Imagem chamada

Análise: Xiaomi Redmi 5

Um bom e barato smartphone para quem quer uma tela 18:9

Duas tendências são claras no mercado de smartphones: o "notch" no topo da tela e os displays na proporção 18:9. Os Xiaomi Redmi 5 e 5 Plus são aparelhos que trazem a segunda característica para o segmento de aparelhos intermediários, buscando trazer essas telas mais alongadas a uma faixa de preço mais competitiva.

Artigo: Veja os smartphones que adotaram a tendência do "notch"

O Redmi 5 é o mais compacto dos dois, com uma tela de 5,7 polegadas e componentes de um produto de nível intermediário. Apesar do display maior, graças a proporção de tela mais alongada ele tem uma largura parecida com a de aparelhos com telas de 5,1", então ainda é fácil de segurar ele com apenas uma mão.

Link de compra Gearbest 2GB RAM/16GB armazenamento
Link de compra Gearbest 3GB RAM/64GB armazenamento

Preços

Preço no lançamentoU$ 180,00 07/12/2017U$ 135,00 07/12/2017R$ 1.009,00 28/08/2017R$ 999,99 04/08/2017
Preço atualizadoR$ 715,00 25/04/2018R$ 594,30 25/04/2018R$ 750,00 09/04/2018R$ 800,00 09/04/2018

Ficha Técnica

FabricanteXiaomi Xiaomi Motorola Samsung
Site oficialLinkLinkLinkLink

Display

Tamanho5,99 polegadas5,7 polegadas5.2 polegadas5.2 polegadas
Resolução1080x2160, 403 ppi 720x1440, 282 ppi 1080 x 1920 720x1280
TecnologiaIPS LCD IPS LCD IPS AMOLED
ProteçãoCorning Gorilla Glass Corning Gorilla Glass Gorilla Glass 3 Gorilla Glass 3

Câmera

Traseira12 MP 12 MP 16MP 13MP
Frontal5 MP 5 MP 5MP 13MP
Vídeos2160p@30fps, 1080@60fps 1080@60fps 1080p 30 fps 1080p 30 fps
DetalhesTraseira (f/2.2), phase detection autofocus, dual-LED dual-tone flash Traseira (f/2.2), phase detection autofocus, LED flash Abertura de f/1.7

Especificações

Sistema OperacionalAndroid 7 (Nougat) Android 7 (Nougat) Android 7.0 Android 7.0
ProcessadorQualcomm Snapdragon 625 Qualcomm Snapdragon 450 Qualcomm Snapdragon 430 Exynos 7870
Número de núcleos8 8 8 8
ClockOcta-core 2.0 GHz Cortex-A53 Octa-core 1.8 GHz Cortex-A53 1,4 GHz 1,6 GHz
GPUAdreno 506 Adreno 506 Adreno 505 Adreno 505
Memória RAM3, 4 GB2, 3, 4 GB2GB GB2 GB
Armazenamento interno32, 64 GB16, 32 GB32GB GB32 GB
Cartão microSDaté 128 GB até 128 GB Até 128GB Até 256GB
Bateria4000 mAh3300 mAh3.000 mAh mAh3.000 mAh mAh
Dimensões158.5 x 75.5 x 8.1 mm151.8 x 72.8 x 7.7 mm149,95 x 73,5 x 8,24 mm146.2 x 71.3 x 8 mm
Peso180 g157 g156,5 g160 g
Portas de conexãoMicro USB 2.0 Micro USB 2.0 Micro-USB Micro-USB
REDE4G 4G Sim Sim
Tipo de cartão SIMDual Nano-SIM Dual Nano-SIM Nano SIM Nano SIM

Recursos

Leitor de DigitalSIM SIM Sim Sim
ResistênciaNÃO NÃO Não
RadioFM FM Sim Sim
TV DigitalNÃO NÃO Não Não
Bluetooth5.0 5.0 4.2 4.1
Infra vermelhoSIM SIM Não
NFCNÃO NÃO Não Sim
GPS A-GPS, GLONASS, BDS A-GPS, GLONASS, BDS Sim Sim
ExtrasSensor de digitais Samsung Pay

Análise em vídeo

Design

O Redmi tem um visual que já é padrão entre vários aparelhos de entrada e intermediário: corpo metálico fosco com acabamento em plástico nas bordas. Apesar de não ser nem um pouco original, ele é discreto e funciona, sendo que a única coisa que não me agrada são as laterais com acabamento plástico e arredondado, que fica um tanto liso. Colocando a capa emborrachada, que vem inclusa na caixa, isso já melhora bastante.

