Análise: DJI Mavic 2 Pro - O melhor drone já desenvolvido pela DJI

Análise: DJI Mavic 2 Pro - O melhor drone já desenvolvido pela DJI

Sensores em todas as direções, câmera de alta qualidade e a portabilidade da linha Mavic

A DJI lançou os drones Mavic 2 Pro e Mavic 2 Zoom depois de quase 2 anos do lançamento do Mavic Pro, como já destacamos no artigo em que falamos das principais características dos drones, a linha Mavic talvez seja a que mais ajudou a "popularizar" esse tipo de produto, embora a empresa tenho feito sua fama inicialmente com os modelos da linha Phantom.

Passei praticamente um mês testando o drone junto com o Ricardo Laske, ele também tem um Mavic 2 Pro. Foram muitos dias nublados, mas saindo de Floripa deu para achar algumas brechas de sol. Testamos muito o sistema de sensores, modo active track, câmera e suas funcionalidades em modos manuais e fotos a noite, nessa review será possível conferir o resumo de minha experiência com ele durante esses dias, com agradecimentos especiais ao Ricardo Laske pela ajuda em todo o processo. Durante as próximas semanas iremos publicar mais conteúdos mostrando as principais tecnologias do drone em funcionamento, sempre levando em consideração comparativos com outros modelos como o Mavic Pro e Mavic Air. Lembro que um drone desse nível merece simplesmente uma review com poucos voos, requer realmente uma experiência completa para poder falar com propriedade, e acho que conseguimos alcançar esse conceito.

No cenário internacional, o Mavic 2 Pro foi lançado por US$ 1.449,00 e o Mavic 2 Zoom por US$1.249,00, enquanto o kit com baterias e acessórios extras, chamado pela empresa de Fly More, chegou por US$ 379,00, apesar de um desconto de US$ 50,00 nos primeiros dias. O Mavic Pro foi lançado em 2016 por US$ 999,00, já no combo com o Fly More o preço era US$ 1.249,00. No Brasil, a loja eles já estão disponíveis via ML ou em algumas lojas oficiais como a TOP Drone (clique aqui para conferir), com valores bem semelhantes a vendedores do mercado livre, porem com a garantia de uma revenda oficial.

Mas o que os novos drones Mavic 2 trouxeram de melhorias com relação a primeira versão para justificar esse aumento, especialmente o Mavic 2 Pro, que estamos analisando? Veremos nessa análise.

Site oficial dos drones Mavic 2


Quem é a DJI

Quem ainda não conhece a DJI, provavelmente não está muito informado sobre o mercado de drones, já que atualmente a empresa possui cerca de 70% do mercado mundial de drones. Outro detalhe que vale a pena ser destacado, a DJI é uma empresa chinesa fundada em 2006, com seu primeiro drone da linha Phantom chegando ao mercado em 2012, com imahens geradas a partir de uma GoPro acoplada ao aparelho. A situação mudou na segunda geração do Phantom, com o aparelho abandonando a GoPro e adicionando uma câmera própria da DJI, ou seja, estamos falando de uma empresa bastante jovem dominando o mercado por anos.

A DJI é uma empresa chinesa fundada em 2006

Continua depois da publicidade

Mas nem só de drones vive a DJI, apesar desse ser o "ganha pão" da empresa. Ela também é muito famosa por outros produtos que procuram facilitar ou melhorar a qualidade de profissionais e entusiastas da área de vídeo e fotografia, até mesmo de produtores casuais. Além de popularizar os drones, a DJI também é uma das responsáveis pelos sistemas de estabilização de imagem denominados gimbal, seja com câmeras já integradas, smartphones, ou para câmeras profissionais. Uma das linhas mais populares é a Osmo, que possui um modelo com câmera nativa, além de um modelo de gimbal para uso com smartphones - veja nossa análise do Osmo Mobile 2. Esse tipo de produto consegue tornar a câmera estável mesmo em condições bastante adversas, com muito vento ou solavancos, por exemplo, algo que na prática entrega vídeos próximos de um cenário onde quem filma está parado com a câmera em um tripé, passando uma impressão de ter sido filmado em equipamentos mais profissionais.

Destacamos uma linha com produtos mais populares, mesmo alguns deles com valor alto, mas a DJI é líder de mercado também em produtos para uso profissional e para empresas, produzindo desde drones mais robustos, hoje muito utilizados no cinema; por empresas de construção civil e na área agrícola, por exemplo, como também sistemas de gimbal para uso profissional, assim como uma série de outros produtos.


