Retrospectiva 2021: Metaverso, Windows 11, turismo espacial, e o que mais bombou neste ano

Retrospectiva 2021: Metaverso, Windows 11, turismo espacial, e o que mais bombou neste ano

Relembre os acontecimentos mais marcantes e aproveite para se aprofundar nos assuntos

O ano vem chegando ao fim e aqui no Mundo Conectado nós preparamos uma retrospectiva dos principais acontecimentos deste ano no mundo da tecnologia.

Entre os destaques, podemos citar a mudança de nome da empresa Facebook, a chegada do Windows 11, a Corrida Espacial 2.0 Billionaires Edition e um apagão global das redes sociais do Zuckerverso.

Esta retrospectiva 2021 do mundo da tecnologia é perfeita para se aprofundar em assuntos que talvez você tenha perdido neste ano. Além disso, como são assuntos de relevância, é legal ficar por dentro para os próximos anos, já que a maioria terá desdobramento em 2022.


Canal de Suez bloqueado por um navio

17/12/2021 às 14:39
Notícia

Retrospectiva 2021 no Deezer: veja quais foram as músicas que...

Para quem gosta de música, final de ano é aquele momento de conferir tudo que você ouviu

2021 começou um pouco… parado. Em 23 de março, um navio cargueiro de 400 metros de comprimento fez um drift e bloqueou o Canal de Suez, uma das principais vias marítimas do mundo que serve de atalho para navios que fazem a rota Europa-Ásia e vice-versa. 

O porta-contêineres Ever Given ficou encalhado por seis dias! O bloqueio do canal gerou um engarrafamento de diversos navios. Por consequência, se não tem navio chegando nos seus destinos, não tem encomendas chegando nas casas dos compradores. E isso impactou a economia global. SEIS DIAS de impacto em todo o mundo por causa de um navio, cuja retirada só aconteceu no dia 29 de março. Foi estimado que cada hora que o Ever Given estava encalhado gerava mais de 400 milhões de dólares de prejuízo. Quase 2,3 bilhões de reais! E o Egito ganha por volta de 15 milhões de dólares por dia com as taxas de travessias do navio. O país perdeu 90 milhões de dólares nesses seis dias.


Fonte: Divulgação/Maxar Technologies

Continua após a publicidade

O que é "doido" é que geralmente eventos catastróficos como guerras, desastres naturais ou políticos causam impactos em larga escala na economia global. E neste caso foi "apenas" um navio que perdeu o controle na travessia do Canal de Suez e fechou tudo. O Ever Given só chegou em Roterdã, seu destino original, em julho, 4 meses depois.

Algumas publicações nossas sobre o assunto:

E vamos lá: entre os mais de 400 navios parados alguns deles levavam cargas vivas, animais. Foi estimado que 200 mil animais ficaram na fila e correndo risco de morrer de fome. Não foi confirmado se houve morte de animais, até apuramos diversas notícias da época, mas só se falava do risco. Depois que o navio foi liberado, as notícias sobre os animais continuam falando do risco de morte, e não se elas de fato aconteceram.

Desde o incidente, o Ever Given passou duas vezes pelo Canal de Suez: a primeira foi voltando para a Ásia, no dia 10 de agosto, depois de chegar em Roterdã. O navio ficou entre outubro e novembro fazendo reparos na China. Ainda na Europa ele já tinha passado por reparos. A segunda passagem em Suez aconteceu no dia 12 de dezembro, em direção a Roterdã. O Ever Given só passará pelo canal novamente em 2022.


Facebook muda de nome

Em 28 de outubro Mark Zuckerbeg anunciou duas grandes novidades para o Facebook, no caso a empresa dona do Facebook rede social, Instagram e WhatsApp. A Facebook Incorporated mudou de nome para Meta. Assim como a dona do Google e todos os outros serviços como YouTube, Gmail e Drive se chama Alphabet, a dona de tudo referente ao Facebook agora se chama Meta.

Algumas publicações nossas sobre o assunto:

E a escolha do nome não foi por acaso. O objetivo de Mark Zuckerberg é investir na criação do metaverso dos seus serviços. A gente tem aqui no canal um vídeo explicando sobre o que é o metaverso (veja mais abaixo) e o quais os planos do Facebook (da Meta) para esse tipo de universo virtual.

Continua após a publicidade

Basicamente Mark Zuckerberg quer cada vez mais ser o dono da internet e que seus produtos sejam o sinônimo dela. O Metaverso da Meta quer ser um espaço virtual em que as pessoas possam interagir, ir para festas virtuais, encontros virtuais, tudo virtual. Até mesmo reuniões de trabalho serão realizados no metaverso, em que todos terão seus avatares personalizados. Confira mais sobre isso no vídeo que fizemos sobre o tema.