O design do Xiaomi Redmi 5 não é nem um pouco original, mas funciona bem

Com o visual discreto, quem se sobressai é a tela.  O Redmi tem um bom display considerando o segmento que está inserido, com boas cores, definição suficiente com a resolução HD (720x 1440) e principalmente ótimos ângulos de visão graças a tecnologia IPS, o que quer dizer que a tela quase não distorce a imagem independente do ângulo que você olhe para ela.

Boa parte da área frontal é ocupada pelo display e as bordas mais notáveis são do topo e na base, porém mesmo elas são relativamente discretas. O único porém é que até sobrou espaço para a câmera frontal em cima (então nada de notch) mas não há espaço para os botões básicos da interação com o Android na parte de baixo, o que significa que você vai ter que optar entre perder parte da tela para ter os botões virtuais ou usar o recurso que fica escondendo eles (e que você vai precisar ficar fazendo swype pra trazer eles de volta).

Proporção 18:9 vale a pena: ainda é confortável de segurar com uma mão e ao mesmo tempo ganha mais área de tela

O destaque do aparelho, que é o uso da proporção 18:9 no display, realmente tem seu valor. Mesmo com uma tela ampla, com suas 5,7 polegadas, ele ainda é um aparelho fácil de ser segurado com apenas uma mão. Essa altura adicional funciona muito bem para muitos aplicativos que tem a orientação vertical, mostrando um pouco mais de posts em redes sociais ou mais um e-mail no Gmail, por exemplo. No uso na horizontal, em compensação, raramente traz alguma adição interessante, com vídeos e games muitas vezes colocando tarjas pretas nas laterais para manter a proporção 16:9, a usada na maioria do conteúdos disponíveis, hoje.

Na base do aparelho fica a caixinha de som, com áudio em apenas um lado, e um conector USB micro-USB. Assim como outros produtos dessas faixas de preço mais modestas, foi mantido o padrão antigo, Isso traz a vantagem de possibilitar usar carregadores de celulares anteriores mas em contrapartida pode ser negativo a médio prazo, já que a indústria vem migrando para o mais moderno USB Tipo-C. O posicionamento da caixa de som faz com que seja frequente as vezes que você bloqueia praticamente todo o áudio usando o aparelho, seja na vertical ou na horizontal. Esse é o aparelho que mais tive incômodos com isso.

Performance

O smartphone é equipado com o Snapdragon 450, um SoC do segmento intermediário atualizado na tecnologia de 14 nanômetros. Ele não é muito potente, com oito núcleos Cortex A53 operando na frequência não muito alta de até 1.8GHz, mas por usar a tecnologia de 14nm promete uma boa duração de bateria.

A performance é apenas regular

A performance é bem o que esperamos dos componentes que equipam ele. O Snapdragon 450 precisa de um tempo para abrir alguns aplicativos, e é bom ter paciência para ver telas brancas, enquanto o app está carregando. Em games ele também entrega um resultado regular, rodando PUBG Mobile, por exemplo, em qualidade mínima e com a performance apenas aceitável.


Felizmente não houve muita economia na parte de RAM, o que significa que alternar entre aplicativos é algo ágil e, na maior parte das vezes, eficiente, sem a necessidade de precisar esperar o aplicativo ser carregado novamente. Mesmo a versão mais barata desse aparelho traz os 2GB, patamar mínimo aceitável hoje em dia, e dá para optar por outra versão com 3GB.

A boa duração da bateria é um destaque desse aparelho

Se o Snapdragon 450 não impressiona na performance, na economia de energia ele entrega o prometido, e o resultado é uma boa autonomia no Redmi 5, que tem plenas condições de aguentar um dia de uso e talvez até dois se você faz um uso moderado do aparelho,


Câmera

O Redmi 5 tem uma câmera traseira de 12MP e abertura de f/2.2 e uma frontal de 5MP e suas capacidades são... bem, exatamente o que se espera de um aparelho de preço mais econômico. Em situações de boa luz ela chega a impressionar com a captura de detalhes e cores, porém quando as condições de luz pioram, fica difícil fazer uma foto de boa qualidade.




