DJI Mini 3 Pro, Mini 2, Mini SE e Mavic Mini - Qual drone comprar?

Todos pesam abaixo de 250 gramas, mas diferenças de tecnologias são grandes

DJI Mini 3 Pro, Mini 2, Mini SE e Mavic Mini - Qual drone comprar?

Qual drone DJI comprar? Essa é uma dúvida de muitos interessados em comprar um drone. Entre as primeiras opções estão os modelos da linha Mini. Eles são pequenos, leves, versáteis e com preços mais baixos entre os modelos da DJI. Mas qual modelo de drone da DJI escolher? Quais as diferenças de drones Mini da DJI? Qual o drone da DJI mais barato? Porque os preços dos drones são tão diferentes? Como meu primeiro drone escolho o Mavic Mini, o Mini SE, o Mini 2 ou  o Mini 3 Pro? Nesse artigo vou ajudar você nessa escolha.

A DJI tem atualmente quatro drones pesando abaixo de 250 gramas: o Mavic Mini (lançado em 2019 por US$399), Mini SE (lançado em 2021 por US$299), Mini 2 (lançado em 2020 por US$449) e o recém lançado Mini 3 Pro (lançado em 2022 por US$769). Nessa mesma linha a empresa tem seu drone mais barato, o Mini SE (US$299), que é bem diferente do Mini 3 Pro, apesar de pesos e tamanhos bem parecidos.

Nesse artigo irei destacar as principais diferenças entre os quatro modelos de drones compactos da DJI, e ajudar você que está pretendendo comprar um deles, sendo essa uma pergunta que me fazem bastante: Qual DJI Mini comprar? Adianto que existem diferenças bem importantes, especialmente entre o novo Mini 3 Pro e Mini 2 para os outros dois modelos.

A principal proposta dos drones da linha Mini é: peso abaixo de 250 gramas

 

Desde o lançamento do drone Mavic Mini, em 2019, primeiro da DJI pesando menos de 250 gramas, esse segmento de produto começou a ganhar muito destaque porque tem preços mais baixos dos que os modelos de porte maior, e também porque em alguns países os drones que pesam abaixo de 250 gramas tem uma legislação mais branda para voar. No Brasil não faz diferença, ao menos com a legislação atual, já que esses modelos são encaixados na mesma legislação de drones maiores e mais pesados. Por aqui o que vale é o "peso máximo de decolagem" e não o "peso de decolagem", e todos eles conseguem voar com peso acima de 250 gramas através de acessórios oficiais, como um protetor de hélices. Adiante falarei um pouco mais sobre a legislação.

O nome "Mini" ficou tão popular e característico para drones abaixo de 250 gramas, que outras empresas também passaram a utilizar "Mini" no nome, como o Hubsan Zino Mini SE, Hubsan Zino Mini ProFIMI X8 Mini. A Autel Robotics também tem uma linha concorrente, porém no caso dela não utiliza Mini no nome, sendo chamados de Autel EVO NANO Series, com dois modelos, EVO Nano e EVO Nano+.

Link de compra do DJI Mini 3 Pro
Link da Loja DJI

Em se tratando de preços, no Brasil existe uma variação muito grande porque algumas modelos chegam via Paraguai ou sites chineses, enquanto outros via canal oficial, nesse último caso com custo bem superior, afinal tem o custo alto de impostos, a garantia e assistência. O diferencial de comprar em canais oficiais é que além da garantia e assistência, os drones já trazem homologação da Anatel, necessária para o processo de voo com um drone dentro da lei no Brasil.

Continua após a publicidade

Reviews em vídeo e demais conteúdos

Antes de falar das diferenças, quero lembrar que temos análises e vários conteúdos sobre todos esses modelos. Em meus vídeos reforço os principais destaques e faço comparações importantes, além de mostrar na prática como é o comportamento e qualidade de imagens em fotos e vídeos de cada um, além de outras tecnologias que eles possuem.