Mavic 2 Pro vs Mavic 2 Zoom

Antes de falar do Mavic 2 Pro, vamos explicar as diferenças entre ele e o Mavic 2 Zoom, já que foram lançados juntos. Na verdade a diferença é exclusivamente relacionada a câmera, ao menos quando falamos dos modelos Pro e Zoom, já que a empresa lançou recentemente o Mavic 2 Enterprise, que traz o diferencial de suportar acessórios acoplados na parte superior adicionando ao drone novas funcionalidades, como holofotes e microfone/caixa de som, funcionalidades bem interessantes para situações de resgates.

DJI lança Mavic 2 Enterprise, drone compacto voltado para suporte em resgates

Tirando a câmera, fisicamente os modelos Mavic 2 são idênticos em todo o corpo do drone, sensores, autonomia de voo, distância de controle, velocidade, tamanho e tudo mais é igual, com o modelo Pro pesando 3 gramas a mais que o Zoom devido justamente a diferenças na câmera. Mais abaixo, nas tabelas comparativas, é possível conferir os dois novos modelos junto com o Mavic Pro e o Mavic Air.

O corpo e tecnologias de voo do Mavic 2 Pro e Mavic 2 Zoom são idênticos, só muda a câmera

Como já colocamos na introdução, o Mavic 2 Pro custa hoje US$ 1.499,00 dólares, trazendo como destaque o fato de ser o primeiro drone já lançado com uma câmera da Hasselblad. Para quem não conhece a empresa sueca, ela é uma fabricante de câmeras de alta qualidade, fundada em 1941, por Victor Hasselblad. Entre alguns dos feitos capturados com suas câmeras está a chegada do Homem à lua, em 1969.

Continua depois da publicidade

Mas e porque a DJI colocou uma câmera da Hasselblad em seu novo drone? A empresa chinesa comprou a Hasselblad no início de 2017, indicando que novos produtos poderiam trazer tecnologias herdadas da empresa como acontece agora com o Mavic 2 Pro. Para quem desenvolve um produto que visa capturar imagens de ângulos que só um drone pode fazer, oferecer o que existe de melhor em tecnologias fotográficas é algo muito importante, especialmente quando o produto é direcionado para quem busca algo diferenciado nesse segmento, e vemos que a DJI sabe muito bem disso.

A DJI comprou a Hasselblad, empresa tradicional do ramo de câmeras, em 2017

Já o modelo Mavic 2 Zoom, como o nome indica, traz uma câmera com suporte a zoom óptico, mas além dessa características única relacionada a lente da câmera, o mesmo também traz um efeito muito legal que está recebendo excelentes criticas chamado Dolly Zoom, ou "Vertigo" como é mais conhecido na industria fotográfica.

Abaixo temos algumas das principais especificações técnicas dos novos Mavic 2 comparado com os outros dois modelos Mavic e na sequência destacaremos algumas das principais características dos novos modelos.

Os drones não possuem microfone, porém é possível gravar áudio para o vídeo final narrado do smartphone

Preços

Preço no lançamentoU$ 1.449,00 23/08/2018U$ 1.249,00 23/08/2018U$ 1.999,00 28/10/2018U$ 999,00 15/10/2016U$ 799,00 23/01/2018
Preço atualizadoR$ 9.683,00 25/10/2018R$ 8.525,00 25/10/2018U$ 1.999,00 28/10/2018R$ 5.000,00 01/03/2018R$ 4.199,00 02/03/2018

