USB 4 - Tudo sobre a nova conexão que finalmente pode padronizar a indústria
Créditos: Reprodução/ Pocket-Lint

USB 4 - Tudo sobre a nova conexão que finalmente pode padronizar a indústria

O USB 4 vai aumentar a banda e tornar a conexão idêntica ao Thunderbolt

Leitura Rápida

  • A nova geração do padrão USB foi anunciado em 2019
  • O USB 4 promete trazer maior eficiência e velocidade de dados
  • Compatibilidade com Thunderbolt 3 e gerações atuais do USB
  • Também tem suporte para múltiplos dispositivos
  • Ele usará o padrão USB Type-C e foi feito a partir do modelo Thunderbolt
  • Conexão deve começar a aparecer nesse ano, 2021

O USB 4 foi anunciado em 2019 pelo USB Promoter Group. Ele pretende revolucionar, mais uma vez, o uso de conexões. Seu principais objetivos são maior velocidade na transferência de dados e padronização com um único formato de conexão, a USB Tipo C.

A promessa é de que a banda será, mais uma vez, dobrada. Segundo as informações divulgadas, as novas gerações devem alcançar até 40Gbps.

Além de fazer as trocas de informações de forma mais rápida e eficiente, o USB 4 volta ao seu objetivo quando foi criado: diminuir as múltiplas opções de conexão. Apesar da base mais usada ser o USB, já há uma série de ramificações (USB A, Micro USB, USB Type-C...). O novo padrão será totalmente retrocompatível com as versões anteriores, além de ter suporte para o padrão Thunderbolt 3, mas promete padronizar a conexão USB Tipo C como única com suporte a essa nova velocidade.

Há algumas novidades que serão implementadas. Vamos descrever todas as mudanças e as melhorias que o novo padrão irá trazer. 

Padrão USB

O padrão USB foi lançado em 1996. Seu objetivo era tornar as conexões mais simples, sem precisar de uma diferente para cada equipamento. Seu nome, Universal Serial Bus, ou Porta Serial Universal em português, já denuncia o objetivo de tornar as portais únicas, ou "universais". Com o passar dos anos, isso se tornou um pouco mais complexos. Mais possibilidades foram criadas e, algo que era para ser universal, acabou ficando muito segregado.

Continua após a publicidade

Acima há algumas das conexões mais conhecidas atualmente. O USB Type-A, ou apenas USB A, é a entrada mais popular e também a primeira a ser implementada. Geralmente ela é usada apenas na ponta que conecta a uma fonte de energia, ou algum outro dispositivo. A outra ponteira já possui uma outra série de ramificações. Há opções dedicadas a impressoras, dispositivos maiores e menores. Um exemplo é o Micro USB, ou USB Type-B Micro, que era muito usado em smartphones e outros dispositivos mobile. As últimas gerações já estão implementando o USB Type-C, que será explorado a seguir. 

A Intel, em parceria com a Apple, criaram o Thunderbolt

 

Além disso, foi criada uma nova conexão de forma paralela. A Intel, em parceria com a Apple, criaram o Thunderbolt. Essa é uma conexão um pouco mais cara de ser fabricada, mas oferece uma conexão mais rápida, além de maior troca de energia. Ela é muito usada em dispositivos da empresa da maçã, principalmente em seus notebooks. O Thunderbolt possui a mesma entrada USB Type-C, mas geralmente suas portas são indicadas com o símbolo de raio, que é o símbolo da tecnologia. 

O USB 4 vem para unir as duas necessidades. Suprir a lacuna que o Thunderbolt coloca as atuais conexões USB, além de deixar todas as conexões em uma entrada única. Apesar de continuarem sendo disponibilizadas para necessidades diferentes, ambas as conexões serão compatíveis entre si. O objetivo é tornar as entradas únicas e universais, assim como era a proposta inicial.

A confusão das versões do USB 3.x

Outro ponto que vale ser destacado e informado, é sobre a confusão de nomenclatura que virou as versões do USB 3. O que vamos mostrar agora é como oficialmente são chamadas as conexões USB 3.2 atualmente, mas não será incomum ver vários produtos com o nome anterior, logo como falamos, é uma confusão descontrolada que o órgão criador da conexão gerou.

Na imagem abaixo fica bem claro os nomes e velocidade de cada conexão, ficando por conta da USB 3.2 Gen2x2 a mais rápida e atual dentro da variação USB 3.x. A primeira conexão USB 3.0 passou a se chamar oficialmente USB 3.2 Gen1, a segunda versão chamada de USB 3.1 passou a se chamar USB 3.2 Gen2, e a mais recente, pouco comum, USB 3.2 Gen2x2.

