ANÁLISE: SanDisk Extreme Portable SSD -  Boa opção para notebooks e smartphones

ANÁLISE: SanDisk Extreme Portable SSD - Boa opção para notebooks e smartphones

Solução é ideal para quem precisa de alto desempenho em uma solução portátil com ótima compatibilidade

Recebemos para análise o SanDisk Extreme Portable SSD, como o nome sugere, um SSD portátil. Entre seus grandes destaques, estão a alta velocidade de um SSD, o tamanho bastante compacto, a durabilidade (por se tratar de um drive de armazenamento baseado em memórias) e também a compatibilidade. É possível utilizá-lo conectado em um computador, mas também em smartphones compatíveis, o que é um ponto muito interessante e vai ajudar bastante gente que usa o celular para funções como edição de fotos e vídeos.

Temos a versão de 500GB, mas a linha possui ainda modelos com 250GB, 1TB e 2TB, alcançando velocidade de leitura de até 550 MB/s - semelhante aos modelos SATA mais rápidos do mercado, graças ao uso do padrão USB 3.1 de 2ª geração. A conexão é feita através de um cabo USB Tipo C (padrão dos novos smartphones), mas ele também traz um adaptador para USB tipo A (aquela maiorzinha e tradicional dos computadores).

Lembramos que existe um modelo "Extreme Portable Pro", que alcança velocidade superiores, de até 1050 MB/s. Essa versão naturalmente custa um pouco mais cara.

Site oficial dos SSDs SanDisk Extreme Portable

Em cenário internacional, o modelo de 500GB custa cerca de US$ 90, enquanto o de 1TB custa US$ 180 e o de 2TB custa US$ 409 (pesquisa feita no dia 05/04/2020, na newegg.com). No Brasil, é possível encontrar o modelo de 500GB por R$ 650, em média cerca de R$250 a mais do que um SSD SATA de 2.5 polegadas. Novamente, existe uma versão "Pro" que custa um pouco mais por ser mais rápida.

CONFIRA NOSSO GUIA COMPLETO SOBRE SSD E HD CLICANDO AQUI

Especificações

O Extreme Portable SSD possui vários destaques interessantes. Primeiro de tudo, seu corpo relativamente pequeno e emborrachado, para evitar problemas com eventuais quedas - de acordo com a SanDisk,  ele pode cair de até 2 metros. Também tem proteção IP55 para água e poeira. Seu tamanho é levemente inferior a um drive de 2.5 polegadas (cerca de 2/3 para ter uma noção melhor).

Continua após a publicidade

A conexão é feita através de uma porta USB 3.1 Gen2 formato Tipo C, que virou o padrão de mercado em smartphones mais atuais - isso quando se trata de modelos Android. Junto com ele, vem um cabo com as duas pontas nesse padrão, e acompanha um adaptador para USB Tipo A, o formato comum em computadores. A velocidade alcançada de leitura é de 550 MB/s, semelhante aos melhores modelos SATA. A garantia é de 3 anos.

Compatível com Windows, Mac e Android

 

A SanDisk usou memórias BiCS desenvolvidas pela WD e Toshiba, aparentemente de 64-layers. São memórias pensadas para um modelo que, aliado a alta durabilidade e bom preço, consegue entregar boa velocidade.

Fotos

O SSD é compacto, menor que um drive de 2.5 polegadas, além de trazer um acabamento emborrachado, especialmente nas brodas, visando maior proteção contra quedas. Ele também tem proteção contra água e poeira, outras questões importantes com relação à maior durabilidade.

Colocamos ele ao lado de um Pen Drive USB 3.1 de 256GB da SanDisk, que da uma boa noção do tamanho. Seria interessante se a empresa tivesse desenvolvido alguma forma do cabo ficar preso ao corpo, pois evitaria problemas como a inviabilização do uso em caso de perda ou mesmo de esquecimento desse cabo.

Também colocamos ao lado de outros modelos, como um Pen Drive USB, um HD de 2.5 polegadas (mesmo tamanho de SSDs nesse formato) e do HD Externo da linha Black P10, com tamanho um pouco maior do que os modelos de 2.5 polegadas tradicionais. Como podemos ver, ele possui cerca de 2/3 do tamanho de um drive nesse formato.

Reparem, nas fotos abaixo, os 4 modelos lado a lado, dando uma noção bem real da diferença entre os formatos:

Continua após a publicidade

Na foto abaixo, mostramos ele conectado em um smartphone Android. Fizemos testes em dois modelos: um Zenfone 5Z com Android 10 e um Huawei Y9 Prime 2019 com Android 9. Em ambos os casos, funcionou normalmente. Porém, no modelo da Asus fica aparecendo uma mensagem para formatar o drive quando utilizamos o padrão NTFS - coisa que no aparelho da Huawei abriu normalmente e reconheceu todos os arquivos mesmo em NTFS.

Sistema utilizado

Abaixo, as configurações do sistema e softwares utilizados para os comparativos.