Ficha Técnica

PlataformaDrone Drone Drone Drone Drone
Link oficialLinkLinkLinkLinkLink

Características

Autonomia de voo31 Minutos31 Minutos31 Minutos27 Minutos21 Minutos
Distância de controle8000 metros8000 metros8000 metros7000 metros4000 metros
Resolução de transmissãoOcuSync 2.0 1080p OcuSync 2.0 1080p OcuSync 2.0 1080p OcuSync 720p 720p
Velocidade máxima72 Km/h72 Km/h72 Km/h65 Km/h68 Km/h
Resolução de vídeo4K 30FPS, 2.7K 60FPS, 1080P 120FPS, 100Mbps, ISO 100-6400 4K 30FPS, 2.7K 60FPS, 1080P 120FPS, 100Mbps, ISO 100-3200 4K 30FPS, 2.7K 60FPS, 1080P 120FPS, 100Mbps, ISO 100-3200, Zoom 2x óptico + 3x digital 4K 30FPS, 1080p 96FPS, 720p 120FPS, 60Mbps, ISO 100-3200 4K 30FPS, 1080p 120FPS, 100Mbps, ISO 100-3200
Sensor da câmera1-inch CMOS, 2000w, f2.8-f11, ISO 100-3200 (auto) 100-12800 (manual), 20 MP1/2.3 -inch CMOS, 1200w, f2.8; f3.8, ISO 100-1600 (auto) 100-3200 (manual),12 MP1/2.3 -inch CMOS, 1200w, f2.8; f3.8, ISO 100-1600 (auto) 100-3200 (manual),12 MP1/2.3 inch CMOS, f/2.2, ISO 100-3200, 12 MP1/2.3” CMOS, f/2.8, ISO 100-1600 (auto) 100-3200 (manual), 12 MP
EstabilizaçãoGimbal de 3 eixos (tilt, roll, pan) Gimbal de 3 eixos (tilt, roll, pan) Gimbal de 3 eixos (tilt, roll, pan) Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw) Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw)
Armazenamento de dados8GB Interno, Micro SD até 128GB 8GB Interno, Micro SD até 128GB 24GB Interno, Micro SD até 128GB Micro SD até 128GB 8GB Interno, Micro SD até 128GB
Sensores de detecção10 sensores com sistema Omnidirectional 10 sensores com sistema Omnidirectional 10 sensores com sistema Omnidirectional Frontal, inferior Frontal, traseiro, inferior
Controle por gestosPARA FOTOS E VÍDEOS PARA FOTOS E VÍDEOS PARA FOTOS E VÍDEOS PARA FOTOS E VÍDEOS CONTROLE E COMANDOS
Live StreamSIM SIM SIM SIM SIM
Tamanho guardado214×91×84 mm214×91×84 mm214×91×84 mm198x83x83 mm168x83x49 mm
Peso montado907 gramas905 gramas905 gramas734 gramas430 gramas
ExtrasActive Track 2.0, câmera Hasselblad Active Track 2.0, Dolly Zoom Active Track 2.0, Proteção por senha, AirSense, Suporte a módulos


Os principais destaques dos drones Mavic 2

A análise vai focar no modelo que analisamos, porém, como já destacado, tirando o sistema de câmera, todo o resto é valido também para o Zoom.

Continua depois da publicidade

Vamos ao que interessa, o que os novos drones trouxeram de mais interessantes para quem está pensando em um upgrade da primeira versão para um modelo dessa nova ou mesmo para quem pretende comprar seu primeiro drone de alta qualidade?

Como destacamos no inicio, a nova linha trouxe muitas melhorias sobre a primeira geração, sendo o Mavic 2 Pro ou Zoom atualmente o sonho de consumo de qualquer entusiasta de drones ou fotografia pelas grandes possibilidades que os modelos proporcionam, especialmente para viajantes e esportistas que precisam de um drone compacto sem abrir mão da alta qualidade no resultado final das filmagens. Comparado a modelos com perfil semelhante da série Phantom, muito maiores, eles não oferecem grandes benefícios práticos para grande parte dos usuários de drones comparados aos novos Mavic 2.

Câmera Hasselblad do Mavic 2 Pro
O grande destaque do Mavic 2 Pro está em sua câmera Hasselblad com sensor de 1 polegada CMOS. Esse sensor maior do que o do Zoom (de 1/2.3) garantirá maior resolução e fotos superiores em situação de baixa luz como alguns de seus benefícios, além de ter controle de abertura ajustável, que vai de de f2.8 até f11, o que permite um controle mais refinado quanto a quantidade de luz que "entra" na câmera. Essa é uma característica muito interessante para quem planeja capturar imagens em modo manual, especialmente para fotógrafos que precisam de controles mais avançados, porém mantendo a possibilidade de controle automático para os usuários menos avançados.

Outra diferença em relação as câmeras do Pro e Zoom é que o modelo Pro tem perfil de cor DLog-M 10-bit, já o Zoom utiliza D-Cinelike 8-bit, na prática o modelo Pro consegue capturar 1 bilhões de cores comparado aos 16 milhões do Zoom, uma diferença bem grande na profundidade de cores e que na prática vai entregar imagens com qualidade superior no modelo Pro. Quanto a resolução da câmera, no modelo Pro as fotos alcançam resolução superior, chegando a até 5472x3648 pixels, já no Zoom a resolução máxima é de 4000x3000 pixels, essa diferença somada a uma maior gama de cores e um alcance dinâmico maior, faz com o que o Mavic 2 Pro capture imagens e vídeos mais detalhados e que permitem mais possibilidades na pós-produção.

