ANÁLISE | DJI Mavic 3 - O melhor drone do mundo, mas você precisa dele?

ANÁLISE | DJI Mavic 3 - O melhor drone do mundo, mas você precisa dele?

5.1K 50FPS, 4K 120FPS, bitrate de até 200 Mbps, sensores em todas as direções, até 15Km de distância e 46 minutos de voo (SQN!)

Leitura Rápida

  • Drone tem sistema de câmeras duplas Hasselblad, uma principal e outra tele com zoom hibrido de até 28x
  • Sensor principal tem 4/3 CMOS, 20MP, abertura f/2.8 até f/11 e bitrate de até 200 Mbps
  • Câmera principal grava vídeo em 5.1K 50FPS e 43K 120FPS com ótima qualidade
  • Sensores de obstáculos cobrem todas as direções, bom para segurança e voos automáticos
  • ActiveTrack 5.0 e APAS 5.0 fazem o drone seguir algo se desviando de obstáculos no trajeto
  • A distância de controle pode chegar a 15Km em um cenário sem interferência
  • Quickshots, Mastershots e fotos panorâmicas também estão presentes
  • A bateria promete até 46 minutos, mas não chega em 35 minutos
  • Versão Cine traz SSD de 1TB e suporte a gravação de vídeos em formato Apple ProRes
  • Mavic 3 standard custa US$2.199, Mavic 3 Fly More US$2.999 e Mavic 3 Cine Premium US$4.999

Depois de alguns meses testando o drone Mavic 3, tenho uma boa noção do que o modelo topo da DJI é capaz e nessa análise (review) bem completa falo o que achei de todas as principais características do drone. O Mavic 3 foi o último e mais completo entre quadro modelos de drones que a DJI lançou em 2021. Com muitas tecnologias, o destaque principal fica para a qualidade de imagens(a DJI usa o slogan "Imagem acima de tudo" para esse modelo), um dos melhores drones já criados nesse quesito, consequentemente também o mais caro. Que ele é um dos melhores drones do mundo para consumidores não há duvidas e é isso que se espera da linha top da DJI, mas será que ele é bom em tudo que promete? Vale a pena o alto investimento? Nessa análise vou falar o que eu gostei e o que eu não gostei no Mavic 3 após alguns meses de testes em diferentes cenários, colocando a prova as principais tecnologias do drone.

Drone Mavic 3 busca ser a referência em alta qualidade de imagens e tecnologias para consumidores

 

Não recebemos o drone da DJI, sendo assim para fazer a review e gerar conteúdos nós compramos o Mavic 3 Fly More combo, versão intermediária dentre as lançadas, que traz tudo que vem no kit standard(o mais básico) além de baterias extras, hub de carregamento, filtros ND e uma case como destaques extras. Essa versão foi lançada por US$2.999 dólares, sem considerar impostos. O nosso custou cerca de US$3.300 dólares no valor final. Já o modelo standard, o mais simples, foi lançado por US$2.199, enquanto a versão Mavic 3 Cine Premium que traz um o drone com SSD de 1TB integrado e suporte a vídeos em formato Apple ProRes, além de acompanhar o controle DJI RC Pro com uma tela integrada, foi lançada por US$4.999, sem impostos.

Site oficial do DJI Mavic 3

No Brasil o Mavic 3 ainda não chegou de forma oficial homologado pela Anatel, assim como tem acontecido com vários dos últimos lançamentos da DJI, logo para comprar é necessário recorrer a importadores e depois fazer o processo de homologação, que foi o nosso caso. Considerando que um DJI Air 2S Fly More "nacionalizado" custa mais de R$13.000 e lá fora custa US$1.299, ou seja, valor multiplicado por 10x para chegar no valor próximo em reais, quer dizer que um Mavic 3 Fly More que custa US$3.000 deve chegar por mais de R$30.000.

Análise / Review em vídeo

Se ainda não viu, abaixo a review em vídeo do Mavic 3. Nessa análise em texto eu entro mais a fundo em alguns detalhes que esqueci de falar na review em vídeo.

Recomendo ver a análise em vídeo em uma tela grande como de uma TV

 


Principais especificações dos drones DJI Mavic 3

- Sistema com duas câmeras modelo L2D-20c desenvolvido pela Hasselblad
- Câmera principal com sensor de 4/3 polegadas, 20MP, FOV 84º, 24mm, abertura variável f/2.8 até f/11, bitrate de até 200Mbps
- Câmera principal com gravação de vídeos em resolução 5.1K 50FPS, 4K 120FPS, 1080p 200FPS
- Suporte a gravação em formato Apple ProRes 422 HQ disponível apenas na versão Cine
- Câmera secundária tele com sensor de 1/2 polegadas, 12MP, FOV 15º, 162mm e abertura f/4.4
- Câmera secundária com gravação de vídeos em resolução 4K 30FPS e zoom de até 28x
- 8GB de armazenamento no modelo padrão, SSD de 1TB no modelo Cine, além de slot microSD em ambos os modelos
- Sistema de gimbal mecânico com 3 eixos
- Suporte a gravação de fotos em formato JPEG / RAW
- Sensores de obstáculos em todas as direções
- Autonomia de voo de até 46 minutos por bateria de acordo com a DJI
- Bateria de 5000mAh LiPo 4S com carregamento rápido de 65W
- Tecnologia de transmissão O3+ com resolução 1080p
- Distância de controle de até 15Km (FCC)
- Hub de carregamento com conexão USB C
- Peso de 895 gramas no Mavic 3 e 899 gramas no Mavic 3 Cine

Continua após a publicidade

As versões do Mavic 3 e o que vem na caixa de cada um

Abaixo em detalhes o que vem na caixa de cada combo comercializado pela DJI do drone Mavic 3, porém como já destacamos, com duas versões do drone, o Mavic 3 e o Mavic 3 Cine.