- Análise em vídeo do Mini 3 Pro
- Unboxing em vídeo do Mini 3 Pro

- Análise em texto do Mini 2
- Análise em vídeo do Mini 2
- Compacto com melhores imagens capturadas com o Mini 2
- Qualidade em fotos do Mini 2

- Unboxing em vídeo do Mini 2

- Análise em vídeo do Mini SE
- Unboxing em vídeo do Mini SE

- Análise em vídeo do Mavic Mini

Design do Mavic Mini, Mini SE e Mini 2 é muito parecido, mas Mini 3 Pro mudou bastante

 

Continua após a publicidade

Tabelas com especificações dos drones DJI Mini

Abaixo, tabelas com as principais especificações dos quatro modelos. Como já destacado, reparem que o Mavic Mini e o Mini SE têm praticamente as mesmas especificações, isso porque os modelos são bem parecidos, com o Mini SE recebendo pequenas otimizações sobre o Mavic Mini, que não é mais produzido. O Mini 2 dá um salto em tecnologias comparado com o Mavic Mini e Mini SE, e o Mini 3 Pro eleva ainda mais essas diferenças, sendo um drone muito mais completo do que todos os demais, com o mesmo nível de tecnologias do Air 2S.

Preços

Preço no lançamentoU$ 759,00 10/05/2022U$ 449,00 16/11/2020U$ 299,00 11/06/2021U$ 399,00 30/10/2019
Preço atualizadoR$ 7.599,00 16/07/2022R$ 2.700,00 05/05/2022R$ 2.046,00 15/07/2021R$ 2.777,00 12/08/2021

Ficha Técnica

Autonomia máxima de voo34 / 47 minutos31 minutos30 minutos30 minutos
Bateria do droneLi-ion 2453 / 3850 mAhLiPo 2S, 2250 mAhLiPo 2S, 2250 mAhLi-ion 2S, 2400 mAh
Tempo de carga da bateria56 / 78 minutos80 minutos
Distância de controleO3, 12.000 metrosOcuSync 2.0, 10.000 metros4.000 metros4.000 metros
Resolução de transmissão1080p 1080p 720p 720p
Velocidade máxima57,6 Km/h57,6 Km/h46,8 Km/h46,8 Km/h
Resistência ao ventoEscala 5 - 8.5 - 10.5 m/s ou 30 - 37,8km Escala 5 - 8.5 - 10.5 m/s ou 30 - 37,8km Escala 5 - 8.5 - 10.5 m/s ou 30 - 37,8km Escala 4 - 8 m/s ou 28,9km
Sensor da câmera48MP, 1/1.3 CMOS, f/1.7, FOV 82º, 24mm, ISO 100-6400 (manual), HDR 1/2.3 CMOS, 12MP f/2.8, FOV 83º, 24mm, ISO 100-3200 12MP, 1/2.3" CMOS, f/2.8, 100-1600 (auto) 100-3200 (manual) 12MP, 1/2.3" CMOS, f/2.8, 100-1600 (auto) 100-3200 (manual)
Resolução de vídeo4K 60FPS, 1080p 120FPS, ISO 100-6400 (manual), FOV 82°, 150 Mbits, HDR 4K 30FPS, 2.7k 60FPS, 1080p 60FPS, 100Mbits 2.7K 30FPS, 1080p 60FPS, 40 Mbps, 100-3200 2.7K 30FPS, 1080p 60FPS, 40 Mbps, 100-3200
Formato dos vídeosMP4/MOV (H.264/H.265) MP4/MOV (H.264/MPEG-4 AVC) MP4 (H.264/MPEG-4 AVC) MP4 (H.264/MPEG-4 AVC)
Formato das fotosJPEG/DNG (RAW) JPEG/DNG (RAW) JPEG JPEG
Sistema de estabilizaçãoGimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw) e Giro 90º da câmera Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw) Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw) Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw)
Funções automáticasActiveTrack 4.0, Point of Interest 3.0, Spotlight 2.0, Mastershots, Quickshots Quickshots Quickshots
Sensores de detecçãoFrontal, traseiro, inferior (APAS 4.0) Embaixo Embaixo Embaixo
Sensor ADS-BNÃO NÃO NÃO NÃO
Armazenamento de dadosmicroSDXC microSDXC microSDXC microSDXC
Quick Transfer25 MB/s 20 MB/s NÃO NÃO
Controle por gestosNÃO NÃO NÃO NÃO
Live StreamSIM SIM SIM SIM
GPSGPS, Galileo, BeiDou GPS, Galileo, Glonass GPS, Glonass SIM
Tamanho guardado145 x 90 x 62 mm140 x 82 x 57 mm140 x 82 x 57 mm140 x 82 x 57 mm
Tamanho aberto245 x 171 x 62 mm202 x 160 x 55 mm202 x 160 x 55 mm202 x 160 x 55 mm
Peso de decolagem249 gramas242 gramas249 gramas249 gramas
App de controleDJI Fly DJI Fly DJI Fly DJI Fly
Controles suportadosRC-N1, RC (RM330) RC-N1 MR1SS5 (FCC), MR1SD25 (CE)
Extras Carregador USB-C de 30W Carregador de 29W Carregador de 18W Quickshots