Fotos
Em fotos a câmera também se destaca, abaixo uma foto a noite e um rápido comparativo. Uma de nossas fotos preferidas foi essa tirada a noite em Floripa, em configuração manual, que em nossos testes ficou bem melhor do que utilizar o modo HyperLight, com configurações pre-definidas pelo próprio drone para fotos com pouca luz. Manualmente o controle é bem melhor e permite capturar fotos melhores, no caso dessa abaixo, sem nenhuma edição externa, apenas reduzindo a resolução máxima para 1280x720px e exportando em .jpg 70%. A qualidade é impressionante! Lembramos ainda que é possível salvar as fotos em JPEG e RAW, esse último formato possibilitando edição mais avançada, importante opção para pós-produção.

Foto noturna em modo manual

Abaixo temos um comparativo com 3 fotos no mesmo local tiradas por "câmeras" diferentes, sendo uma câmera Canon 5D, uma do Galaxy S9+ e com a câmera Hasselblad do Mavic 2 Pro. As lentes estavam em 28 mm (no Galaxy S9+ e na Hasselblad consideradas equivalentes a uma lente 28 mm, o ângulo de visão que ela capta é de uma lente 28 mm), já na 5D foi usada uma 28mm verdadeira. Por fim foi feito um crop com zoom de 150% em uma parte da imagem.

Fotos na ordem: Mavic 2 Pro, Canon 5D e Galaxy S9+

Continua depois da publicidade

Ambos os modelos trazem um gimbal de 3 eixos remodelado que garante o que existe de melhor e estabilização para drones desse perfil, falaremos disso mais adiante. É importante destacar que a câmera do Mavic 2 Zoom teve várias melhorias sobre a primeira versão do drone, mesmo o Mavic 2 Pro trazendo uma câmera de maior qualidade, a do Zoom também se destaca nesse sentido.


Sensores em todas as direções e novo Active Track 2.0

Na primeira geração do Mavic a DJI adicionou sensores na parte frontal e inferior, naquela época, features bem interessantes já que ajudavam a evitar colisão frontal e também ajudavam muito no processo de pouso. Com o avanço desse tipo de tecnologia e concorrentes como o Skydio trazendo sensores em todas as direções, visando maior segurança e possibilitando que o drone desvie de objetos durante o trajeto, a DJI se viu obrigada a avançar mais nesse aspecto, e agora o Mavic 2 traz sensores em todas as direções, inclusive na parte superior.

Lembre-se de sempre manter a tecnologia APAS ativada para que o drone consiga desviar dos objetos durante o voo.

Os drones possuem 10 sensores captando todas as direções

Essa tecnologia é uma grande evolução para esse tipo de produto e vai ajudar principalmente em situações que podem causam algum problema de colisão, seja com um objeto qualquer, ou mesmo uma pessoa. Temos que deixar claro que ele não vai ser tão responsivo ao ponto de se desviar de algo que venha em sua direção como um helicóptero, avião, carro, ou mesmo uma bike, mas vai evitar que ele colida com um prédio, árvore, ou mesmo o chão, se a intenção não for o pouso.

Ele conta com LEDs para indicar sua posição e alguns modos durante o voo, além de um novo LED na parte inferior do drone que entra em funcionamento quando os sensores detectam proximidade do chão, tanto na decolagem quanto no pouso. É muito útil porque em várias situações, a noite, não é possível ver bem o terreno onde pensamos em pousar e caso haja algum buraco, pedra etc., pode fazer uma das hélices encostar no chão e gerar algum problema mais sério. Dessa forma considero bem válida essa "luz" inferior.

O Active Track 2.0 agora consegue seguir em velocidades mais altas, além de ser mais eficiente no acompanhamento. Em teoria ele consegue seguir o objeto marcado a até 72 km/h, mas na prática, se houver uma mudança de direção meio drástica a essa velocidade o drone tende a perder a seleção e parar de seguir o objeto. O novo Active Track também consegue analisar eventuais obstáculos entre ele e o ponto marcado, sem perder a marcação, como por exemplo, ao andar de bike se um arbusto cobre totalmente você, o drone consegue analisar seu trajeto e não perde a marcação continuando a gravação após passar pelo arbusto, mesmo em alta velocidade.

