Teste cego de câmera com Xiaomi Mi 11 e POCO F3

Teste cego de câmera com Xiaomi Mi 11 e POCO F3

Tente adivinhar qual celular fez cada foto

A câmera é um dos itens mais avaliados antes de uma compra, um celular que tem um bom custo-benefício pela qualidade de sua câmera acaba se destacando.

Para muitas pessoas, não importa muito se o celular for feio, tiver uma tela baratinha desde que consiga fazer fotos excelentes.

Grande parte disso tem relação com as redes sociais, queremos literalmente sair bem na foto. Ou ainda, compartilhar os momentos das nossas vidas aproveitando o melhor ângulo possível.

As redes sociais têm grande impacto na escolha de um celular, vivemos em um momento em que Instagram e outras redes que valorizam a imagem estão muito presentes.

Sendo assim, sempre damos aquela atenção especial em câmera nas nossas análises, nossa análise do POCO M3 teve mais de 50 fotos de exemplo para você saber se ele é bom de foto.

Mas será que vale você gastar mais por um celular com uma câmera melhor?


Xiaomi Mi 11 vs POCO F3

A Xiaomi, uma das maiores fabricantes de celulares do mundo, tem duas divisões com estratégias diferentes no mercado.

Continua após a publicidade

A POCO, que mira no maior custo-benefício possível no mercado e a sua marca principal que oferece aparelhos variados e inclui seus topos de linha.

Recentemente, testei o Xiaomi Mi 11, que apresenta tecnologias de ponta da empresa chinesa.

Na sequência, comecei a testar o POCO F3, que se posiciona entre os melhores da submarca.

Em uma breve saída para tirar fotos percebi que as imagens feitas pelo POCO F3 se saíram bem e fiz um breve comparativo com as fotos tiradas com o Mi 11.


O teste cego

Para ressaltar:

O POCO F3 custa: ~R$2000
O Xiaomi Mi 11 custa: ~R$R$5000

Será que vale a pena você desembolsar R$3000 a mais para ter o Mi 11?

Este é um comparativo simples! São algumas poucas fotos e mostramos muitos ambientes. Ainda assim, serve para reflexão e mostra que é importante você pesquisar qual é a melhor qualidade do celular que você busca comprar.

Imagens

Continua após a publicidade

Foto1


Foto 2


Foto 3


Foto 4


Foto 5


Foto 6


Foto 7


Foto 8


Foto 9??????


Foto 10


Foto 11


Foto 12


Foto 13


Foto 14


Foto 15


Foto 16


Foto 17


Foto 18


Foto 19


Sobre o comparativo

Sim, este foi um comparativo simples, não levou em consideração muitos aspectos. Ainda assim, ele é válido para fazer algumas reflexões.

E também, não são verdades absolutas, apenas pensamentos que este pequeno teste mostra.

Primeiro, acredito que a maioria de vocês conseguiu identificar as escolhas de pós-processamento de cada aparelho e se guiar por isso no resultado.

A maioria foi acerto no comparativo, mas não muito. Em 51% das vezes, as pessoas que fizeram este comparativo acertaram.

Sendo sincero, minha conclusão é de que você precisa pensar muito antes gastar 2 mil reais a mais. Você tem que precisar muito de mais desempenho.

A usabilidade da câmera do POCO F3 é boa, o tempo de resposta do aplicativo nativo não é muito inferior ao do topo de linha e consegue entregar muito.


Impacto e redes sociais

Também acredito, mas posso estar enganado, que as fotos confundiram bastante a cabeça de algumas pessoas pela qualidade próxima.

E parte disso é justamente porque as imagens enviadas aqui passaram por compactação, assim como as redes sociais fazem com nossas fotos quando compartilhamos elas.

Ou seja, no dia a dia, a não ser que você trabalhe com imagem e precise de muito mais detalhe, utilizar o POCO F3 ou o Mi 11 será tão diferente.

Vivemos consumindo conteúdo em tela pequena. Metade das fotos incríveis que você vê no Instagram mostram que não são tão detalhadas assim quando exibidas em telas maiores ou visualizadas com zoom.

E enquanto isso pode ser muito claro para quem já entende o funcionamento das redes sociais, pode não ser tão óbvio para quem nunca parou para pensar. Então por isso o comentário.

Também sobre o impacto das redes sociais e a formação de opinião sobre preferência. É bom destacar que o POCO F3 apela para outro ponto que se mostra favorável em muitos casos.

O celular intermediário abusa da saturação, e como já vimos em outros testes cegos, a maioria das pessoas prefere este tipo de foto em comparativos. Este é outro fator que provavelmente ajudou a fazer com que o POCO F3 ganhasse destaque neste comparativo.

Desta forma, a escolha do pós-processamento é fundamental. O Mi 11 é mais neutro, mas captura muito detalhe. Com o modo 108MP, combinado com um bom app de edição ou com os filtros, é possível criar fotos incríveis.

 


O que vale a pena?

Você precisa de mais desempenho? Quer jogar com ainda mais qualidade, com uma tela ainda melhor, um acabamento premium? Se você não abre mão de nenhum quesito, é claro que a opção ideal é a mais cara.

Mas se você quer só foto, procure um celular que tenha focado nisso. Só não economize muito no desempenho, já que boas especificações também acabam auxiliando na fluidez do sistema e também no resultado final.

Confira nossa análise com o Xiaomi Mi 11

Topos de linha compensam pelo conjunto da obra, você vai esperar menos para que qualquer tarefa do seu celular acabe mais cedo.

Além disso, outro fator fundamental, mesmo em fotos, é levar em consideração o desempenho noturno. E neste quesito o Mi 11 não se saiu nada mal. Já o POCO F3, não testei à noite, mas pretendo fazer este teste em seguida.

User img

Neri Neto

O universo geek faz parte do dia a dia, da vida, deste jornalista. Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, Neri Neto é responsável por conteúdos diversos no Mundo Conectado. Ele adora tecnologia, cinema, games e descobriu ainda na infância que a linguagem dos vídeos seria perfeita para falar de tudo que ama.

Análise do Samsung GALAXY S21 ULTRA: tela INCRÍVEL e câmeras para TODAS AS SITUAÇÕES

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.