NASA: Conheça projetos que podem mudar o futuro das missões espaciais
Créditos: Motagem: NIAC 2022 Phase I and Phase II Selections

NASA: Conheça projetos que podem mudar o futuro das missões espaciais

Agência Espacial financia conceitos inovadores e novas tecnologias para alavancar a descoberta do universo

Você sabia que a NASA (National Aeronautics and Space Administration) tem um programa que financia as melhores ideias no campo de astronomia e astronáutica para, possivelmente, serem usadas em missões futuras? Isso mesmo, a Agência Espacial Norte-americana está sempre buscando projetos inovadores e tecnológicos que possam mudar a forma como exploramos o espaço.

O programa Innovative Advanced Concepts (NIAC) da NASA — ou Conceitos Avançados Inovadores, em português — financia estudos que estejam em fase inicial para avaliar seu potencial, sejam eles conceitos aeroespaciais melhorados ou inteiramente novos. Ele foi fundado em 2011 como sucessor do Instituto de Conceitos Avançados e tem anunciado bolsas milionárias para engenheiros, pesquisadores e empresários que possam apresentar tecnologias interessantes e de vanguarda. Em março deste ano, a NASA selecionou e anunciou os mais recentes projetos contemplados, com prêmios que, somados, chegam a US$ 5,1 milhões (aproximadamente R$ 24 milhões na conversão direta atual).

As ideias vão além dos já conhecidos rovers para explorar nosso planeta vizinho Marte, que é um dos corpos mais estudados por nós e objeto de descobertas constantes. Os conceitos dos projetos variam e propõe inovações em diversos setores, como viagens espaciais, aprimoramento de trajes para viver no espaço, descoberta de materiais mais resistentes e conceitos novos na área de computação, robótica e instrumentalização.

Existem, por exemplo, projetos selecionados que propõe pequenos robôs de escalada para entrar cavernas que ficam sob a superfície de Marte, ou até micro robôs impressos em 3D capazes de nadar para explorar os oceanos de luas como a Titã, de Saturno. Outro projeto apresenta ainda uma nova maneira de usar energia nuclear para naves espaciais — e por aí vai.

A seguir, vamos destacar algumas tecnologias futurísticas bem interessantes que participam do programa da NASA. Os projetos foram destacados no site americano The Next Web.

Transformando asteroides em espaçonaves autônomas

O Projeto RAMA propõe uma maneira diferente e bem pretensiosa de explorar o sistema solar: pegando uma carona em asteroides modificados para servirem como espaçonaves gigantes. Os planos da equipe envolvida envolvem transformar elementos de asteroides em autômatos programados. Ou seja, usar robôs inteligentes que se acoplam no asteroide e começam a “montar” uma mini nave ao redor daquela pedra. A ideia é reduzir os custos de lançamentos terrestres, já que a tecnologia seria fabricada e montada no espaço mesmo.


Imagem: Made in Space, Inc. Projeto RAMA, NIAC

Continua após a publicidade

Robô metamorfo

O protótipo desse projeto foi apelidado de “Shapeshifter”, que, como os fãs de filmes de ficção científica devem reconhecer, significa algo ou alguém capaz de mudar sua forma. Um metamorfo. Ele traz o conceito de um robô com capacidade de se transformar em diferentes dispositivos. Ele seria, basicamente, um composto redondo formado por unidades robóticas menores capaz de "nadar", mas que permite que essas unidades se separem e se transformem em robôs voadores (como drones). Essa proposta pretende ajudar na exploração de diversos tipos de ambientes nos planetas vizinhos e outros corpos celestes, como terrenos rochosos e montanhas ou mares profundos.