A evolução do Active Track foi notável graça aos 10 sensores e previsão de rota

No Mavic Air a perda do objeto marcado acontece com maior facilidade e as vezes chega a ser frustrante. Essa otimização, naturalmente, está relacionada ao processamento que o drone consegue fazer, já que mais dados precisam ser analisados, o Skydio R1 faz isso muito bem porque tem um poderoso chip capaz de analisar muitos dados em tempo real, não é a toa que tem um preço altíssimo também.

Como o mavic Pro 2 possui sensores em todas as posições, a função de desvio ficou infinitamente melhor, conseguindo descer, subir e ir para os lados sem colidir. Em nossos testes realmente houve uma grande melhora, mesmo que em determinadas situações o drone prefira parar ao detectar ao perder contato visual com o objeto que ele está seguindo.


Controle e OcuSync 2.0 com transmissão de imagens em 1080p

O controle segue um design muito parecido com a versão anterior, trazendo pequenas mudanças em botões e tecnologias. Em se tratando dos botões, os modos Sport, Program e Tripod agora podem ser selecionado no lado direito, de forma resumida, modo Sport para maior velocidade e responsividade dos comandos, modo Program é um meio termo em velocidade e responsividade do drone, já o modo Tripod limita a velocidade e algumas ações, é algo realmente interessante de se ter para definir de forma rápida, dependendo qual o interesse que pode mudar rapidamente durante o voo.

Outro destaque está nos sticks removíveis, algo que apareceu primeiro no controle do Mavic Air, e foi mantido nos controles da linha Mavic 2, possibilitando assim melhor acomodação e transporte do drone.

O sistema de transmissão de imagens entre o drone e a tela utilizada no controle também melhorou. Com o OcuSync 2.0 agora é possível receber imagens da câmera do drone em resolução 1080p, isso graças ao suporte a tecnologia de conexão entre drone e controle com frequência de 5.8GHz, de alta velocidade e baixa latência, além da tradicional frequência de 2.4GHz. Na primeira versão havia apenas o suporte a 2.4GHz, limitando a resolução da imagem transmitida a 720p.

A troca entre as frequências de conexão é automática

É importante deixar claro que esse tipo de tecnologia é bastante dependente da conexão entre o drone e o controle, sendo assim se tiver interferência ou a distância entre eles for muito grande a tendência é a resolução baixar e até acontecer perdas de sinal. Felizmente por se tratar de rádio frequência, não temos tanta interferência como no Mavic Air, que se conecta apenas via Wi-Fi e apresenta mais problemas de perda de sinal.

Com essa nova tecnologia de conexão o drone pode chegar até 8km de distância do controle, isso sempre considerando um cenário ideal sem nenhuma interferência entre eles. Na primeira versão a distância máxima era de 7km. Novamente, essa grande distância é possível pelo sistema de comunicação entre o drone e o controle.

Ressaltamos que quanto mais longo o drone estiver, menor será o poder de controle sobre ele, o bom senso com esse tipo de situação e a segurança é muito importante, afinal por mais divertido que seja, drones não são brinquedos.

App DJI GO 4
O aplicativo para controle continua sendo o DJO GO 4, mesmo utilizado para as versões anteriores. Apesar de criticas sobre o app, eu me acostumei e não acho ele um grande problema, funcionando bem em conjunto com as tecnologia que o drone oferece. Acho que agradar a todos é difícil, e penso que ele faz bem seu trabalho.


Autonomia de voo

O Mavic Air chegou em janeiro desse ano com tamanho ainda mais compacto do que o Mavic Pro, porém entre seus principais contras temos a autonomia de apenas 21 minutos de voo - com uma única bateria. O Mavic Pro tinha 27 minutos e o Mavic Platinum, lançado meses depois, trouxe hélices otimizadas que conseguiam entregar 30 minutos de voo. Os novos Mavic 2 aumentaram um pouco mais a autonomia, chegando em 31 minutos de voo, tanto com o modelo Pro quanto com o Zoom.

Considero isso uma característica muito importante para quem pretende comprar um drone, baixa autonomia vai causar uma série de frustrações em situações onde o voo poderia gerar imagens que não podem ser capturadas novamente.

O Mavic com maior autonomia de voo, mas como todo drone, baterias extras são recomendadas

Mesmo com essa boa autonomia de 31 minutos, em minha opinião, é obrigatório comprar um kit de baterias extras como o kit Fly More da DJI. Para viagens e locais onde não é possível carregar de forma prática a bateria original, um kit com baterias extras é de extrema importância para não perder momentos únicos, sem contar que demora cerca de 1 hora para uma carga completa de uma bateria.