O que vem na caixa do Mavic 3 Standard:

1x drone DJI Mavic 3
1x Controle remoto RC-N1
1x par extra de sticks para o controle remoto
1x cabo do controle padrão USB Type-C
1x cabo do controle padrão Micro-USB
1x cabo do controle padrão Lightning (Apple)
1x bateria para o drone
3× pares de hélices
1x carregador de 65W
1x protetor do gimbal e carcaça do drone
1x cabo USB Type-C
Preço US$2.199


O que vem na caixa do Mavic 3 Fly More:

1x drone DJI Mavic 3
1x Controle remoto RC-N1
1x par extra de sticks para o controle remoto
1x cabo do controle padrão USB Type-C
1x cabo do controle padrão Micro-USB
1x cabo do controle padrão Lightning (Apple)
3x baterias para o drone
6× pares de hélices
1x carregador de 65W
1x HUB de carregamento para as baterias
1x protetor do gimbal e carcaça do drone
1x kit de filtros ND (ND4\ 8\16\32)
1x cabo USB Type-C
1x Bolsa para carregar drone e acessórios
Preço US$2.999

OBS.: A DJI anunciou que terá uma versão do combo Fly More com o controle RC Pro para alguns mercados, logicamente esse combo terá um valor acima do Fly More tradicional devido o custo maior do controle RC Pro.

Abaixo nosso vídeo de unboxing do kit Fly More comparando o drone com vários outros modelos:


O que vem na caixa do Mavic 3 Cine Premium:

1x drone DJI Mavic 3 Cine
1x Controle remoto RC Pro
1x par extra de sticks para o controle remoto
1x cabo do controle padrão USB Type-C
1x cabo do controle padrão Micro-USB
1x cabo do controle padrão Lightning (Apple)
3x baterias para o drone
6× pares de hélices
1x carregador de 65W
1x HUB de carregamento para as baterias
1x protetor do gimbal e carcaça do drone
1x kit de filtros ND (ND4\ 8\16\32)
1x kit de filtros ND (ND64\128 256\512)
1x cabo de transferência de dados de 10Gbps
1x cabo USB Type-C
1x Bolsa para carregar drone e acessórios
Preço US$4.999

Continua após a publicidade

Design, peso, tamanho e resistência ao vento do Mavic 3

O design do Mavic 3 foi planejado durante anos visando melhorias sobre os modelos Mavic 2 e versões de drones lançadas anteriormente com esse perfil de tamanho. Ele tem materiais de ótima qualidade e acabamento muito bom como era de se esperar. Diferente dos demais modelos da DJI, ele tem duas tonalidades de cores, um cinza mais escuro em algumas partes, com pequenas mudanças de tonalidade em outras partes.

A câmera com sistema de gimbal ficou mais saltada para fora do drone, é certamente a parte mais delicada como de costume, mas que no caso desse modelo que tem um custo bem alto, vai ser um problema ainda maior em uma eventual colisão. Alias, ao menos na primeira leva de drones, os braços encostam no gimbal quando fechados, o nosso já está todo marcado. O lado positivo é que o drone acompanha um protetor para o gimbal, câmera, mas também deixa presas as hélices e até protege um pouco o corpo do drone quando guardado. Acho que ainda podem melhorar um pouco essa questão, as vezes as hélices ficam levemente soltas.

Os braços estão mais finos, e os sensores apesar de enxergarem todas as direções estão em menor quantidade do que a linha Mavic 2, isso porque tiveram uma mudança de conceito e na própria posição onde ficam no corpo do drone, logo conseguem cobrir o mesmo espaço que um modelo com mais sensores, como exemplo cito os sensores da parte frontal, que cobrem a parte da frente e a lateral frontal. Quando falamos de diferenças entre o Mavic 3 e o Mavic 3 Cine na parte externa, o que muda é apenas o nome impresso no braço, já que o formato é exatamente igual, ficando por parte do SSD de 1TB integrado e de tecnologias como o Apple ProRes a diferença entre eles.

Design moderno e muito bonito, com cores mais escuras que linhas inferiores

Em se tratando das conexões, agora elas ficam posicionadas na parte de traz do drone, uma mudança muito boa frente aos modelos que trazem as conexões nas laterais, escondidas pelos braços quando o drone esta fechado. Está disponível uma conexão USB Tipo C e uma conexão para cartão microSD, sendo que a conexão USB pode ser utilizada tanto para transferência de dados, eventuais atualizações do drone e mesmo para adicionar acessórios como o Dongle 4G, como para carregar a bateria do drone quando ela estiver conectada ao drone.

Como estamos falando de um drone que grava em alta resolução, é importante destacar que é necessário um cartão com suporte a velocidades mais altas. Nós utilizamos um modelo Kingston Canvas React Plus com nível V90, entre os mais rápidos do mercado.

O tamanho do Mavic 3 é muito próximo ao dos modelos Mavic 2, e o peso também. Os dois modelos Mavic 3 pesam levemente abaixo dos modelos da linha Mavic 2. Enquanto o Mavic 2 Pro pesa 907 gramas, o Mavic 3 pesa 895 gramas e o Mavic 3 Cine 899 gramas.

As hélices voltaram a ter o sistema de proteção de conexão, evitando que o usuário conecte uma hélice em um braço errado, como pode acontecer com modelos com o Air 2S e o FPV Drone.

A bateria também tem um novo conceito de encaixe, semelhante aos modelos da linha Mini e também de drones como o EVO II. Acho bem válida essa mudança, já que da uma segurança extra comparado com baterias encaixadas pela parte de cima. Outro ponto interessante é que ela pode ser carregada diretamente dentro do drone e através de um cabo USB C. Vale destacar que para carregar a bateria com a mesma velocidade do carregador original é necessário um carregador de parece com 65W. Para nível de comparação um Galaxy S22 Ultra tem carregamento de 45W e um iPhone 13 Pro Max de 27W, caso use um carregador deles o processo de carga será bem mais demorado, alias, já é bem demorado com o carregador original de 65W da DJI, uma hora e quarenta minutos para a carca completa de uma bateria.