Todos os modelos Mini da DJI pesam abaixo de 250 gramas

Esse perfil de drone foi criado porque a legislação de vários países considera que modelos que pesam abaixo de 250 gramas podem deixar de lado alguns procedimentos obrigatórios para voar, já que pelo tamanho e peso, oferecem menos perigo em eventuais colisões ou em uma queda.

No Brasil o que vale é o peso de decolagem máximo e não peso de decolagem, e isso muda o enquadramento dos drones

 

Mas no Brasil, ao menos por enquanto, a legislação para voo desses drones é a mesma que para os demais. Explicando de uma forma bem clara, "peso máximo de decolagem" é o peso que o drone consegue decolar com acessórios oficiais da fabricante, ou seja, se o drone consegue voar com protetores de hélices lançados pela própria DJI e os mesmos fazem o peso final ficar acima de 250 gramas, o drone é enquadrado como um modelo mais pesado, como o Air 2S ou Mavic 3 por exemplo.

Já o "peso de decolagem", que é considerado na maioria dos países, é nada mais do que o peso que o drone tem na hora do voo, não importa se ele possui ou não acessórios que deixam ele mais pesado.

Drones: Leis e regulamentação - Veja o que é necessário para decolar seu drone

Nós temos um artigo sobre a legislação necessária para voar com drones dentro da lei, que envolve desde o cadastro das aeronaves à abertura de registro para voar com elas. Além disso, tem os locais onde é proibido voar com drones por questão de segurança, como próximo a um aeroporto ou locais urbanos com aglomeração de pessoas. Vale a pena conferir esse artigo se é novo nesse meio

DESIGN dos modelos Mini

Quando fechados, todos os modelos possuem praticamente o mesmo tamanho. O Mavic Mini, Mini SE e Mini 2 são praticamente idênticos na parte física, com poucos detalhes que os diferenciam, além do nome impresso no corpo do drone. Já o Mini 3 Pro mudou bastante o formato frente aos três primeiros modelos lançados, com um design bem diferente.

Entre as diferenças do Mini 3 Pro, agora é possível abrir e fechar os braços em qualquer ordem. Nos demais, é necessário antes abrir/fechar os braços de trás e depois os da frente, caso contrário os frontais travam os braços de trás. Uma característica que se manteve igual é que nenhum deles traz um FAN interno, ficando por conta da corrente de ar resfriar o drone.

Sempre lembrando: drones são produtos que possuem uma série de funções, logo precisam de um "processador" para fazer todos os cálculos, e esse processador esquenta, especialmente quando em uso por bastante tempo. Existe um limite de temperatura que um chip aguenta, sendo necessário algum meio de dissipação. Modelos de drones maiores como os da linha Air já trazem ventiladores para esse processo. Até mesmo concorrentes, como os modelos EVO Nano, também possuem. Já a DJI não tem ventilador em nenhum modelo Mini, ficando por conta de aberturas de ar a dissipação do calor. Vale ainda ressaltar que eles tendem a esquentar mais quando estão ligados sem voar, do que em voo, justamente pela corrente de ar gerada em movimento.

Outro detalhe é que entre os quatro modelos, apenas o Mini 3 Pro traz sensores de obstáculos, além da câmera que fica na vertical.


Diferenças das câmeras para fotos e vídeos

As câmeras têm diferenças bem importantes, especialmente quando comparamos o novo Mini 3 Pro e o Mini 2 com os outros dois modelos.