Vale destacar que a DJI conseguiu aumentar a autonomia mesmo com um drone mais pesado, ele continua com respostas muito rápidas aos comandos, e pelo fato de ficar um pouco mais pesado naturalmente vai ter maior estabilidade visto que a força do vento incide em menor proporção, já que o tamanho é praticamente o mesmo da primeira versão.


Portabilidade com alta qualidade

O grande destaque do Mavic quando lançado em 2016 é que mesmo sendo um produto com apelo portátil, não abriu mão de várias características encontradas em modelos de tamanho bem maiores como os da linha Phantom. Os novos Mavic 2 seguiram o mesmo conceito, com tamanho e peso um pouco acima da primeira versão, mas com muitas features que não são encontradas nem em modelos maiores, e naturalmente irão conquistar vários usuários que estavam pensando em um modelo Phanton pelos seus diferenciais, mesmo os que usam o drone para uma pegada mais profissional.

A qualidade de imagem da linha Phantom com a portabilidade da linha Mavic

A praticidade que um drone como os da linha Mavic tem sobre um modelo como os da linha Phantom é gigantesca no quesito facilidade de "carregar" para qualquer lugar, não tem comparação. O drone com o kit Fly More cabe dentro de uma bolsa que ocupa menos da metade do espaço de um Phantom ou modelo semelhante.


Gimbal evoluído

Também houve otimização no sistema de gimbal, que curiosamente foi o suposto motivo da DJI adiar a data inicial de lançamento, que até já tinha sido marcada pela empresa. De acordo com rumores não confirmados pela DJI, um problema de projeto no gimbal fez a empresa supostamente recolher 150.000 unidades do drone, o que não foi confirmado e pode não passar de um mero boato.

É possível direcionar a câmera para cima do nível do drone

Agora boato ou não, o fato é que o sistema de gimbal teve melhorias importantíssimas, como uma das principais ao meu ver a possibilidade de filmar um pouco para cima do nível do drone. Como um exemplo, se você estiver seguindo uma linha horizontal poderá focar a câmera levemente para cima pegando algo na parte superior do nível do drone, além de apenas em linha reta. Ele não faz uma volta em 360º, até porque acabaria colocando a câmera em ponto cego virado para a parte interna do drone, mas é um avanço muito legal que poderá capturar mais algumas imagens interessantes.

O sistema de gimbal também ficou bem mas robusto, uma critica de muitos sobre a primeira geração do Mavic Pro, que era bem mais simples e frágil.


Hyperlapse, HiperLight, HDR, Panoramo, H.265 e mais

Voltamos a câmera e mais algumas features de vídeos e fotos que marecem ser destacadas. Uma série de funcionalidades e tecnologias bem legais foram adicionadas aos drones, parte delas visando facilitar a captura de imagens diferenciadas que só um drone pode fazer, mas que através de controle manual demandam alto grau de conhecimento de como controlar o drone, alguns modos sendo muito difícil de fazer com fluidez mesmo para os usuários mais experientes.

Talvez o modo que mereça maior destaque é o Hyperlapse, que tira fotos em sequência de segundos com movimentos pré-programados ou livre gerando um vídeo curto muito legal, mesma coisa que o modo timelapse de alguns smartphones. Outro ponto interessante é que as imagens ficam salvas em formato RAW e você poderá trabalhar elas como desejar para alterar o resultado final das fotos e do vídeo, modo que tem agradado muito quem curte fotografia e está em busca de imagens diferenciadas. Esse modo está presente em ambos os modelos e tem os perfis de voo Circle, CourseLock e WayPoint além do modo de controle livre do usuário.

Os modos que mais gostamos foram o Circle e especialmente o WayPoint, onde você marca de onde o drone vai começar e onde vai parar a sequência de fotos, podendo inclusive alterar a altitude dele.

Abaixo um vídeo que fizemos mostrando os modos de gravação da função Hyperlapse, tanto com a câmera em automático como em modo manual.

Modos de gravação pre-definidos estão ajudando a popularização dos drones

Para fotos noturnas foi implementado o modo HyperLight, que promete entregar qualidade superior em baixa luz, em nossos testes, preferimos utilizar o modo manual que entrega resultados muito melhores.

Já era possível tirar fotos com efeito HDR no Mavic Air, mas essa tecnologia foi otimizada nos novos Mavic 2. Renderização em tempo real com codec H.265 (melhor qualidade que o codec H.264, e ainda com tamanho bem menor) também está presente nos novos drones. Outro modo de foto interessante é o Panorama, que pode tirar fotos em 360º, horizontais e verticais, vale a pena conferir.

