser compreendidos, caso você pretenda suprir as suas necessidades eficientemente. Neste artigo, vamos ajudar você a escolher uma webcam indicando o que levar em consideração antes de comprar uma.

1. Resolução e taxa de quadros exibidos por segundo

Um dos principais aspectos para os usuários é a resolução. Atividades que envolvem a produção de vídeos elaborados, que necessitam de fidelidade visual, podem se beneficiar do Ultra HD, mais conhecido como 4K (3840x2160) comercialmente. Muito mais do que um mero capricho de entusiastas, a qualidade adicional pode ser útil em transmissões que demandam nitidez extra e preservação de detalhes que não seriam possíveis de outro modo.

(Créditos: blurayvid.com)

Tão ou mais importante quanto, temos a taxa de quadros exibidos por segundo. Muito conhecido por jogadores de consoles e PC, este aspecto define a fluidez que o vídeo será reproduzido. Uma gravação em Full HD (1920x1080), mas rodando a 60 FPS (Frames per Second / Quadros por Segundo), comparada com uma disponibilizada em 4K a 30 FPS, contarão com duas características notáveis: o primeiro exemplo, em 1080p, terá menos nitidez, mas será mais fluida do que o exemplar Ultra HD em 30 FPS. Isso acontece porque, quanto maior a taxa de quadros por segundo, melhor é a sensação de fluidez.

Em reuniões que exijam apenas boa definição de imagem, pode ser interesse investir em equipamentos com melhor resolução. Porém, caso seja fundamental a preservação de movimentos fluidos, pode ser interessante investir em um hardware com resolução inferior, mas capaz de uma taxa de quadros superior. Para entender o tópico com um exemplo simples, este vídeo serve como exemplo entre a diferenças apontadas acima, entre 30 e 60 FPS:

Continua após a publicidade

Algumas webcams, principalmente as mais acessíveis, podem apresentar também outra opção de qualidade: HD, também conhecida como 720p (1280x720). Neste caso, a comparação acima ainda é válida, e vale observar a necessidade de muita ou pouca nitidez nas suas transmissões online, para descobrir se vale a pena investir em um dispositivo com essa característica. As alternativas aqui serão: melhor fidelidade de imagem (Ultra HD ou Full HD), custando mais, ou adquirir uma câmera com menos robustez técnica.

E, claro: sempre é importante relembrar que, por melhor que seja a qualidade do seu dispositivo, um ambiente adequadamente iluminado é recomendado para extrair o melhor resultado.

2. Microfone embutido

Outro recurso importante, principalmente para chamadas de home office, é a presença de microfones embutidos. Apesar de serem convenientes, pois dispensam a necessidade da compra de hardwares dedicados adicionais para que uma reunião online completa possa ser iniciada, a qualidade é um aspecto que deve ser ressaltado.

Opções que oferecem áudio unificado à webcam, normalmente, oferecem uma experiência sonora menos interessante do que microfones dedicados, podendo ser um empecilho caso seja necessária alta fidelidade neste aspecto. 

3. Foco fixo e automáticos

Dois tipos de foco são encontrados em webcams atuais: automático e fixo. Cada uma apresenta características distintas, mais convenientes em situações específicas. A opção automática ajusta uma pessoa por vez, ou um objeto nitidamente, enquanto o restante da imagem é distorcido / borrado. Esta é uma adição que geralmente custa um pouco mais; contudo, é adequada para profissionais que precisam demonstrar produtos em videochamadas, porque a adaptação automática oferece agilidade.

Já o fixo baseia-se em pessoas e/ou objetivos em uma distância pré-definida. É indicado para chamadas com aspectos estáticos, sem a necessidade de enquadramento de outros indivíduos ou itens, e que estão em um ambiente que não sofre muitas alterações — como em reuniões de trabalho, nas quais a interação não depende de aspectos visuais dinâmicos.

4. Ângulo de visão

O campo de visão não deve ser negligenciado. Esta é a característica responsável por definir a área que será exibida em uma transmissão. Alguns aspectos devem ser compreendidos:

  • Ângulo fechado (60 graus): a melhor opção para enquadramentos com apenas uma pessoa, como em videoconferências de trabalho, não sendo necessário que muitos indivíduos e/ou objetos estejam em um mesmo ambiente;
  • Ângulo Intermediário (78 graus): possibilita enquadrar até duas pessoas simultaneamente. Interessante para transmissões com um apresentador e um painel demonstrativo;
  • Ângulo aberto (90 graus): ideal para enquadrar até três indivíduos, ou em cenários que necessitem da presença simultânea de outros objetos importantes para a filmagem.

Continua após a publicidade

5. Recursos extras e características adicionais

Os aspectos mais importantes foram mencionados acima, mas isso não quer dizer que não existam outras funcionalidades interessantes que possam ser cogitadas no ato de aquisição. Quanto mais robusto o equipamento, a possibilidade de recursos extras estarem presentes no pacote aumenta. Os recursos podem ser desde funções que facilitam a gravação e a edição, ou mesmo filtros e outras opções de software.

Normalmente, profissionais dessas áreas de atuação possuem licenças de aplicativos de edição que dispensam quaisquer funcionalidades deste segmento em equipamentos dedicados. Ainda assim, podem ser interessantes para aqueles que usam os dispositivos casualmente, e não sejam especialistas.

Mais importante do que os softwares são os ajustes extras nas próprias câmeras. Ou seja, a possibilidade de girar sobre o próprio eixo, para direcionar facilmente para cima, para baixo ou para as laterais, assim como possíveis suportes que possam ser colocados no próprio monitor, ou estabilizados na mesa. Notebooks que oferecem webcams embutidas não dispõem de muitas dessas liberdades usualmente, todavia, ao adquirir um hardware proprietário, abrem-se diversas possibilidades.

Independentemente da sua escolha, inúmeras opções estão presentes nas lojas. Em um passado não muito distante, os desabastecimentos afetaram as tão comentadas câmeras. Atualmente, aos poucos a disponibilidade foi restabelecida, e os usuários podem escolher, novamente, analisando as suas prioridades.

Fonte: blurayvid.com, g1.globo.com

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.