ClubHouse: o que é e como funciona a nova rede social do momento
Créditos: Captura de tela da CNET

ClubHouse: o que é e como funciona a nova rede social do momento

Até agora, apenas usuários de sistema operacional da Apple podem usar o app

Já fazia algum tempo que esperávamos o surgimento de uma nova rede social para chamar a atenção da internet e, recentemente, isso aconteceu. O nome da vez é ClubHouse, app de conversar por áudio para quem se interessa nesse modo de se comunicar. Porém, muitas pessoas podem ainda se perguntar o que é e como funciona esse ClubHouse, e é sobre isso que iremos falar nesse artigo.

23/01/2021 às 17:35
Artigo

Nova politica de privacidade do Whatsapp - O que muda? Preci...

O WhatsApp vai alterar a forma como trata os dados dos usuários a partir de 8 de fevereiro de 2021

Já de início, uma informação importante (que pegou de surpresa até a redatora dessa publicação) é que, até o momento da escrita original desse texto, a rede social pode ser utilizada apenas por usuários do sistema operacional iOS da Apple. 


O que é o ClubHouse

O ClubHouse, que ainda está em fase de teste, é uma nova rede social baseada apenas em áudio que chamou a atenção inclusive de Mark Zuckerberg, CEO do FacebookElon Musk, Oprah Winfrey e Ashton Kutcher. Logo de cara, percebemos que esse beta é bastante privado, já que está disponível apenas para usuários de dispositivos Apple E só é possível se tornar um integrante com convite. Não há previsão para o lançamento no Android, mas os  desenvolvedores da startup informaram em janeiro que começariam a trabalhar nessa versão em breve. 

Apenas USUÁRIOS APPLE COM CONVITE conseguem entrar no ClubHouse por enquanto

 

Como funciona

Continua após a publicidade

Para criar um perfil no ClubHouse, primeiro é preciso receber um convite de alguém que já use a rede social, com o "bônus" de que esses convites são limitados. Cada novo participante que entra no ClubHouse recebe mais dois convites para enviar, sendo que esses envios são nominais (lista de contatos).

ClubHouse saltou 4.900% nas buscas no Google apenas entre os dias 1 e 9 de fevereiro - dados da Google para o InfoMoney

 

Passando essa barreira e conseguindo se tornar um usuário, as coisas se organizam através de "clubes" e salas em grupo nas quais os integrantes só podem se comunicar por áudio. Não é possível enviar fotos ou texto, e as conversas sempre acontecem ao vivo - o aplicativo pode inclusive banir quem grava os áudios.

O limite de participantes em uma chamada são 5 MIL pessoas!

Dentro das salas existem os "Speakers" e "Listeners" que, como o nome indica, são quem pode falar ou apenas ouvir durante as conferências, respectivamente. Os grupos ou eventos são criados para discutir um tema específico, sugerido ao usuário de acordo com tópicos de interesse selecionados quando se cria um perfil na rede social.

ClubHouse foi banido da China

Para participar de uma ou mais dessas salas, basta a pessoa selecionar o chat que entrará como um ouvinte. É possível checar as salas de discussão em andamento no momento e as que estão marcadas para acontecer em breve. Caso esse mesmo usuário queira participar da reunião ativamente, ele pode tocar no ícone de mãozinha no menu localizado na parte inferior do app. O moderador do chat pode aceitar ou não essa solicitação.

Quando as transmissões ao vivo terminam, elas não aparecem mais na plataforma.

Continua após a publicidade

Criando uma sala

Para criar um grupo de voz, por sua vez, é bastante simples. Basta clicar em "Criar Sala" e indicar quem você quer que participe do meeting. É possível ainda criar um evento, definindo data, horário e colocando uma descrição sobre o que vai acontecer.

Há três tipos de sala: 

- Públicas: qualquer membro da plataforma pode entrar;
- Sociais: Menores e restritas às pessoas que o criador do grupo segue;
- Privadas: O criador pode controlar quem entra e quem sai.


A startup ClubHouse foi fundada em abril de 2020 por  Paul Davison e Rohan Seth, ambos ex-funcionários do Google. Hoje, a empresa já vale US$ 1 bilhão, de acordo com o The Information

User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

Huawei Band 6: unboxing e breve comparativo com a Honor Band 6

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.