Abaixo tabelas comparativas mostrando diferenças de especificações entre os modelos

Preços

Preço no lançamentoU$ 1.449,00 23/08/2018U$ 2.199,00 04/11/2021U$ 4.990,00 04/11/2021
Preço atualizadoR$ 17.620,00 11/05/2021U$ 2.199,00 04/11/2021U$ 4.990,00 04/11/2021

Ficha Técnica

Tipo do produtoDrone Drone Drone
Link oficialLinkLinkLink

Características

Autonomia de voo31 minutos46 minutos46 minutos
Bateria do droneLiPo 4S, 3850 mAhLiPo 4S, 5000 mAhLiPo 4S, 5000 mAh
Tempo de carga de uma bateria90 minutos96 minutos96 minutos
Distância de controleOcuSync 2.0, 10.000 metros15.000 metros15.000 metros
Resolução de transmissão1080p O3+, 1080p O3+, 1080p
Velocidade máxima72 Km/h75,6 Km/h75,6 Km/h
Resistência ao ventoEscala 5 - 28,9 - 38,6km Escala 6 - 12 m/s ou 43,2km Escala 6 - 12 m/s ou 43,2km
Resolução de vídeo4K 30FPS, 2.7K 60FPS, 1080P 120FPS, 100Mbps, ISO 100-6400, com tecnologia Hasselblad Principal: 5.1K 50FPS, 4K 120FPS, 1080P 200FPS, 200Mbps com tecnologia Hasselblad Principal: 5.1K 50FPS, 4K 120FPS, 1080P 200FPS, 200Mbps com tecnologia Hasselblad
Formato dos vídeosMP4 / MOV (MPEG-4 AVC/H.264, HEVC/H.265) MP4/MOV (H.264/MPEG-4 AVC, H.265/HEVC) MP4/MOV (H.264/MPEG-4 AVC, H.265/HEVC), Apple ProRes 422HQ
Sensor da câmera20MP, 1 CMOS, 2000w, f2.8-f11, ISO 100-3200 (auto) 100-12800 (manual), 5472×3648px 20MP, 4/3 CMOS, f/2.8 f/11, FOV 84º, 24mm ISO 100-6400 + 12MP 1/2 CMOS, f/4.4, FOV 15º 162mm ISO 100-6400 20MP, 4/3 CMOS, f/2.8 f/11, FOV 84º, 24mm ISO 100-6400 + 12MP 1/2 CMOS, f/4.4, FOV 15º 162mm ISO 100-6400
Formato das fotosJPEG/DNG (RAW) JPEG/DNG (RAW) JPEG/DNG (RAW)
EstabilizaçãoGimbal de 3 eixos (tilt, roll, pan) Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw) Gimbal de 3 eixos (pitch, roll, yaw)
Funções automáticasActiveTrack 2.0, Point of Interest 1.0, Spotlight 1.0, Quickshots ActiveTrack 5.0, Point of Interest 3.0, Spotlight 2.0, Mastershots, Quickshots ActiveTrack 5.0, Point of Interest 3.0, Spotlight 2.0, Mastershots, Quickshots
Sensores de detecçãoEm todas as direções (APAS 2.0) Em todas as direções (APAS 5.0) Em todas as direções (APAS 5.0)
Sensor ADS-BNÃO SIM SIM
Armazenamento de dados8GB Interno + microSDXC 8GB interno + microSDXC 1TB interno + microSDXC
QuickTransferNÃO 60 MB/s 60 MB/s
Controle por gestosNÃO NÃO NÃO
Live StreamSIM SIM SIM
GPSGPS, Glonass GPS, Galileo, BeiDou GPS, Galileo, BeiDou
Tamanho guardado214 x 91 x 84 mm221 x 96,3 x 90,3 mm221 x 96,3 x 90,3 mm
Tamanho aberto322 x 242 x 84 mm347,5 x 283 x 107,7 mm347,5 x 283 x 107,7 mm
Peso montado907 gramas895 gramas899 gramas
App de controleDJI GO4 DJI Fly DJI Fly
Controles suportadosPadrão, DJI Smart Controller RC-N1, RC Pro (RM510) RC-N1, RC Pro (RM510)
ExtrasCarregador USB-C de 65W Carregador USB-C de 65W


O Mavic 3 traz o mesmo controle de modelos como o Mini 2 e Air 2S

O controle é o mesmo já conhecido de modelos como o Mavic Air 2, Mini 2 e Air 2S, que diferente de modelos como os da linha Mavic 2, não tem display integrado. Esse controle é muito bom, tem uma boa pegada e bateria para voo com cerca de 5 baterias do Mavic 3. O contra é justamente o fato de ser um controle mais simples, e com o alto preço do Mavic 3, muitos como eu esperavam um controle com alguns diferenciais, especialmente relacionado ao display tradicional das linhas anteriores nesse perfil. Para dar esse diferencial a DJI colocou junto ao Mavic 3 Cine o controle RC Pro, uma versão que traz uma tela integrada e que não precisa de um smartphone acoplado, mas existe um custo bem mais alto por essa opção. A empresa inclusive anunciou que vai lançar uma versão do combo Fly More com o controle RC Pro, mas novamente, vai ter um custo para optar por essa versão. O controle RC Pro é vendido de forma separada por U$1.199.