WhatsApp, Facebook e Instagram caíram

Falando em Facebook, semanas antes do anúncio da mudança de nome e da criação do metaverso, as redes sociais da empresa, todas elas, o Facebook, WhatsApp e Instagram ficaram fora do ar por sete horas

A causa da queda foi um problema nos roteadores da empresa que acabou gerando outro problema nos servidores das redes sociais, que usa um sistema para todas elas. Então uma falha nos servidores do WhastApp, por exemplo, significa que Facebook e Instagram também sofrerão uma falha. 

A falha foi tão catastrófica para os usuários que até os funcionários da empresa ficaram sem entrar na sede do Facebook, tudo isso porque o sistema de acesso digital também caiu. E para gerar mais problema para o Zuckerberg, boa parte dos funcionários está em home office, por isso demorou para corrigir o problema. A empresa teve que enviar engenheiros de outras partes dos Estados Unidos até a sede na California para, de maneira bem simplificada, resetar o sistema.

Aqui no Brasil a queda do WhatsApp impactou a diversos micro e pequenos empresários que usam o aplicativo para vender produtos, conversar com clientes, agendar horários dos seus serviços, entre outros. Um exemplo real foi da minha psicóloga que utiliza o WhatsApp para fazer as consultas online. 

O Brasil é o sétimo país que mais usa o WhatsApp. Por causa dessa dependência, o Procon-SP chegou a multar em 11 milhões de reais a Meta (o Facebook) pela falha nas redes sociais, alegando que teve uma má prestação de serviço.

Algumas publicações nossas sobre o assunto:


Chegada do Windows 11

Neste ano a Microsoft lançou o Windows 11. Aqui no Mundo Conectado fomos o primeiro site a mostrar o novo Windows no YouTube. Essa nova atualização do sistema operacional trouxe algumas novidades, mas nada muito grandioso. Tanto que houve algumas críticas chamando de “Windows 10 2”.

O que podemos destacar dessa novidade é a nova loja da Microsoft, que trouxe melhorias e parcerias com a Amazon e Epic para oferecer aplicativos de terceiros. Agora é possível baixar aplicativos de celulares, como o TikTok e Instagram e até mesmo jogos. A Microsoft Store teve uma grande melhora em relação a sua versão anterior.

No design o Windows 11 também ganhou algumas mudanças, ele tem bordas mais arredondadas nas janelas e a barra de tarefas ficou centralizada por padrão. Isso pode ser alterado depois que você instala.

Um ponto interessante do Windows 11 é que ele teve uma otimização para o uso de duas telas. Antigamente ao desconectar a segunda tela, as janelas voltavam para a tela principal. Agora o Windows minimiza as janelas da tela que foi removida e abrem ela na segunda tela caso você conecte o outro monitor novamente.

Ele realmente pode parecer um “Windows 10 2”, mas ele teve mudanças boas. Se justifica ou não uma grande atualização, uma mudança de nome, diga para nós aí nos comentários.

Algumas publicações nossas sobre o assunto:


O ano dos smartphones dobráveis

A nova geração do smartphone dobrável da Samsung não traz grandes novidades de especificações e desempenho. O Galaxy Z Fold 3 já está na terceira geração, mas ele merece estar na retrospectiva pela sua evolução na resistência e durabilidade. Esses são pontos que botam um novo patamar para os rivais que querem lançar um smartphone dobrável que atende também o público do tablet.

O primeiro Z Fold não era bem um produto de qualidade para algo que traz essa inovação que são os celulares dobráveis. Mas agora a Samsung acertou na mosca no quesito de resistência. O grande problema dos dobráveis é que justamente pelo seu formato eles acabam sendo mais frágeis por causa da tela que… bem, dobra, e nas partes das dobradiças, que acabam com aberturas e deixam uma porta de entrada para poeira e água. 

Para a tela, a Samsung trouxe a proteção Gorilla Glass Victus. Ainda dá de ver o vinco, a marca em que a tela dobra, mas isso não impacta tanto a usabilidade e nem a durabilidade. Talvez ainda demore uns dois anos até a Samsung conseguir eliminar isso e a empresa já trabalha nesse objetivo.