Considerando o custo do aparelho, o Redmi 5 se sai bem, só decepcionando quando a iluminação não é suficiente. A falta de estabilização óptica também faz falta, especialmente em vídeos.


Com um SoC não muito potente, o HDR também não é dos melhores. Além de demorar um pouco o processamento, ele fica inutilizado se houver qualquer movimentação na cena. Por ser lento, ele também não opera de forma automática, então você vai precisar habilitar e desabilitar manualmente o recurso. Tirado todos esses inconvenientes, seu uso traz uma boa diferença na captura de detalhes da cena que não apareceriam por contrastes excessivos de iluminação.

Diferença de uma cena com e sem HDR habilitado

Conclusão

O Redmi 5 entrega muito bem sua proposta: ser um dispositivo mais acessível com a tela na proporção 18:9. Em vários aspectos, acredito que ele consegue ir além: ele é um bom aparelho de baixo custo. Apesar de não se sobressair em aspectos como tela, performance e câmera, ele entrega um resultado suficiente em todos esses elementos, e no geral a experiência com ele é positiva, com destaque para a boa autonomia.


Nos principais pontos negativos, além do desempenho "apenas OK" do Snapdragon 450 que equipa esse aparelho,  a câmera entrega resultados "honestos" considerando as limitações desse segmento de preço. Também encontrei algumas incompatibilidade com apps do Google Play, nesse caso o muito popular Netflix que precisou ser instalado via APK, situação longe da ideal.

Notas: Xiaomi Redmi 5
Design
8,0
Tela
8,0
Câmera
7,0
Performance
7,0
Autonomia
9,0
Preço
9,0

Isso traz a discussão para a polêmica MIUI, interface altamente modificada do Android usada pela Xiaomi em seus aparelhos.  Esse é um campo onde as preferências do consumidor contam, já que essas alterações podem desagradar consumidores que preferem um sistema menos "mexido". Para quem já está acostumado com a MIUI ou não vê problemas nessas alterações, isso não importa muito. A MIUI traz algumas funções úteis como um controle remoto (que faz uso do infravermelho desse aparelho), capacidade de clonar apps (para ter dois whatsapps no mesmo smartphone por exemplo) e loja de temas para o celular, entre outras funcionalidades adicionais.

Telas da interface da MIUI

O Redmi 5 trás duas configurações principais de RAM e armazenamento,  A versão de 2GB de RAM e com 16GB de espaço custa na casa dos R$ 500, enquanto os mais "espaçosos" 3GB e 32GB saem por R$ 750, um investimento adicional que compensa por garantir um maior tempo antes de lidar com problemas como falta de espaço ou lentidão por falta de memória.

Link de compra Gearbest 2GB RAM/16GB armazenamento
Link de compra Gearbest 3GB RAM/64GB armazenamento

Nesses valores o smartphone tem preços muito competitivos, mesmo considerando eventuais taxas de importação, e barato principalmente se comparado aos produtos no mercado nacional. O Moto G5S, por exemplo, custa na casa dos R$ 750 e tem a vantagem de uma tela FullHD, mas está desatualizado com o Snapdragon 430 e chega com apenas 2GB de RAM, situação parecida com a do J5 Pro, que passa a ter uma tela AMOLED mas apenas na resolução HD.

Análise: Samsung J7 Pro
Análise: Motorola Moto G5S

Como não é vendido no Brasil, o Redmi 5 tem todos os inconvenientes de produtos que precisam ser comprados no exterior

O inconveniente principal é que esse aparelho não está à venda no Brasil, sendo necessário comprá-lo no exterior. Isso significa tempos de entrega muito mais demorados e maiores dificuldades em aspectos como assistência e garantia. Se você está disposto a encarar esses problemas, esse aparelho é uma excelente opção, uma das melhores existentes nesse segmento de preço.

Resultado: Você prefere o Redmi 5 ou o Redmi 5 Plus?
Redmi 5 Plus
90.09%
Redmi 5
9.91%

Total de 757 votos












Nota

9,0

Prós

  • Excelente preço
  • Tela na proporção 18:9
  • Boa duração de bateria
  • Display com boa qualidade
  • Design genérico mas bem funcional

Contras

  • Performance apenas regular
  • Câmera com baixo desempenho em situações mais adversas
  • Não disponível para compra no Brasil
  • Alterações profundas no sistema Android
  • Caixa de som fácil de ser obstruída quando segurando