É possível usar o controle do Mavic 3 em outros modelos como com o drone Air 2S, mas é necessário atualizar o firmware a cada troca de drone

 

É possível usar o controle RC-N1 do Mavic 3 com drones como o Air 2S, mas a cada troca de drone o controle precisa ter sua firmware atualizada, um processo que não é demorado, mas chato se a ideia é ter os dois drones com apenas um controle, já que será necessário ser feita a atualização toda hora que trocar os drones.


Bolsa do Fly More é interessante, mas bem maior que anteriores

A "bolsa" que acompanha o kit Fly More do Mavic 3 (e do Cine Premium também) é bem diferente das demais que acompanham kits Fly More da DJI. A empresa desenvolveu um modelo tudo em um bem versátil, que permite virar "bolsa" de mão, bolsa de ombro e também uma mochila, tudo com acessórios fixos e que ficam guardados dentro da própria bolsa. Essa versatilidade pode ser bem interessante em vários casos, especialmente no uso tradicional de bolsa/maleta e quando vira o "modo" mochila.

Mas apesar dessa versatilidade, ela cresceu bastante comparada com modelos anteriores, chegando a dobrar ou até um pouco mais o tamanho. Em alguns aspectos é bom, afinal tamanho maior indica possibilidade de guardar outras coisas junto, mas na prática os espaços internos que ficaram disponíveis não são tão bons assim, ou seja, o tamanho bem maior não indica que vai de fato possibilitar guardar muitos extras dentro dela. Tudo bem organizado, será possível colocar uma câmera ou mesmo um outro drone como um Air 2S, mas sem o controle dele, considerando alternar o uso do controle entre os drones.


Câmeras Hasselblad com gravação de vídeos em 5.1K 50FPS, 4K 120FPS e bitrate de até 200Mbps

Como a DJI destacada, "Imagem acima de tudo", esse é o slogan para trabalhar a linha Mavic 3, e de fato a qualidade de imagem do conjunto de câmeras feito em parceria com a Hasselblad é um dos destaques desse modelo, especialmente da câmera principal que traz um sensor de 4/3 polegadas (1.33 polegadas), FOV de 84ª graus e uma lente de 24mm. Para deixar tudo ainda melhor, bitrate de até 200Mbps, uma taxa bem alta que muitas câmeras de mão não tem, e que na prática pode proporcionar que os vídeos tragam mais informações, e isso que dizer detalhes. Vale destacar que na medida que a resolução diminui, o bitrate também diminui. Outro ponto importante é que isso é dado técnico, que na prática pode não garantir qualidade maior do que imagens de uma câmera com bitrate menor, tudo depende de como a empresa trabalha as especificações em uso real.

Vídeos em 5.1K com bitrate de 200Mbps entregam alta qualidade em detalhes

 

Outra resolução muito bem vinda é o 4K 120FPS, que proporciona vídeos em alta qualidade e câmera lenta. É importante destacar aqui que nessa configuração a qualidade fica abaixo da resolução 4K 30FPS por exemplo, já que para ter mais quadros por segundo algo precisou ser comprometido, e foi a qualidade final.

Abaixo um vídeo mostrando o que de melhor capturei com o Mavic 3 nos primeiros testes que fiz, vídeo que recomendo conferir em uma TV de alta resolução.

Zoom 7x é bom para "Explorar"

Mas além da câmera principal, o Mavic 3 tem como destaque uma segunda câmera tele, que vai proporcional um sistema de zoom hibrido. Quando usando essa câmera, que tem uma lente de 162mm, é possível capturar imagens de objetos em uma distância consideravelmente longa com boa qualidade, mas em um nível bem inferior ao zoom padrão. É possível utilizar os modos de zoom 1x, 2x, 4x, 7x(que usa a lente de 162mm), 14x e 28x. Especialmente nesses dois últimos a qualidade fica bem comprometida, sendo interessantes principalmente para o modo "explorar" que é justamente como a DJI chama a função de uso dessa câmera.

O Zoom 7x usa a câmera tele em seu modo nativo, dependendo o cenário é possível utilizar as imagens captadas por elas, mas não tem o mesmo nível de qualidade que quando a câmera trabalhando em seu modo normal.

Como outros detalhes, a câmera tele grava em resolução máxima de 4K 30FPS.


Mavic 3 se sai muito bem em fotos

Um bom conjunto de câmeras para vídeos, que se saem tão bem quanto em fotos. A câmera principal do Mavic 3 tem um sensor de 20 megapixels com abertura variável f/2.8 até f/11, permitindo fotos com muita qualidade mesmo com baixa iluminação. Já publiquei um artigo bem completo mostrando a qualidade de imagem do Mavic 3, que atualmente é um dos melhores nesse perfil de drones, ou talvez o melhor. Quando falamos da câmera principal, é incrível a qualidade em detalhes e suavidade das cores. A abertura variável possibilita que usuários mais avançados tirem o máximo desse tipo de característica, conseguindo boas fotos com efeitos bem interessantes como os famosos rastros de luz.

Mavic 3: O melhor drone do mundo em fotos

Mavic 3 faz fotos excelentes de dia e a noite

 

Abaixo algumas fotos que capturei com o DJI Mavic 3, sem nenhuma edição, apenas reduzindo a resolução para tornar os arquivos mais leves:

Fotos a Noite
Um sensor bem grande é garantia de alta qualidade em fotos com pouca iluminação, e é isso que acontece com a câmera principal com sensor de 4/3 da Hasselblad. Como podem ver abaixo, as fotos ficaram incríveis, mostrando que esse modelo se sai muito bem nesse cenário.

Fotos com zoom 1x até 28x
Para ficar mais claro, fiz uma publicação em meu Instagram mostrando alguns cenários da qualidade entre os modos de zoom do Mavic 3. Como já explicamos acima, apenas o modo 7X da câmera tele pode ser considerado óptico.