Várias outras funções interessantes foram otimizadas visando funcionar de forma mais eficaz e simples, como o POI 2.0 e Waypoint 2.0, além dos drones suportarem outros modos tradicionais como o Asteroid e Boomerang, que apareceram inicialmente no Mavic Air.

Fotos tiradas com o drone


Abaixo mais uma série de todos tiradas com a câmera Hasselblad do Mavic 2 Pro que mostram bem o potencial dele relacionado a essa importante característica de um drone desse nível. Para publicar as fotos, reduzimos o tamanho para 1920px na largura mantendo a altura configurada no drone na hora da foto, e salvando em JPG 70%, sem nenhuma aplicação de filtro.


Vídeo Análise

Abaixo a vídeo análise mostrando na prática as funcionalidades e imagens capturadas com o Mavic 2 Pro:


Conclusão

No momento de decidir qual escolher, algo que é bem particular, serve de referência que o modelo Pro é destinado a quem precisa de um produto com melhor qualidade fotográfica. É bom lembrar que tirando a câmera e suas funcionalidades específicas eles são idênticos, ou seja, fazem as mesmas coisas. Outro ponto é que o Zoom é um drone consideravelmente melhor que o Mavic Pro de primeira geração, inclusive no que diz respeito a câmera, sendo ele talvez a melhor opção para muitos potra trazer uma economia superior a 20% e entregar a mesma experiência do Mavic 2 Pro.

Por enquanto eles ainda não chegaram em canais oficiais

Penso que os novos Mavic 2 passaram a ser o sonho de consumo de qualquer pessoa que tem interessante de comprar um drone. Acabamento de alta qualidade, imagens entre as melhores que um drone desse perfil pode capturar, boa autonomia de voo, sensores de obstáculos, vários modos de voo e captura de imagens pré-definidos facilitando muito a vida do usuário, estão entre os pontos que merecem destaque, sem nunca deixar de fora o fator portabilidade, isso é um ponto muito favorável da linha Mavic sobre modelos como os da linha Phantom.

Recomendo muito a compra de um kit com baterias extras, não apenas para os novos Mavic 2, mas para qualquer drone, como já coloquei, em minha opinião eles estão entre os gadgets mais irritantes que existe para ficar sem bateria, especialmente porque a autonomia de cada bateria é de minutos de não de horas.

Não é um drone barato, mas quem comprar não vai se arrepender

Se tratando de preço, o Mavic Pro foi lançado por US$ 999 e já chegou a ser vendido por US$ 799 no próprio site da DJI internacional. O Mavic Air foi lançado por US$ 799 e também tem aparecido em promoções. A Chegada dos novos Mavic 2 Pro por US$ 1.449 e Mavic 2 Zoom por US$ 1.249 frustrou muita gente, porque elevou consideravelmente o preço quando comparado ao lançamento da primeira geração. O pacote Fly More com baterias extras além de alguns outros acessórios teve preço de lançamento de US$ 319 nas primeiras semanas, mas já aumentou e atualmente custa US$ 379 na loja da DJI.  Quem também teve aumento foi o Mavic 2 Pro, que subiu para US$ 1.499, isso tirando impostos, isso desconsiderando impostos.

Para uma noção de preço final com taxas la dos EUA, o Mavic 2 Pro + Fly More Kit comprado na BestBuy em Nova Iorque custa US$ 1.768,99 + US$ 157,01 de impostos, fechando em US$ 1.926 dólares (Mavic 2 Pro US$ 1.499,00 + US$ 128,69 de impostos e o Fly More kit ao valor de US$ 319,00 + US$ 28,32 de impostos). Considerando o dólar médio atualmente, dia 24/10, cotado em R$3,70, temos o valor final de R$ 7.126 para esse kit, ops, faltou o IOF, o preço fica na casa de R$7.600+.

OBS.: Quando efetuamos a compra o dólar estava em R$3,97, então pagamos cerca de R$550 a mais do que esses 7.6k atuais.

No Mercado Livre já temos vários anúncios dos drones, com valores partindo de R$ 8 mil para o modelo Zoom e R$ 9.5 mil para o modelo Pro. Cheguei a ver anúncios de R$ 8.790 para o modelo Pro, mas é de se suspeitar preços muito baixos, então é bom ficar de olho no perfil de venda do vendedor que anunciou.

Link de compra dos modelos Mavic 2 na TOP Drone

A loja  TOP Drone é uma revenda oficial e já tem os novos modelos, que podem ser adquiridos clicando aqui, com valores bem semelhantes a vendedores do mercado livre, porem com a garantia de uma revenda oficial.