As dobradiças do Z Fold 3 ganharam mais força e é quase impossível dobrá-lo ao contrário. Um vídeo que ficou famoso neste ano foi o do Jerry Rig Everything, que faz testes de resistência bem extremos em smartphones. Ele é um cara "maromba" e tentou dobrar o celular ao contrário, falhando na tentativa mesmo fazendo muita força. Dobradiças mais resistentes são fundamentais não só para evitar que o celular quebre no meio, que seria o extremo do extremo de um acidente, mas para proteger a tela de sofrer rachaduras por fazer um movimento contrário daquele que ela foi projetada.

O Z Fold 3 ganhou resistência IPX8, que quer dizer que ele pode ser submerso até um metro e meio e ficar 30 minutos embaixo da água. A Samsung conseguiu essa resistência vedando as aberturas com borrachinhas. Ele ainda sofre com areia e poeira, mas o IPX8 já é um grande avanço para esse tipo de smartphone que vai se popularizar nos próximos anos. 

A Huawei já tem o Mate Xs que foi um fracasso. A Apple tá trabalhando no seu primeiro dobrável e a Xiaomi lançou o Mi Mix Fold neste ano, mas esse tá bem longe do Z Fold 2 e 3. Não dá para garantir que dobráveis serão o futuro, mas esses modelos vão se popularizar e será comum você pesquisar um novo smartphone e botar um dobrável entre as opções. Hoje não, porque está muito caro.


Crescimento do turismo espacial

Blue Origin, SpaceX e Virgin Galactic: você com certeza leu, viu ou ouviu alguma coisa sobre essas três empresas privadas do ramo aeroespacial. E ainda chuto que isso que você viu sobre elas foi das viagens espaciais levando turistas, pessoas civis, sem nenhuma relação com agências espaciais.

Ali em julho tivemos dois lançamentos de viagens turísticas ao espaço com uma semana de diferença. Primeiro o dono da Virgin Galactic, Richard Branson, viajou a bordo da VSS Unity SpaceShip Two em 10 de julho. O voo da empresa foi do tipo suborbital, em que não chega a completar um giro ao redor do planeta, é como se chegasse no limite da atmosfera da Terra, dá um “toca aqui!” para o espaço e volta. Neste tipo de voo a nave faz uma parábola, um arco. Enquanto no voo orbital a espaçonave é capaz de circular o planeta, orbitando como um satélite mesmo

A SpaceShip Two atingiu 84 quilômetros de altura e ficou por volta de 4 minutos no espaço antes de retornar à terra. Que foi menos tempo que o voo da Blue Origin que teve o Jeff Bezos, dono da empresa e da Amazon.

Bezos viajou 10 dias depois e ficou 10 minutos no espaço, chegando a 107km de altura. Com essa altitude, a Blue Origin passou da Linha de Kárman, uma linha imaginária criada pela Federação Internacional de Aeronáutica que marca a divisão entre a atmosfera e a Terra. Então aí tem uma disputa se o voo do Branson realmente conta como voo espacial. 

A Blue Origin também levou o William Shatner para o espaço no seu segundo vôo comercial. Esse senhorzinho que bateu o recorde de pessoa mais velha no espaço com 90 anos ficou famoso por interpretar o Capitão Kirk em Star Trek.

19/07/2021 às 21:37
Notícia

Blue Origin: assista ao vivo o lançamento do foguete com Jeff...

Lançamento será transmitido ao vivo pela emissora CBS News no YouTube a partir das 9h15

Para fechar a tríade dos pioneiros do turismo espacial, temos Elon Musk. Claro que o criador da SpaceX não ficaria de fora dessa. A espaçonave Crew Dragon Resilience levou quatro civis a uma altitude de 585 quilômetros. Eles ficaram dois dias orbitando a Terra, igual a tripulação da Estação Espacial Internacional. Esse turismo espacial foi bem mais que passar da fronteira entre atmosfera e espaço, ver a curvatura da terra por minutos e voltar. Foi uma experiência bem mais astronáutica, por assim dizer.

E para você? Qual foi o maior acontecimento de 2021? Diga para nós aqui nos comentários!

User img

Felipe Freitas

Felipe Freitas é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mas, segundo quase todo mundo, tem cara de quem fez Sistemas. Começou nos jogos com o SNES do seu tio, nunca passou da parte da montanha em Legend of Legaia e adora jogos com histórias bem feitas. Não perde a chance de fazer uma Jojo Pose.

User img

Neri Neto

O universo geek faz parte do dia a dia, da vida, deste jornalista. Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, Neri Neto é responsável por conteúdos diversos no Mundo Conectado. Ele adora tecnologia, cinema, games e descobriu ainda na infância que a linguagem dos vídeos seria perfeita para falar de tudo que ama.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.