Um detalhe que me incomoda é que é necessário ficar alternando entre as câmeras, ao menos por enquanto não tem uma função para mudar diretamente sem clicar na tela para alternar entre as câmeras, fora ter que passar por todos os modos de zoom sem pular para um específico, outra coisa que também incomoda. Eu gostaria de poder alternar entre a câmera principal e o 7X da câmera tele de forma fácil. Por mais de uma vez eu troquei para a câmera tele, que tem como modo justificável para uso de imagem o zoom 7X por ser de maior qualidade, de resto tem mais sentido utilizar a câmera principal, mas por ter alterado para a tele só muda para a principal clicando em um botão de novo, e acabei tirando sem querer fotos em 1X na câmera tele que tem qualidade inferior e não salva em formato .DNG.

A DJI chama a câmera tele de modo "Explorar", relacionado ao fato de ser possível se aproximar de locais sem precisar ir até o mesmo. É interessante e faz sentido, mesmo para um drone, poder ver mais longe antes de se aproximar e perder tempo e bateria com o processo. Acho que em poucos casos será utilizado o modo zoom para de fato gravar imagens, tirando situações bem específicas.

Fotos panorâmicas
Em fotos panorâmicas ele também se saiu muito bem, e de forma impressionante os movimentos para o processo de capturas das fotos é muito rápido. Abaixo um exemplo de foto em 180º e outro em modo vertical.

Fotos original e editadas
Todos os usuários profissionais buscam um drone com esse prfil porque ele oferece alta tecnologia em sua câmera, associado ao poder de pró produção dos materiais. Se você acha que a maioria das fotos e vídeos compartilhados é exatamente como foi capturada pela câmera, lamento informar que não. Nós costumamos sempre informar se a foto é original sem edição destacando no texto e com a tag NOFILTER, do contrario, tem sim edições, até porque como colocado, é justamente o perfil desse produto, oferece a possibilidade de profissionais de fotografia e vídeo melhorarem a qualidade das imagens, ou mesmo colocar uma personalização mais refinada a gosto próprio. Não vejo nada de errado nisso, pelo contrario, como coloquei, é justamente o diferencial de um produto assim, mas é legal mostrar essa diferença, ou destacar ao menos em algumas situações.

Edição de fotos é algo muito pessoal, e nesse caso deixei tudo via opção automática do Adobe Photoshop Lightroom

 

Abaixo fiz alguns comparativos bem legais mostrando o quanto uma foto pode ser melhorada, ou as vezes pioradas. Lógico que cada um tem uma percepção do que é bom e ruim nesses casos, mas o ponto aqui é mostrar o potencial que a câmera principal especialmente, proporciona na pós produção. Vale destacar novamente que apenas a câmera principal suporta fotos em formato RAW, a câmera tele não tem essa característica, logo a edição é apenas em cima da imagem JPEG.

Qual a diferença entre RAW (.DNG) e JPEG (.JPEG)? As imagens em formato .DNG tem uma quantidade maior de informação de cores, por isso os arquivos ficam bem maiores. E quanto mais informação tem um arquivo, mais ele oferece de possibilidades para edição. Arquivos JPEG tem uma codificação de compactação, para ficarem menores em tamanho, logo quando acontece essa codificação, eles perdem detalhes que poderiam ser utilizados para trabalhar a pós produção, justamente o que os arquivos .DNG tem a oferecer como extra.


Mavic 3 tem sensores em todas as direções

Assim como os modelos da série Mavic 2, o Mavic 3 traz sensores em todas as direções, dessa forma ele consegue "enxergar" em todas as direções em tempo real, e isso ajuda em duas questões importantes, a primeira relacionada a segurança, evitando colisões, já a segunda ajudando nos modos de voo autônomo onde o drone se desvia automaticamente de obstáculos no trajeto.

Posso afirmar que a DJI evoluiu muito na questão de voo autônomo com as tecnologias relacionadas ao Focus Track, no Mavic 3 composta pelo ActiveTrack 5.0, Point of Interest 3.0 (Ponto de Interesse) e Spotlight 2.0 (Holofote). Fizemos um vídeo bem completo mostrando como o drone se comporta com essas tecnologias, mostrando que a empresa deixou o drone muito responsivo associado a tecnologia APAS 5.0, que faz o drone se desviar de obstáculos no trajeto. Recomendo conferir esse vídeo, que ficou bem completo:


Quickshots tornam tudo mais fácil

Os modos pré configurados Quickshots para captura de imagens já são tradicionais em drones da DJI, e são muito bem vindos em várias situações. No caso do Mavic 3, eles demoraram para aparecer, sendo lançados em uma firmware mais de 2 meses após o lançamento do drone, sem novidades como um novo modo sobre modelos de linha inferiores como o Air 2S. Esperava que a DJI adicionasse algum Quickshot diferente para esse modelo. Já no quesito qualidade dessa funcionalidade, as imagens ficam muito bonitas, com destaque para o modo Asteroid e outros já tradicionais como o Bumerang e Helix, sendo os dois primeiros disponíveis apenas nos modelos de drones mais caros da empresa.

Os modos quickShots sempre podem gerar belas imagens

 


Mavic 3 vai até 15km de distância? Não fui nem perto disso

A cada novo drone a DJI tem evoluído no quesito distância que o drone pode controlar, mas essa é aquela especificação bem "nonsense" em meu modo de ver. Não vejo sentido ir até 15Km se a distância máxima de autonomia de bateria que o drone pode voar é de 30km(nem sei se é, já que ele fica bem abaixo da autonomia prometida pela DJI), ou seja, garante a ida e volta no melhor cenário possível, sem ventos. É comum vídeos na internet mostrando usuários fazendo os famosos "long range" sem considerar o vento, e ao atingir distâncias de 10km com apenas 35% da bateria consumida na ida, ao fazer a "curva" para voltar o drone, com vento contra a estimativa de bateria muda instantaneamente e pronto, um grande potencial para perder o drone se não tiver um local para pousar no trajeto.