A câmera do Mini 3 Pro naturalmente é a melhor entre os quatro modelos, afinal estamos falando de um drone recém lançado e mais caro que os demais. Como destaque, ele traz um sensor de 1/1.3 polegadas com abertura f/1.7, que garante fotos e vídeos em melhor qualidade com pouca iluminação. Em vídeos, a câmera consegue gravar em resolução 4K e 60FPS, além de FullHD (1080p) a 120FPS, interessante para cenas de alta velocidade. Já em fotos, os 48MP vão garantir imagens com mais detalhes. Associado a essa alta resolução, a DJI adicionou zoom digital de 4x, que pode ser útil em alguns cenários. Perfil D-Cinelike e HDR também são diferenciais porque entregam imagens melhores para pós produção, importante para usuários que buscam drones com câmeras  mais "profissionais", guardadas as devidas proporções nesse caso.

Outro diferencial é que a câmera do Mini 3 Pro pode girar 90º, entregando imagens com a resolução total em formato vertical. Essa possibilidade é interessante especialmente para uso das imagens em redes sociais como Tiktok, Instagram Reals, Youtube Shorts e outras ferramentas focadas em consumo por smartphones.

A câmera do Mini 3 Pro naturalmente é melhor, com a do Mini 2 oferecendo boa qualidade também

 

Na escadinha depois temos o DJI Mini 2, drone que tem uma câmera muito boa e que vai atender a maioria do usuários, suportando gravação de vídeos em resolução 4K 30FPS e 2.7K 60FPS, contra no máximo 2.7K 30FPS do Mini SE e Mavic Mini. Outro detalhe muito importante e que faz o Mini 2 ser consideravelmente melhor é que a câmera dele tem bitrate de 100Mbps, enquanto o Mavic Mini e Mini SE tem bitrate de 40Mbps. Na prática, menor bitrate quer dizer qualidade inferior, sendo muito importante um bitrate alto em resoluções altas, que vai garantir maior quantidade de detalhes.

Quando o assunto é fotos em formato RAW, apenas o Mini 2 e o Mini 3 Pro trazem suporte. Os outros dois modelos oferecem suporte apenas ao formato JPEG. Fotos em formato RAW permitem melhor controle na edição, o que pode ser muito importante dependendo do uso do drone.


Diferenças dos 3 controles que podem acompanham os quatro drones

O controle do Mini 2 e do Mini 3 Pro é o RC-N1. Esse controle tem se tornado um padrão da empresa, sendo o mesmo de modelos como o Mavic Air e Air 2S. O RC-N1 é um controle maior com o smartphone fixo na parte superior. O Mavic Mini e o Mini SE tem o controle bem menor, com o smartphone fixo na parte inferior. Esse controle é compatível apenas com os dois modelos.

Do ponto de vista de portabilidade, ponto positivo para o controle menor. Porém ele tem autonomia de bateria bem inferior e peca por não trazer botões como de troca do modo de voo, disponível apenas no app. Já o controle RC-N1 do Mini 2 e Mini 3 Pro é maior e sai um pouco do conceito compacto do drone, porém tem uma "pegada" muito boa e autonomia de bateria bem maior.

Junto com o lançamento do Mini 3 Pro, a DJI lançou o controle RC, que tem como destaque uma tela integrada. Esse controle não precisa mais de um smartphone associado para controlar o drone, tornando o processo mais prático em alguns cenários. Por enquanto o controle DJI RC suporta apenas os modelos Mini 3 Pro e Mavic 3, não sendo compatível com o Mini 2.


Distância de controle pode ir de 4 Km a até 12 Km dependendo o drone

Aqui temos uma das grandes diferenças junto com a câmera. O Mini 2 alcança até 10 km de distância de controle, muito longe e maior até mesmo do que a autonomia de voo para ida e volta com uma bateria. Mas o que mais se destacada na tecnologia de comunicação entre drone e controle, chamada OcuSync 2, é que, além da longa distância, ela proporciona uma estabilidade excelente, mesmo em locais urbanos. Drones como o Mavic Mini e Mini SE, que tem como distância máxima de controle os 4 km, podem sofrer perdas de sinal em menos de 1 km. Enquanto um drone baseados em OcuSync 2 chega a uma distância 5, 6 vezes maior sem problemas. O Mini 3 Pro traz suporte à tecnologia O3 (OcuSync 3) e pode alcançar até 12 km de distância de controle.