Continua após a publicidade

USB e Thunderbolt

Algo importante a ser destacado é: o que é Thunderbolt? Esse foi um novo padrão criado para atender, especificamente, usuários com mais demanda de banda. Ele usa cobre em sua composição. Isso torna a sua fabricação um pouco mais cara que o USB, mas traz vantagens importantes, como maior largura de banda. 

Uma das principais mudanças entre o USB e o Thunderbolt é o fato do novo padrão oferecer comunicação bidirecional. Isso significa que ele pode tanto enviar, como receber dados, ao mesmo tempo. Isso permite transferência de arquivos e carregamento, por exemplo, usando a mesma entrada. Algo que não era possível com o USB.

O USB 4 usou o padrão Thunderbolt 3 como base para sua criação

Há ainda outros benefícios com o padrão adotado pela Apple. É possível transferir dados e vídeo em um único cabo com Dual-protocol. Ele também é compatível com dispositivos DisplayPort. Isso porque ele usa drivers de protocolo nativos dos softwares da PCI Express e DisplayPort. Para completar, fornece alimentação superior via cabo para dispositivos e consegue conectar diversos computadores ao mesmo tempo.

Em resumo, o Thunderbolt é uma versão muito aprimorada do USB. Seria possível adotar apenas a tecnologia, removendo aos poucos o USB. Apesar disso, há um problema. Lembram de que a fabricação é mais cara? Então. Isso poderia tornar vários produtos em cadeia com um custeio muito maior, além de excluir as atuais gerações. Para alguns usuários, isso poderia ser inviável. A solução criada pelo padrão foi de unir ambos, sem excluir um ao outro. Ambos terão a mesma entrada e funcionarão com a mesma porta.

Mas qual o sentido em falar do Thunderbolt?

O motivo para entender as particularidades do Thunderbolt é pelo fato do USB 4 ter o usado como base. Portanto, muitas funções serão as mesmas. A diferença é que alguns produtos premium - ou que precisem usar as tecnologias disponíveis no Thunderbolt -, terão funções extras e permanecerão usando o padrão da Apple. Enquanto isso, os demais produtos “normais” seguem usando o padrão USB 4, que será aprimorado, mas continua de fácil fabricação. 

USB 4 mudanças

Uma das primeiras mudanças é que todos os cabos terão um formato único. Falamos muito de uniformização da entrada, e o padrão adotado será o USB Type-C ou USB-C ou ainda, USB tipo C. Ele já é conhecido pelos usuários que compraram smartphone nos últimos anos, ou que possuem um MacBook. Será usada essa mesma conexão.

Vale destacar que para alcançar a velocidade máxima será necessário um cabo compatível e com conexão USB Tipo C nas duas pontas, assim como já acontece com o USB 3.2 Ge2x2.

Especificações USB 4

A principal vantagem do USB Type-C é o fato de ele oferecer uma conexão um pouco mais fina. Isso possibilita ser colocado mesmo em dispositivos menores, ou de menor espessura. Os últimos smartphones lançados já trazem essa conexão para o carregamento, por ser mais eficiente. Essa é uma das vantagens da mudança do padrão.

"Principais mudanças envolvendo o padrão USB:
Operação de duas vias usando cabos USB Tipo C existentes e operação de até 40 Gbps em cabos certificados de 40 Gbps
Vários dados e protocolos de exibição para compartilhar com eficiência a largura de banda agregada máxima no barramento
Compatibilidade com versões anteriores de USB 3.2, USB 2.0 e Thunderbolt 3"
- USB, comunicado oficial

Outra mudança é que a nova geração vai trazer o USB Power Delivery, também conhecido pela sigla USB PD. Seu grande benefício é a possibilidade de entregar até 100 watts. Ele também possui uma carga mais inteligente de entrega de energia, fazendo uma média do que é recebido. Assim, não enviada cargas muito rápidas e depois muito lentas ao aparelho. É mantido uma tensão constante, sem grandes variações. 

Vantagens do USB 4

A principal vantagem do novo padrão, além da maior compatibilidade, é a rapidez de troca de dados. O objetivo do padrão é tornar as diferenças entre o Thunderbolt as menores possíveis. Ou seja, ele também deve ser tão rápido quanto o padrão estabelecido pela Apple. A promessa é que a próxima geração entregue 40 Gigabits por segundo (Gbps).