Em meu modo de ver, a tecnologia OcuSync 3+ ou apenas O3+ como a DJI chama agora, é muito boa para garantir boa conexão em distância intermediárias dentro do limite, porque mesmo em locais abertos como "enviando" o drone para o meio do mar, ao ultrapassar os 10km o sinal já começa a ficar comprometido em algumas situações, sem contar que o tempo de autonomia de voo para essas situações inviabiliza ter tempo justamente para captar imagens, logo não tem muito sentido para a maioria dos cenários, e como mencionei, com potencial de colocar tudo a perder.

A tecnologia OcuSync 2 do Mini 2é muito melhor em qualidade de sinal do que a tecnologia presente no Mavic Mini

 

Eu fiz testes com distância máxima de 5km, sem nenhum problema, e mesmo nessa distância foi justamente para testes mesmo, porque ao menos para meu uso não vejo sentido. Esse tipo de tecnologia depende muito do uso e do local onde se voa. Vale ainda destacar que a distância de controle fica bem comprometida em cenários urbanos, com mais interferência do que cenários rurais por exemplo.


A bateria com até 46 minutos é lenda, não passa de 35 minutos

Se tem uma coisa que me animou muito no lançamento do Mavic 3 foi a autonomia de bateria de 46 minutos, o drone nesse perfil que voaria por mais tempo, mesmo considerando os tradicionais 10% a menos do que as empresas prometem na prática. Mas ai que vieram os testes e mal chega a 35 minutos, mesmo em dias com pouco vento, esse é o limite considerando que depois de 10% o drone força voar, e antes disso ainda ficam os avisos na tela. Fiquei extremamente frustrado em esperar tempos acima de 40 minutos e receber de apenas 35 minutos, é muito abaixo do que a empresa promete, 30% de perda frente ao prometido em baterias novas? Não pode!

DJI fala em até 46 minutos, mas não passa de 35 minutos na prática!

Além disso tem outros problemas, para carregar uma bateria é necessário 1 hora e 40 minutos no mínimo, mesmo com o suposto carregador rápido. Então toda a expectativa que eu mesmo tinha gerado por trazer um carregador de alta potência associado a conexão USB C foi por agua abaixo, ainda mais com o tempo bem abaixo do prometido para essas baterias de 5.000 mAh.

E quando falamos de carregamento com powerbank, algo que eu particularmente tinha criado uma expectativa grande já que agora é possível carregar via cabo USB C, esquece, não é algo viável na prática. Comprei um powerbank de 30.000 mAh e 65W, mesma potência de carga do carregador oficial da DJI para o Mavic 3, porém 

"Mas Fábio, USB passa menos energia do que um cabo de energia direto na tomada", sim, mas cada vez essa diferença diminui. No Mavic Mini a alimentação era de menor potência, no Mini 2 o HUB já é baseado em USB Tipo C com até 18W, possibilitando carregar uma bateria em cerca de 1 hora, poderia ser menos sim, mas o melhor de tudo é que por ser USB é possível usar um powerbank para carregar, e ai meus amigos, está feito o diferencial, isso não é um detalhe qualquer, isso é um mundo de diferença dependendo de onde você estiver ou para onde for.

Esquece usar Powerbank para carregar as baterias, não é viável mesmo com modelos de 65W

Vai para uma ilha sem energia? leve um powerbank de 20.000 mAh que não é nada incomum e nem tão caro hoje em dia e você tem carga para o controle e mais duas carcas completas para todas as três baterias, tem noção do que é isso? nada menos do que 4 horas e meia de voo. Sim, tem o tempo necessário para recarregar, que ainda tem que melhorar, mas é um diferencial muito forte frente aos carregador que precisam de tomadas. Para não ser injusto, é possível carregaras baterias dos drones Mavic Air, Air 2 e Mavic 2 através do adaptador que acompanha o combo Fly More, mas esse conceito mais rápido e prático carregando multiplas baterias dos modelos Mini é muito bom.

Para ficar perfeito, só carregando de forma mais rápida como já vemos em alguns celulares. Um celular intermediário premium já carrega uma bateria de 5.000mAh em uma hora, imagina quando isso acontecer com um carregador como esse, enquanto voando com o drone, uma bateria sendo carregada por completo. SONHO! 


O GPS está com problemas?

A DJI fez uma mudança no Mavic 3 em se tratando do sistema de conexão com GPS, e parece que com isso o drone passou a apresentar problemas com lentidão para se conectar aos satélites de GPS, com casos na internet que passam dos 10 minutos de espera. Eu não tive problemas com demoras tão longas como essas, mas é certo afirmar que o tempo que leva para um Air 2S se conectar aos satélites é muito menor do que o tempo que o Mavic 3 leva.

Na prática, se o drone não se conectar aos satélites e você mandar ele decolar, ele não vai ficar paradinho pairando como acontece em um modelo que já está com os sinais de gps, ficando por sua conta o controle do drone. Por isso fica a dica para ficar de olho nessa situação a fim de evitar algum acidente.

Firmware v01.00.0600 promete corrigir problema com GPS

Problema com GPS continua após atualização de firmware v01.00.0600

Removemos a critica desse problema na análise em vídeo que saiu poucos dias após o firmware, mas parece que deveríamos ter mantido

 

Um firmware lançado dia 23/03/2022 prometia corrigir o problema com essa lentidão para sincronizar a conexão com GPS, mas vários usuários estão reportando que o problema continua, deixando uma duvida importante no ar. Será que esse problema pode ser resolvido via software (atualização de firmware), ou é algo relacionado a hardware? Eu tinha criticado esse problema na review em vídeo, mas optei por remover já que a notícia nas últimas horas antes de finalizar a edição, e poucas horas depois de publicarmos, começaram a aparecer relatos de que o problema continuava. A DJI fez novo pronunciamento detacando que pretende lançar uma nova atualização de correção em até 2 meses.