Cuidado com FCC e CE
Os modelos possuem duas versões cada, chamadas de FCC (The Federal Communications Commission) e CE (European Conformity), nome das certificações dependendo do mercado onde ele é lançado ou o que o país onde ele é lançado adota.

A versão FCC é a indicada sempre que possível, porque proporciona uma experiência melhor no que diz respeito à comunicação e distância de controle do drone, alcançando até o limite informado pela DJI no cenário máximo do drone: 4 km no caso dos modelos Mavic Mini e Mini SE, 10 km no Mini 2 e 12 km no Mini 3 Pro.

Sempre que possível opte pela versão FCC, fique atento a esse detalhe

 

Distância de controle suportada pelas versões FCC e CE em cada modelo:
- Mavic Mini: FCC = 4Km   /   CE = 2Km
- Mavic SE: FCC = 4Km   /   CE = 2Km
- Mavic 2: FCC = 10Km   /   CE = 6Km
- Mavic 3 Pro: FCC = 12Km   /   CE = 8Km

Já a versão CE tem como uma das principais restrições a distância de controle de no máximo 2Km nos modelos Mavic Mini e Mini SE. Ainda é uma distância muito boa para a maioria dos casos, porém naturalmente se existe a opção de escolha, optar pela FCC é mais interessante.

Com a tecnologia de comunicação OcuSync 2.0 presente no Mini 2, a distância em FCC alcança 10Km. Isso é muito bom, já que em distâncias intermediárias o sinal de comunicação é bem melhor que com a tecnologia do Mini SE por exemplo.

O Mini 3 Pro já traz suporte à tecnologia OcuSync 3, uma versão melhor de comunicação que permite que o drone voo até 12Km de distância máxima, isso considerando FCC. Curiosamente, no Brasil, parece que a distância máxima é a CE, de 8Km, já que o drone tem duas bandas de conexão, 2,4GHz e 5,8GHz. Sendo 5,8GHz FCC, quando o drone está mais perto, mas mudando para 2,4GHz quando o drone se afasta, e por aqui essa banda considera o CE, limitando em 8Km a distância máxima. De qualquer forma já é uma distância muito grande e como sempre falo em reviews, tirando os testes de long range, não tem muito porque ficar enviando o drone tão longe, já que o tempo de captura de imagem fica limitado, tirando logicamente o trajeto de ida e volta.


Resistência ao vento escala 5 em três modelos - mas um merece mais atenção

Quando o Mavic Mini chegou, um de seus maiores problemas era a resistência ao vento, com nível escala 4, suportando até 28,9 Km/h. O Mini 2 chegou suportando ventos escala 5, ou seja, até 37,8 Km/h. O recém lançado Mini SE teve atualização dos motores comparado com o Mavic Mini e também passou a suportar esse nível de resistência ao vento, muito importante e que pode salvar o drone em determinadas situações como destaque na review do Mavic Mini.

O nível de resistência ao vento escala 5 é o mesmo de drones de porte maior da DJI, como Air 2/S, Mavic 2 e Mavic 3. Mas apesar desse nível de resistência ao vento, recomendo cuidado já que se trata de um drone de porte pequeno e bastante leve, logo ele não consegue se comportar tão bem como um drone maior e com motores mais fortes como o Air 2/S e modelos maiores.

O Mini 3 Pro também chegou com suporte a escala 5 contra o vento. Em nossos testes, além do problema do drone ter que brigar contra o vento, o gimbal também pode sofrer trepidação e influenciar na captação das imagens.

Mavic Mini é o único Mini da DJI que tem suporte a vento escala 4, ou seja, é mais fraco

Quem tem o drone Mavic Mini precisa ter cuidado porque entre todos os Minis ele é o único que não suporta escala 5. No caso do Mavic Mini, o suporte ao vento é escala 4, e com isso o drone é mais fraco em voos com ventos fortes. Durante a review do drone eu tive problemas nesse sentido e quase perdi o drone. Soube que outras pessoas tiveram o mesmo problema, inclusive com perda do drone, então fica a dica para ter atenção redobrada com esse modelo.