Imagem: NASA/JPL-Caltech/Marilynn Flynn

Bloqueador de luz no espaço

A NASA também está patrocinando estudos de um "bloqueador de luz gigante", ferramenta que seria muito útil para estudar a imensidão do espaço. Essa tecnologia poderia ajudar os astrônomos na observação dos corpos celestes e suas interações. Segundo o projeto, o dispositivo seria capaz de bloquear a luminosidade de uma estrela projetando uma espécie de sombra sobre ela, mas sem bloquear a luz nos planetas "em volta". Os criadores do projeto defendem que esse recurso será um marco para o desenvolvimento de estudos sobre os planetas.


Imagem: John Mather

Trajes espaciais do futuro

Falando sobre tecnologias inovadoras para roupas de astronautas, que comentamos na introdução, tudo indica que a NASA está apoiando o desenvolvimento de trajes espaciais inteligentes. Atualmente, trajes de astronautas são robustos e pesados demais, até mesmo para o espaço com gravidade zero. Um dos projetos que pretende solucionar essa questão no futuro é o SmartSuit, que incorpora a chamada “robótica suave” no traje, com pele autor regenerativa elástica e sensores integrados que coletam e exibem dados em tempo real.

O kit foi projetado especificamente para missões humanas em Marte. Essa é uma das ideias que mais se assemelham aos filmes de ficção científica.


Imagen: Dr. Ana Diaz-Artilez

Coletor de lixo espacial

E quanto mais humanos e missões são enviadas para o espaço, mais lixo é descartado no nosso sistema solar, infelizmente. Estudos apontam que já existem aproximadamente 100 milhões de pedaços de detritos extraterrestres com pelo menos 1 milímetro de tamanho espalhados pelo espaço. Já não basta poluir na Terra, a humanidade também está lotando o resto do universo com lixo. E isso é um problema.

Por isso, um dos projetos selecionados pela NASA é o Brane Craft, uma espécie de limpador de lixo espacial dinâmico. Em uma comparação simples (e nem tão justa), é como se o dispositivo fosse um aspirador robô, que coleta o lixo em sua “órbita” e depois queima os detritos na atmosfera da Terra.


Imagem: Joseph Hidalgo, The Aerospace Corporation

Continua após a publicidade

O mais impressionante é que o projeto promete ser super fino, se parecendo com uma folha gigante de papel no espaço.

Industrialização do espaço

Outra tecnologia inovadora dentro do programa da NASA consiste em uma técnica chamada Optical Mining. Ele usa a luz solar concentrada para transformar materiais de asteroides em propulsores de foguetes. Isso permitiria que espaçonaves pudessem ter acesso à combustível de uma maneira mais fácil, já que seria só “diluir o material dos asteroides”. Seria, basicamente, uma forma de industrializar o espaço, segundo a agência espacial.

Gerador portátil de oxigênio

O último projeto inovador que vamos listar aqu também tem a ver com visitas ao planeta vermelho. Se trata de um gerador portátil de oxigênio!

08/02/2022 às 19:10
Vídeo

Ficção científica ou realidade? Cientistas criam bolha de dob...

Mas por enquanto nada de nave espacial, apenas em nanoescala - e em laboratório

Para colonizar nosso planeta vizinho no futuro (se isso for realmente possível), será necessário lidar com vários empecilhos, começando pela atmosfera e oxigênio insuficiente para humanos respirarem como na Terra. Pensando nisso, um professor e pesquisador da Arizona State University, Ivan Ermanoski, apresentou uma proposta para criar um gerador portátil de oxigênio.

O sistema usa um processo chamado sorção/dessorção de oscilação térmica (TSSD) para gerar oxigênio a partir da atmosfera marciana. Segundo ele, o processo utiliza 10 vezes menos energia do que os principais métodos atuais. Essa tecnologia pode ser um dos passos iniciais para criar uma realidade de humanos habitando Marte. E esse gerador de oxigênio poderia servir tanto para ambientes como cúpulas quanto para equipamentos portáteis.


Imagem: Ivan Ermanoski

Fonte: The Next Web
User img

Mariela Cancelier

Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Atualmente é redatora e roteirista de tecnologia para o Mundo Conectado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.