Vale ainda destacar que dependendo o local onde você levanta o drone, pode ser mais rápido, ou mais demorado receber os sinais de GPS. Em meu caso, não passou de 1 minutos, mas como destaquei, fica evidente que é bem mais demorado que o Air 2S.


O app de controle DJI Fly

O aplicativo de controle é o DJI Fly, que apareceu primeiro no Mavic Mini, mas que já é utilizado pelo Mini SE, Mini 2, Mavic Air 2, Air 2S e até pelo DJI FPV Drone. O Mavic 3 é o modelo mais recente da DJI que também passa a utilizar o app DJI Fly para controle e gerenciamento do drone e de funções como atualização de firmware.

Como já falei em outras reviews, gosto bastante dele. As opções ficam bem localizadas e de fácil acesso. No caso do Mavic 3, uma série de funções extras estão disponíveis quando comparado a modelos mais simples, como um Mini 2 por exemplo, porém algumas funções ainda não estão disponíveis, como fazer LIVE com o Mavic 3, funcionalidade que no mesmo app aparece para os demais modelos suportados(com exceção do FPV Drone).

DOWNLOAD - DJI Fly

Um ponto chato é que o DJI Fly continua fora da Google Play Store, além de não receber atualizações automáticas pelo sistema de updates do Android, sendo necessário baixo ele pela primeira vez direto do site da DJI, para que o próprio app gerencie as notificações de novas versões. Atualmente o aplicativo está na versão 1.5.10 (03/2022).

Para fazer o download e atualização para a última versão do aplicativo para Android é necessário entrar no site da DJI, você pode conferir o processo através desse link.

Atualizações de firmware

Eu fui um dos que fiquei bastante frustrado no inicio porque o Mavic 3 foi lançado sem várias de suas funcionalidades, muita coisa mesmo, que foram adicionadas gradativamente através de atualização de firmware. Quem comprar o drone agora não vai passar por esse tipo de situação, sendo que a firmware 01.00.0500 lançada no final de janeiro deixou o drone completo com todas as funcionalidades prometidas, faltando apenas opções como transmissões ao vivo que deve chegar em uma futura atualização.


O QuickTransfer deixou muito mais rápida a copia de vídeos e fotos do drone

Algumas tecnologias podem acabar passando despercebidas por muitos usuários, mas quando utilizadas chamam muito a atenção. Uma dessas tecnologias é o QuickTransfer, novo sistema de cópia em alta velocidade dos dados armazenados no cartão ou no SSD no caso do Cine, para um smartphone.

Para nível de comparação de velocidade, em um Air 2S a copia real de arquivos ficava limitada a pouco mais de 5.5MB por segundo, já com o Mavic 3 a cópia salta para mais de 60MB por segundo, é muita diferença e que deixa o processo muito mais rápido.

Outro ponto muito legal é que essa tecnologia não utiliza o controle, ou seja, é feita a conexão via WiFi entre drone e smartphone, tornando o processo mais rápido e prático para uso. Em alguns casos era necessário deixar o drone ligado por vários minutos para copiar todos os dados gravados, e agora esse tempo caiu mais de 10 vezes, foi uma mudança muito bem vinda.


Mavic 3 + Mavic 2 Pro + Air 2S + Mini SE

Abaixo algumas fotos com vários modelos de drones da DJI jutos:

Mavic 3 vs Mavic 2 Pro

Na próximas fotos, comparando o Mavic 3 com o seu antecessor, o Mavic 2 Pro:

Também temos uma foto mostrando a diferença de tamanho entre o Mavic 3 e o Air 2S com os dois drones abertos:

Mavic 3 vs EVO II Pro

E não poderia deixar de fora um comparativo com o Autel EVO II Pro, um drone de alta qualidade e quem também traz ótimas tecnologia.


Conclusão: Vale a pena o alto custo do Mavic 3?

A pergunta que todos se fazem é: Vale pagar a partir de US$2.199 + impostos por um Mavic 3? Valor que convertido e com o drone nacionalizado ficará acima de R$20.000. Sei que é possível encontrar alguns anúncios com o Mavic 3 (pacote standard / básico) custando na casa de R$16.000, mas nesse caso chegando via importação e que apesar da garantia ficar por conta do vendedor, podem ser homologados normalmente por cerca de R$300, o Guilherme Maia é um desses especialistas em homologação.

Voltando ao drone, o conjunto de câmeras certamente é o ponto mais forte do drone, e que acaba fazendo as pessoas optarem pelo Mavic 3. Ele é o segundo modelo para consumidores da DJI com o "selo" Hasellblad, agora com um conjunto de câmeras duplas, a principal com sensor de 4/3 CMOS, equivalente a 1,33 polegadas, 20MP, FOV 84º, 24mm, abertura variável f/2.8 até f/11 e bitrate de até 200Mbps, proporcionando gravar vídeos em 5.1K 50FPS e 4K até 120 FPS, o que é muito legal e vai agradar amantes de alta qualidade e também que buscam gravar cenas de esportes em alta velocidade para captar vídeos em câmera lenta. Vale aqui destacar que existe uma perda de qualidade em altas taxas de quadro quando comparado com a mesma resolução com quantidade de quadros inferiores. As fotos também ficam ótimas, com uma qualidade em detalhes acima dos demais modelos da empresa. Mas para justificar o uso dessa câmera principal você precisa de fato trabalhar profissionalmente com imagens, caso contrario a câmera do Air 2S já vai atender muito bem, ficando por conta de cenários bem específicos a diferença.