Tempo de autonomia de voo entre 30 e 47 minutos entre os quatro modelos

O Mavic Mini tem autonomia de voo de até 30 minutos, com uma bateria do tipo Li-ion de 2.400 mAh, o único modelo recente da DJI que utiliza esse tipo de tecnologia. Já os modelos Mini 2 e o Mini SE compartilham a mesma bateria de 2.250 mAh do tipo LiPo, que entrega até 31 minutos de voo no Mini 2 e 30 minutos no Mini SE.

Pequenos, mas com boa autonomia de voo

 

O Mini 3 Pro trouxe uma novidade em baterias de drones da DJI. Ele tem duas versões: uma de 2.543 mAh com até 34 minutos e uma de 3.850 mAh com até 47 minutos, novamente do tipo Li-ion.

Vale destacar que esses tempos de voo são informados pela DJI para uma situação no melhor cenário possível, mas normalmente na prática o tempo fica abaixo do informado. Os testes consideram uso da bateria até descarga total, porém todo drone da DJI desse perfil tem um comando automático para pousar ao chegar em 10% restante, só ficando voando no ar se o piloto mantiver os sticks de controle para cima.

Normalmente o tempo de voo fica cerca de 20% abaixo do indicado pela fabricante considerando os 10% restante de bateria.


Mini 3 tem recursos de modelos mais caros que outros Mini não possuem

Os modelos Mini, tradicionalmente, sempre tiverem quantidade menor de funcionalidades que os demais modelos da DJI, ao menos até o lançamento do Mini 3 Pro, que chegou mudando esse conceito. Entre os motivos dos drones Mini não suportarem o mesmo nível de tecnologias está o preço, afinal de contas, mais tecnologias significam mais custo, mas também a própria questão do tamanho e peso.

Na medida que as tecnologias foram evoluindo, e o próprio conceito de drones Mini foi ganhando mais mercado e popularidade, inclusive por parte de modelos concorrentes da DJI, drones menores com sensores de obstáculos foram se tornando mais comum.

Entre os Mini da DJI, apenas o Mini 3 Pro tem sensores de obstáculos

O Mini 3 Pro chegou para mudar isso e colocou a DJI com um produto tão bom quanto seus concorrentes, primeiro Mini da DJI a trazer sensores de obstáculos, disponível em três direções, frontal, embaixo e atrás. Os sensores adicionam ao drone um nível bem maior de segurança, já que nas direções que os sensores conseguem enxergar o drone pode conseguir evitar uma colisão, mas também adicionam novas funcionalidades, como onde o drone se desvia de obstáculos durante o trajeto, incluindo a famosa função ActiveTrack, também chamada de função seguir, que faz o drone seguir um alvo definido pelo piloto (uma pessoa, animal ou mesmo carro), se desviando de arvores, outras pessoas etc durante o trajeto. Essa tecnologia funciona bem considerando as limitações, que estão no manual de cada modelo.

Além de funções relacionadas aos sensores, o Mini 3 Pro tem suporte a todos os modelos Quickshots de seus irmãos maiores, com as mesmas opções do Air 2S e Mavic 3. Outra novidade é o MasterShots, que também está disponível no Mini 3 Pro, assim como no Air 2S e Mavic 3.


Hyperlapse e fotos panorâmicas

Apenas o Mini 3 Pro dos 4 modelos Mini da DJI suporta vídeos em formato Hyperlapse, função que pode gerar vídeos acelerados bem legais. Para esse tipo de situação os demais drones só conseguem um resultado semelhante com algum aplicativo ou programa para gerar o processo.

Outra funcionalidade muito legal em drones são as fotos panorâmicas, que permitem aumentar bastante o que a câmera do drone consegue enquadrar em uma foto. Como acontece com outras funcionalidades, existe uma diferença de opções dentro de cada um deles, ficando por conta dos mais caros a maior quantidade de funcionalidades. No caso das fotos panorâmicas o Mini 3 Pro novamente é o modelo que mais possibilidades.