É uma boa oportunidade para ficar de olho nos modelos Mavic Pro e mesmo Mavic Air, talvez mais no primeiro que tende a ter uma ligeira queda no valor, especialmente porque seu preço tende a cair naturalmente, e é um bom drone.

Disparado o melhor drone do mercado para quem procura portabilidade aliado com alta qualidade

Como opinião final acho que todos os avanços trazidos pelo drone justificam seu aumento de preço, tanto por parte da câmera Hasselblad como pelas novas features, especialmente os sensores em todas as direções, sempre lembrando que ao adicionar mais sensores o chip que gerencia precisa ser melhor a fim de fazer seu serviço com os cálculos necessário para funcionar como se espera, e isso também gera aumento de preço, vide Skydio R1 que foi lançado por US$2500, não tem milagre. Talvez como única característica que faltou para ter tornado ele perfeito, o suporte a 4K 60FPS, mas ai penso que não teria mais nenhum sentido optar por um Phantom.


Considerações finais

Outra dica importante é comprar um cartão de memória de boa velocidade e suporte a gravação de vídeos em resolução 4K, caso contrario pode ter problemas. Um dos modelos que utilizamos era de alta velocidade, Class 10, mas apresentava pulos nas gravações de fotos em dos modos Hyperlapse quando mandando salvar em formato RAW, já que os arquivos são bem grandes.

Agradecimentos especiais ao meu primo Ricardo Laske pela ajuda com as gravações das imagens, já ajudou na review do Mavic Air e agora novamente. É um entusiasta de fotografia e drones, possuindo modelos como Phantom 3 e Mavic Pro sem contar na grande experiência fotográfica, foi bastante importante para ter uma conclusão real dos avanços do Mavic 2. Assim como nós, ele também tem um Mavic 2 Pro.

Também queria deixar bem claro que drones desse porte não são brinquedos, é importante voar com responsabilidade. Lembro ainda que é necessário fazer um cadastro no site SISANT / ANAC e registrar seu drone, além é claro de respeitar a legislação, sempre tomando bastante cuidado com voos em áreas urbanas especialmente e com muitas pessoas. Atente-se especialmente para fatores como altitude, e que ao "mandar" o drone para longe naturalmente o campo de visão e controle dele será comprometido.

- ANAC - Faça seu registro de drone aqui
- Confira a legislação e mais informações sobre leis no site do DECEA

Em breve pretendemos trazer mais conteúdos sobre drones e nesse momento alguns tutoriais sobre algumas das tecnologias do Mavic 2 Pro, como elas funcionam e podem ser otimizadas para melhores resultados.

Nota

9,5

Prós

  • Excelente construção e acabamento
  • Ótima câmera da Hasselblad
  • Sensores em todas as direções
  • Grande avanço da tecnologia Active Track
  • Boa autonomia
  • Grande distância de controle
  • Transmissão em 1080p entre drone e tela conectada ao controle
  • Modo Hyperlapse gera ótimos vídeos

Contras

  • Preço acima da geração anterior
  • No brasil à venda apenas em revendas não oficiais
  • Sem suporte a gravação em 4K 60FPS
Throwflame apresenta o lança-chamas para drones TF-19 Wasp por US$1.500

Throwflame apresenta o lança-chamas para drones TF-19 Wasp por US$1.500

O acessório oferece fogo a no máximo 25 pés de altura por quase dois minutos sem parar


DJI anuncia Ronin-SC, estabilizador gimbal para câmeras mirrorless

DJI anuncia Ronin-SC, estabilizador gimbal para câmeras mirrorless

O gadeget de filmagem chega custando U$ 439 na versão mais básica


DroneShield lança pistola para derrubar drones a até 500 metros de distância 

DroneShield lança pistola para derrubar drones a até 500 metros de distância 

A DroneGun MkIII consegue interferir nas frequências da aeronave e cortar toda sua comunicação 


Alphabet lança aplicativo de controle de tráfego aéreo para drones na Austrália

Alphabet lança aplicativo de controle de tráfego aéreo para drones na Austrália

O App gratuito OpenSky deve ajudar a planejar os voos com mais segurança


Vídeo feito com o drone DJI Mavic 2 mostra eclipse solar no Chile

Vídeo feito com o drone DJI Mavic 2 mostra eclipse solar no Chile

Imagens são surpreendentes e dá exemplo de criatividade na utilização dessas aeronaves