Essa velocidade é cerca do dobro do que a atual geração entrega. Ou seja, o USB 4 será muito mais rápido que o modelo USB 3.2 Gen 2x2, ficando com os valores muito próximos ao que é entregue pelo Thunderbolt. Em termos práticos, a transferência de dados será feita de forma mais eficiente e rápida, aprimorando o uso. Na tabela abaixo é possível ver a velocidade de cada geração:

Outro aprimoramento importante é a possibilidade de conexão com múltiplos dispositivos de uma única vez. A promessa é que a conexão consiga ser dimensionada para atender a demanda de forma mútua. 

“A arquitetura USB4 define um método para compartilhar dinamicamente um único link de alta velocidade com vários tipos de dispositivos finais para melhor atender à transferência de dados por tipo e aplicativo. À medida que o conector USB Type-C evoluiu para a função de porta de vídeo externo de muitos produtos host, a especificação USB4 fornece ao host a capacidade de dimensionar alocações para o fluxo de dados de exibição. Compatibilidade com dispositivos e hosts USB 3.2, USB 2.0 e Thunderbolt 3 existentes, e a conexão resultante é dimensionada para a melhor capacidade mútua dos dispositivos que estão sendo conectados.”
- USB, publicação original 

Além disso, o padrão USB se preocupou em não excluir versões anteriores.  Essa também é uma outra vantagem. Por mais que uma nova tecnologia seja implementada de forma muito rápida, ainda há uma série de dispositivos que ainda não estão adequados ao novo padrão e permanecerão em uso por muitos anos. 

USB 4 e compatibilidade com modelos atuais

O USB 4 vai poder ser emparelhado com qualquer modelo padrão a partir do USB 2.0. Isso significa que, mesmo com versões mais antigas, no mercado há muito tempo, ainda será possível usar a nova geração. Qualquer dispositivo deve continuar em funcionamento sem problemas.

Para que todos os aparelhos funcionem sem danos, algumas modificações precisaram ser feitas. Como mencionado, o padrão 4.0 consegue dobrar a banda da atual geração. O máximo não significa que é a quantidade que será entregue em todas as situações. Será feita a leitura da capacidade do dispositivo, para entregar a quantidade necessária para cada situação. 

O USB 4 será compatível com as gerações USB 2 e posteriores e Thunderbolt 3

A velocidade de transmissão será ditada pelo dispositivo que estiver sendo conectado. Caso seja um Thunderbolt 3, que consegue trabalhar tranquilamente com 40Gbps, o USB 4 vai entregar essa capacidade. Agora, se for dispositivos compatíveis com a atual versão, que não chegam a 20Gbps, a banda disponibilizada será a que cada aparelho comporta.

Isso garante o bom funcionamento de cada dispositivo, sem precisar ter diferentes formatos. Ou seja, o USB 4 terá uma grande retrocompatibilidade. Como mencionado, o objetivo é conseguir atender o máximo possível de dispositivos. Excluir padrões antigos não faria sentido. 

USB 4 compatibilidade com Thunderbolt

Um dos pontos de partida para o desenvolvimento da nova geração do USB foi o padrão Thunderbolt. Ele foi o responsável por muitos dos aprimoramentos feitos na nova geração. Para que um não competisse com o outro, a solução encontrada foi unir as duas opções. 

O Thunderbolt 3 faz parte do protocolo do USB 4 e terá total compatibilidade. O objetivo é que os usuários consigam usufruir das possibilidades do padrão aprimorado, sem precisar ter uma enorme quantidade de cabos disponíveis. 

Disponibilidade USB 4

O padrão USB 4 foi publicado ainda em 2019. O intuito era de que até o final de 2020 os primeiros produtos com o novo padrão já começassem a aparecer na indústria. Apesar disso, este ano as operações gerais foram bastante incomuns. A produção ficou parada em alguns setores e, o de tecnologia, foi muito afetado. Isso fez com que houvessem adiamentos em vários planos, inclusive na implementação do USB 4.

o USB 4 vai começar a ser implementado em 2021

As últimas notícias disponíveis informam que o USB 4 vai começar a ser implementado nesse ano, primeiro através de placas-mãe com chipset Intel Serie 500. Essa informação ainda não foi publicada oficialmente pelo grupo responsável pelo padrão USB. Quem informou os planos da data foi a VESA (Video Electronics Standards Association) para o site CNET. Além de placas-mãe, notebooks também devem estrear logo a nova conexão.

Fonte: USB
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

Hands-on do Moto G60: câmera de 108MP, tela de 120Hz e bateria de 6.000 mAh são os destaques

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.