App DJI Fly é suportado por todos os modelos Mini

O aplicativo para controle de todos os quatro drones é o DJI Fly, que foi lançado junto com o DJI Mavic Mini lá no final de 2019, desde então, passou a ser o aplicativo oficial de controle para todos os últimos drones destinados ao segmento não profissional. Temos um artigo sobre o DJI Fly, interessante para quem ainda não conhece o app e quer se aprofundar um pouco mais, com algumas dicas e situações que podem acontecer com o uso do aplicativo.

DJI Fly - Download, instalação e funções do app para controle de drones

No artigo também destaco o fato da necessidade de download do app direto do site da DJI para os usuários de dispositivos Android, já que ele não está mais disponível na loja do Google desde o inicio de 2021. Além do artigo em texto, tenho um vídeo bem completo explicando praticamente tudo que o app oferece, de configurações a instalação de firmware e opções disponíveis nos drones.


Qual drone DJI Mini vale mais a pena comprar?

Naturalmente, essa é a pergunta que todos querem resposta, especialmente quem não conhece drones e procura seu primeiro modelo. A resposta como em muitos casos está associada ao quanto você pode gastar. De todos os modelos, o único que não tem mais lógica a compra, tirando se surgir uma oportunidade de produto usado em boas condições, é o Mavic Mini, afinal ele é o primeiro e com o maior número de limitações.

Quem optar pelo Mini SE vai ter um drone com toda a expertise da DJI nesse tipo de produto, e engana-se quem acha que isso não é um importante diferencial. No mesmo preço do Mini SE é possível encontrar modelos como os drones FIMI X8 Mini que teoricamente tem tecnologias superiores (A FIMI é uma submarca da Xiaomi), porém, na prática, a brincadeira é outra. O Mini SE tem câmera teoricamente inferior, menos funcionalidades e distância de controle menor, mas em praticamente todos esses cenários ele se sai melhor, especialmente no controle, responsividade aos comandos e até estabilização do drone em voo.

O Mini SE é um bom drone, mas, gastando um pouco mais, o Mini 2 será uma escolha bem melhor

 

Se tiver um pouco mais de grana, recomendo fortemente optar pelo Mini 2, drone que tem uma série de tecnologias superiores ao Mini SE. Destaco a câmera de maior qualidade, o sistema de transmissão entre drone e controle, que é muito superior, e proporcionam ao drone ir mais longe e também entregam uma estabilidade de conexão muito melhor, além do controle melhor e várias funcionalidades extras. O Mini SE é um bom drone, mas a DJI limitou várias de suas funções, como a distância dos modos Quickshots, que são bem limitadas no Mini SE frente ao Mini 2 e outros modelos. A diferença de preço entre esses dois drones não é muito alta, mas na prática o Mini 2 é um modelo bem melhor.

Se dinheiro não é problema, o Mini 3 Pro é a melhor escolha com certeza!

 

Por fim o Mini 3 Pro já é um modelo bem acima do Mini 2, ficando no mesmo nível de tecnologia do Air 2S, muito porque o Mini 3 Pro também traz sensores de obstáculos e com isso várias funcionalidades extras, além de tornar o drone mais seguro. O sistema de comunicação, a autonomia de bateria, e naturalmente a câmera melhor, que além de entregar uma qualidade acima dos demais em condições com pouca iluminação, também se sai melhor quando o assunto é mais detalhes. Outro ponto a ser destacado é a câmera que fica na vertical, interessante para quem viaja e curte publicar os conteúdos em redes sociais. Lembro ainda que o Mini 2 e o Mini 3 Pro trazem suporte a tecnologia QuickTransfer, que permite copiar os arquivos do cartão do drone para o smartphone de forma rápida e prática, sem nenhum cabo. Essa tecnologia funciona bem melhor com o Mini 3 Pro.

DJI QuickTransfer: Como funciona e benefícios

Preços no Brasil e fora do país

Nós estamos no Brasil, onde a variação de preços é gigante por dois motivos. O primeiro é que existem os drones que chegam via Paraguai e China (Aliexpress, Banggood etc), e os drones nacionalizados via canais oficiais, que passam por todo o processo de legalização e com isso uma série de encargos, que naturalmente fazem os preços ficarem mais altos. O outro motivo é o dólar, que eventualmente gera uma mudança brusca de preço,  talvez quando ver esse artigo se considerar os preços em reais verá uma diferença grande por isso.