Máquina utilizada nos testes: 

- Mainboard Gigabyte X570 AORUS Master [análise]
- Processador AMD Ryzen 9 3900X [análise]
- Placa de vídeo NVIDIA GeForce RTX 2080[análise]
- Memórias G.Skill TridentZ RGB 16GB (2x8GB) [site oficial]
- SSD Gigabyte AORUS PCIe 4.0 2TB [site oficial]
- Fonte Thermaltake Toughpower 850W Gold [site oficial]

O SISTEMA NÃO RODA ANTI VÍRUS OU APLICATIVOS
QUE POSSAM INTERFERIR NOS TESTES

 

Sistema Operacional e Drivers: 
- Windows 10 Pro 64 Bits Build 1909 + Atualizações

Aplicativos/Games:
- AS SSD Benchmark 2.x
- ATTO Benchmark 4.x
- BootRacer 7.x
- CrystalDiskMark 6.x
- DiskBench

Softwares

Diferente de modelos internos, esse modelo não traz nenhum aplicativo com perfil de gerenciamento do SSD. Mas, ele conta com um software chamado SanDisk SecureAccess para controle dos dados e, consequentemente, maior segurança dos mesmos, já que se trata de um modelo portátil que pode ser conectado em vários computadores. Logo, é importante proteger os arquivos armazenados, assim como qualquer outro HD Externo. Esse software permite encriptar os dados através de uma senha.

Como colocamos anteriormente, é interessante o fato dele ser compatível também com alguns smartphones. Pela alta capacidade e velocidade, pode ser uma solução bem interessante para quem usa celular para trabalhos em edição de vídeos e fotos e precisa de mais espaço, com o diferencial da portabilidade.

Abaixo, tela do Crystal Disk Info com alguns detalhes técnicos do SSD. Em seguida, gráficos comparativos:

Temperatura

Em se tratando de temperatura, normalmente os SSDs baseados em SATA variam pouco sobre a temperatura ambiente. Mas, no caso do Extreme Portable, as temperaturas em modo ocioso e em uso ficam mais próxima de alguns modelos NVMe, como podemos ver nos comparativos abaixo.

Testes sintéticos

AS SSD Benchmark

Começamos nossos testes com o AS SSD Benchmark, software específico para testes de drives SSD, HD etc.

O aplicativo faz uma série de testes em diversas situações de leitura e escrita e, no final, gera uma pontuação com a média entre todos os testes. Confiram abaixo:

ATTO Disk Benchmark

Outro famoso aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento é o ATTO. Vejam abaixo o comportamento dos modelos comparados:

OFF-TOPIC: Abaixo, o gráfico de número 11.000 utilizado em um conteúdo no Adrenaline

 

CrystalDiskMark

Com o aplicativo CrystalDiskMark versão 6, outro muito famoso para testes de drives, optamos por utilizar dois resultados indicados pelos próprios desenvolvedores: o teste "SeqQ32T1" e o "4KiB Q32T1". Abaixo, os scores em modo leitura e escrita:

Testes práticos

Carregando um game (Battlefield V)

Não foi possível rodar o jogo pelo SSD, mesmo com o sistema dando BOOT e funcionando todos os demais testes. Não teve jeito de funcionar em nenhum drive conectado por USB. Como esse teste, consideramos não apenas instalar o jogo no SSD, mas também rodar o sistema operacional no mesmo. Tivemos que remover da bateria.


Tempo de BOOT (Windows 10 Pro 64 bits)

Com o software BootRacer, medimos o tempo necessário para inicializar o sistema operacional, um dos principais atrativos de drives SSD.

O menor tempo depois de 3 BOOTs seguidos e tempo informado pelo Boot Racer

 

O teste consiste no melhor resultado após três boots seguidos do sistema, considerando o tempo total até finalizar na área de trabalho, com o tempo informado pelo aplicativo. Por isso, é mais lento que o boot até mostrar a tela da área de trabalho, já que ele considera que mesmo aplicações em segundo plano carreguem por completo.


Cópia de arquivo - SSD NVMe

Abaixo, os testes de desempenho em cópia, utilizando um SSD padrão NVMe de alto desempenho para enviar e também receber. Sendo assim, tiramos o fator limitador de velocidade de um drive mais lento, como aconteceria com um HD padrão Sata3, já que o SSD utilizado, um Gigabyte AORUS PCIe 4.0, tem velocidade de leitura de até 5.000 MB/s e escrita de 4.400MB/s.

O teste utiliza o aplicativo DiskBench para o processo.

Para o cenário ideal em cópia, ambos os drives precisam ser rápidos

 

Drive analisado para SSD Gigabyte AORUS PCIe 4.0 NVMe M.2 2TB (leitura)

Neste teste, copiamos os arquivos do drive analisado para um SSD NVMe de alto desempenho. Este seria o teste de leitura, já que ele não escreve nada no drive analisado.

Gigabyte AORUS PCIe 4.0 NVMe M.2 2TB para drive analisado (escrita)

Invertendo o processo, agora copiamos os arquivos do AORUS Gen4 para o drive analisado, consistindo em um teste prático de escrita, já que os dados estão sendo gravados no drive. 