O melhor drone que já testei, mas não é perfeito

 

Em se tratando da câmera secundária tele, ela traz sensor de 1/2 polegadas, 12MP, FOV 15º, 162mm e abertura f/4.4, com foco em uma função que a DJI chama de explorar, e em minha conclusão, é para isso que ela serve. Ele possui zoom hibrido de até 18x. Não consigo ver um uso buscando aproveitamento das imagens de alta qualidade para essa câmera tele, não chega nem perto da câmera principal em qualidade. É aquela coisa, é interessante, mas que será utilizada em casos bem específicos, talvez com uso do drone em vistorias onde não é possível chegar muito próximo de algo, faça uma diferença interessante, mas não para uso profissional das imagens quando se trata de alta qualidade.

Ele ainda traz tecnologias como os modos de voo Quickshots, Mastershot, distância de controle impressionante alcançando 15Km e a função Return to Home avançada se desviando de obstáculos no trajeto de retorno, todas bem interessantes.

Outra tecnologia que merece destaque no Mavic 3 e que pode ser bem interessante para alguns usuários é o novo ActiveTrack 5.0, que associados aos sensores e a tecnologia APAS 5.0 possibilitam imagens muito legais. Eu adorei a possibilidade de escolher a posição do drone, que funcionou muito bem com pessoas, melhor seguindo uma pessoa andando ou correndo do que quando ela em uma bike, mas muito legal. O porem é que como demonstramos nos testes, seguindo um barco ou carro a tecnologia não tem respostas rápidas a troca, mas é perceptível ver o avanço dessa tecnologia que gera possibilidades bem legais.

Para voar legalmente com drone é preciso seguir várias regras

O controle RC-N1 como falei é bom, mas todos que compram um Mavic 3 buscam algo mais do que quem compra um Mini 2, e o mesmo controle para ambos não me parece a melhor escolha. É a mesma coisa que colocar um volante de VW Gol em um VW Jetta, vai funcionar e fazer bem o papel, mas quem compra um Jetta está pagando bem mais busca diferenciais.

A bateria com tempo de voo muito abaixo do prometido é o maior problema do Mavic 3

 

Por fim a bateria, como já destaquei é minha maior frustração com o Mavic 3. Não consigo entender como chegaram em números tão contraditórios. Dos 46 minutos prometidos para 35 minutos é muita coisa, diferença de 28% a menos. Se o drone entregasse qualquer coisa na casa de 40 minutos, já seria ótimo, mas 35 até deixar ele com 1% de bateria quer dizer começar a receber avisos para pousar com cerca de 32 minutos de voo.

Quem comprar terá o melhor drone que existe para consumidores

 

Chegamos ao preço. Para nível de comparação, enquanto um Mavic 3 chega via importação por cerca de R$16K no combo básico, o Air 2S Fly More chega por cerca de R$8K. Quando consideramos modelos nacionalizados com selo Anatel e toda a tradicional garantia e suporte local, temos o Air 2S Fly More custando na casa de R$13.000, e um Mavic 3 standard passando de R$20.000, que gera a dúvida do inicio da conclusão. Você precisa mesmo de um Mavic 3? Minha opinião é que o Mavic 3 não justifica o custo frente aos principais usos dele comparado com um Air 2S, e olha que eu gosto muito de drones e especialmente modelos com alta qualidade de imagens, mas pela diferença alta de preço e diferença não tão grande na qualidade final de boa parte das imagens, só vejo justificativa em cenários bem específicos, como no uso das imagens em 4K 120FPS.

É um excelente drone e quem comprar sem ter utilizado outro modelo não vai se arrepender, mas se você já tiver um bom drone como o Air 2S ou mesmo um Mavic 2 Pro, poderá se incomodar já que a diferença de valor é muito alta. Então a minha dica é bem clara, você de fato precisa desse modelo? Porque continuo sendo insistente que o Air 2S entrega uma excelente qualidade e que já proporciona uso mesmo em trabalhos profissionais.

Para quem ainda não viu, abaixo a análise em vídeo do Mavic 3:

Nota

9

Prós

  • Excelente acabamento
  • Câmera principal com ótima qualidade em fotos e vídeos, mesmo com pouca iluminação
  • Sensores de obstáculos em todas as direções
  • ActiveTrack 5.0 com APAS 5.0 estão bem melhores que versões anteriores
  • Quickshots e Mastershots podem gerar takes suaves de forma simples
  • Boa estabilidade e longa distancia na conexão entre drone e controle

Contras

  • Bateria com autonomia de voo bem abaixo do prometido
  • Câmera tele deixou a desejar na qualidade de imagem
  • GPS demora para conectar aos satélites
  • Preço muito alto frente ao Air 2S
User img

Fabio Feyh

Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado escreve artigos e análises de gadgets relacionados a fotos e vídeo, como drones e action cams.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Xiaomi 12S com câmeras Leica aparece em foto

Xiaomi 12S com câmeras Leica aparece em foto

Fontes dizem que o aparelho deve ser lançado em junho junto com o Xiaomi 12S Pro


Microsoft: 'primeiro bombardeio na Ucrânia foi ciberataque'

Microsoft: 'primeiro bombardeio na Ucrânia foi ciberataque'

Brad Smith, presidente da Microsoft, comentou sobre ciberataques na guerra durante palestra


Apple anuncia fim definitivo do iPod Touch depois de 20 anos

Apple anuncia fim definitivo do iPod Touch depois de 20 anos

Modelo será descontinuado e marca "iPod" não será mais usada


Você pagaria? Apple começa a vender cabo Thunderbolt 4 de R$ 1820 no Brasil

Você pagaria? Apple começa a vender cabo Thunderbolt 4 de R$ 1820 no Brasil

Cabo mede 3m e tem como público alvo usuários profissionais


Apple Music ganha app para Smart TVs e dispositivos com Roku

Apple Music ganha app para Smart TVs e dispositivos com Roku

Serviço de streaming da Apple oferece acesso a mais de 90 milhões de músicas