Não tem como comparar a compra de lojas chinesas contra canais oficiais se analisar apenas o preço. O que naturalmente é melhor em canais oficiais é que junto com os encargos o produto tem que ter alguns critérios de venda, entre eles a garantia de 12 meses e assistência nacional, algo que pode ser bem importante. Nós já tivemos problemas com um FIMI X8SE que "morreu" após apenas 2 voos durante uma atualização, a compra foi feita na Banggood e não teve jeito de estornar o valor, e em um caso mais recente com um Autel EVO Nano+, que veio com problema no FAN. Nesse último caso devolvemos o drone e estamos esperando o processo de estorno do valor se concretizar para poder falar. O custo de envio do produto de volta foi de R$198, e será discutido após chegar ao vendedor.

Comprar da China é mais barato se não for taxado, mas não tem a mesma garantia e Anatel de fábrica

Voltando aos preços. O Mavic Mini (que saiu de linha com a chegada do Mini SE) foi lançado por US$399. O Mini SE foi lançado por US$299 e hoje é o drone mais barato da DJI. Acima dele temos o Mini 2 com custo a partir de US$449, por fim o Mavic 3 Pro custando a partir de US$769. Em todos os casos são considerados os kits standard, que traz o drone, uma bateria, o controle e cabos e hélices extras, kit que proporciona voar sem outros acessórios, com exceção do smartphone com o app DJI Fly instalado, necessário em todos os modelos.

Canais oficiais dão 1 ano de garantia e certificação Anatel

Os preços de canais oficiais costumem ser bem mais caro, as vezes até mesmo o dobro do que lojas da China. Já do Paraguai normalmente tem a comissão de quem traz de lá, ou seja, mais caro que da China, isso caso a compra passe sem taxação da alfandega, que acontece, alias, deveria acontecer sempre considerando a lei, mas que em muitos casos não acontece, o motivo a principio é mão para taxar tudo que chega da China. Um Mini 3 Pro que pode ser encontrado por cerca de R$5.400 na China(se ele não for taxado), aqui custa R$7.599.

A decisão de compra está em cima do quanto você valoriza o suporte nacional e da sorte em precisar dele ou não, e se o drone vai ou não ser taxado pela alfandega. A taxação pode inclusive fazer ele custar tanto quanto aqui, e ainda ficar com uma garantia bem aquém de um modelo comprado em canais oficiais.

Site da Loja DJI, canal oficial de vendas no Brasil

A DJI voltou ao Brasil de forma oficial, agora com representação pela Multi. Para os interessados na compra de produtos da DJI, seja drone, ou mesmo gimbals e câmeras de ação, vale a pena conferir o site www.lojadji.com.br, que só comercializa produtos homologados, com garantia e certificação. Esse é um dos canais mais seguros atualmente para comprar um produto DJI no Brasil.

Outro ponto crucial, se o drone não for comprado em canal oficial ele precisa ser homologado. A homologação de drones na Anatel é obrigatória para voar dentro da lei, alias, é apenas um dos processos. Quando recebemos drones de fora do país fazemos nossas homologações com o Guilherme Maia, um dos principais especialistas no assunto no Brasil. Esse processo precisa ser feito em qualquer modelo comprado no Paraguai, China ou qualquer outro local. Vale ainda destacar que muitos vendedores de sites como Amazon e Mercado Livre vendem modelos importados, sem homologação, e que também precisam passar por esse processo para ficar dentro da lei. O valor atual da homologação é de R$265.

Recomendo a compra dos kits Fly More, que deixa tudo melhor!

 

Kits mais completos chamados de Fly More também estão disponíveis, trazendo sempre como destaque uma bag (case, mochila), duas baterias extras, um hub de carregamento das baterias e mais hélices extras. Esses kits podem vir junto com o drone, ou no caso do Mini 3 Pro de forma separada e em duas versões, já que ele tem duas opções de baterias, a padrão e a Plus. Esses kits são praticamente obrigatórios em minha opinião, porque proporcional a organização do drone e acessórios, trazem as baterias extras e também o hub para carregar todas as baterias sem ter que ir trocando elas. Vale ainda destacar que se comprar o que vem nos kits Fly More de forma separado fica mais caro do que nesse pacote.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.