Conclusão

Os SSDs estão ganhando cada vez mais espaço pela alta velocidade e, nos últimos meses, pelo preço mais competitivo. Atualmente, é possível encontrar ótimos modelos SATA 2.5 polegas de 250GB por valores na casa de R$200, e modelos com 500GB na casa de R$400 ou menos.

Mesmo sendo comum muitos usuários comprarem cases para utilizar SSD como soluções portáteis, modelos desenvolvidos especificamente com esse propósito tendem a trazer alguns benefícios extras, e esse é o caso do SanDisk Extreme Portable. Ele traz a alta velocidade de um SSD, aliado à conexão USB 3.1 de 2ª geração, corpo menor do que modelos de 2.5 polegas e proteção contra impacto, poeira e água.

O SanDisk Extreme Portable se destaca pelo tempo de leitura de até 550MB/s, que o coloca entre os mais rápidos quando falamos de modelos SATA, e, apesar da transferência da conexão USB 3.1 Gen2 ser mais alta, já é algo muito bom frente a modelos de Pen Drives tradicionais - especialmente de HDs externos.

Como vimos nos testes, o Extreme Portable só perde para um SSD como o Kingston A400 em temperatura, o que é meio lógico, já que possui uma carcaça que traz inclusive proteção contra água e poeira. Mas, quando o assunto é velocidade, ele impressiona.

Novamente, isso se dá porque ele é baseado em conexão USB 3.1 Gen2, além, é claro, de estar conectado em uma porta com suporte a essa tecnologia. Caso contrário, o "lado" mais lento será o limitador, seja a conexão ou o drive conectado a ela.

Opção ideal para quem busca alta velocidade, portabilidade e durabilidade

 

Gostei muito do quesito compatibilidade, já que foi possível conectar o SSD em smartphones através do cabo USB. Mesmo ele formatado com partição do tipo NTFS, não tive problemas com testes em modelos com Android 9 e Android 10. Acho que isso pode ser de grande ajuda para quem utiliza smartphones para trabalho - atualmente, os modelos topo de linha, aliados a bons softwares de edição de vídeo e fotos, fazem isso muito bem. Mas como sabemos, especialmente vídeos ocupam muito espaço, ainda mais com os novos modelos capturando em 4K e até 8K.

O modelo de 500GB no Brasil está custando pouco mais de R$650 reais, cerca de R$250 acima de um modelo de mesma capacidade no formato de 2.5 polegas padrão SATA, sim, poderia ser um pouco mais baixo, acho que o valor deveria ficar na casa de R$550 porque a comparação com os modelos de 2.5 polegas será normal. Velocidade por velocidade, não muda muito entre esses dois tipos de modelos, mas considerando quem pensa em usar um modelo SATA de 2.5 polegas de forma externa, será necessário comprar um case, que vai custar na casa de R$50 e o preço final vai ficar na casa de R$450, porém é importante destacar que não terá algumas características diferenciadas dessa linha Extreme Portable.

Esse modelo da Sandisk se destaca pelo tamanho mais compacto e especialmente um projeto muito mais durável, capaz de aguentar algumas quedas e até um pouco de água e poeira - coisa que poucos cases externos irão fazer bem. Minha única crítica aqui é que o cabo, de alguma forma, deveria ter sido integrado ao corpo, já que não tem como usar sem um cabo e o padrão é justamente tipo C, menor do que o tradicional tipo A.

Ahhh, e pode ser um detalhe para muitos, mas um LED de status faz diferença também.

Nota

9

Prós

  • Bons tempos de leitura e escrita
  • Tamanho bem compacto
  • Corpo emborrachado com proteção contra quedas
  • Proteção contra água e poeira IP55

Contras

  • O preço poderia ser um pouco abaixo
  • O cabo poderia ser integrado ao corpo
  • Sem LEDs de status
User img

Fabio Feyh

Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado escreve artigos e análises de gadgets relacionados a fotos e vídeo, como drones e action cams.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

SSDs podem alcançar preço mais baixo da história no começo de 2021

SSDs podem alcançar preço mais baixo da história no começo de 2021

Alto fornecimento de memórias pode derrubar os valor dos componentes em 15%


Resolvendo o notebook lento da estagiária! Chega de esperar ele ligar

Resolvendo o notebook lento da estagiária! Chega de esperar ele ligar

Seu PC (e o da Ana) pode estar a um upgrade de ficar bom, sabia?


SanDisk lança SSDs Extreme Portable PRO com velocidade de até 2.000MB/s

SanDisk lança SSDs Extreme Portable PRO com velocidade de até 2.000MB/s

Novos dispositivos da marca também capazes de aguentar quedas e possuem proteção contra água


Novo recurso do Windows 10 vai monitorar SSDs NVMe e avisar usuários sobre falhas

Novo recurso do Windows 10 vai monitorar SSDs NVMe e avisar usuários sobre falhas

Membros do Insiders já podem testar a ferramenta que orienta a fazer backups