Acer Aspire A315: VALE A PENA um NOTEBOOK com AMD RYZEN 3?

Acer Aspire A315: VALE A PENA um NOTEBOOK com AMD RYZEN 3?

Testamos o modelo equipado com o Ryzen 3 2200U para ver até onde ele vai

O Acer Aspire 3 A315-41-R790 é um notebook de entrada para uso cotidiano. Seus destaque incluem o preço acessível e o uso do processador Ryzen 3 2200G, equipado com a nova tecnologia da AMD em processadores (Zen) e gráficos integrados (Vega).

Esse é o segundo notebook equipado com Ryzen que tenho acesso para experimentar. Anteriormente testamos no Adrenaline um modelo com características semelhantes, o Lenovo Ideapad 330S, mas que contava com o um pouco mais potente Ryzen 5 2500U. Aqui temos o Ryzen 3 2200G, modelo que conta com dois núcleos, quatro threads e tem os gráficos integrados Vega 3 (ou 2500U tinha quatro núcleos, oito threads e Vega 8).

Site oficial Acer A315 com Ryzen 3 2200G

Especificações principais

- Processador AMD Ryzen 3 2200U
- Gráficos integrados Vega 3
- 4GB de RAM DDR4
- Tela 15.6" HD (1366x768)
- 1TB de armazenamento (disponível slot M.2 SSD)
- Teclado ABNT-2

Design

O Acer A315 tem um visual bastante básico, dentro do que esperamos de um notebook do segmento de preço que está situado. Ele usa um acabamento em plástico texturizado que não é dos mais atraentes, mas é bastante discreto e funcional. Seu porte não é dos mais compactos, o que torna ele menos atrativo comparado ao Lenovo que testamos com Ryzen anteriormente, mas em contrapartida vai trazer benefícios na performance, como falaremos em breve.

As economias de um modelo de entrada são visíveis, mas nesse notebook da Acer não chega a comprometer seu uso. O teclado do tipo chiclet é amplo e conta com teclado numérico na lateral, enquanto a tela tem qualidade regular. É uma pena ver a insistência do uso de telas de resolução HD, nesse caso 1366x768, nos modelos de entrada aqui no Brasil. Além disso, apesar das cores e contrastes aceitáveis, ele apresenta bastante distorção na imagem dependendo do ângulo que você olha para a tela.

Na parte de conectividade, esse notebook tem um conjunto regular de portas. São duas USB de um lado, mais uma USB 3.0 do outro, além de um leitor de cartão e uma porta HDMI.

A saída de ar fica na parte traseira, porém é praticamente imperceptível o sistema de resfriamento operando, seja por produção de ruído ou por aquecimento da carcaça. O motivo é o uso de um chip de entrada, algo que reduz sensivelmente o calor gerado por esse hardware, mesmo em alta carga de trabalho.

Um ponto positivo desse modelo é que o upgrade é bem facilitado. HD e memórias RAM estão facilmente acessíveis, enquanto há um slot M.2 também pronto para receber um armazenamento mais ágil, porém necessita que mais da carcaça seja aberta. Como vamos comentar na parte sobre performance, várias dessas mudanças são bastante recomendáveis.

Performance

Novamente algo que reclamamos no modelo da Lenovo se repete por aqui. Esse Acer vem equipado com apenas 4GB, algo péssimo para um notebook que precisa dedicar parte da memória para o chip gráfico Vega integrado. O resultado são testes bem diferentes quando usamos a forma como o notebook é comercializado (apenas com uma memória de 4GB) e depois de um upgrade nosso para testes (com dois módulos de 4GB cada).

Benchmarks

Acer Aspire A315 - Adobe Premiere

  • Adobe Premiere CC
  • CC 2018: Tempo de render - FullHD/H264/60FPS em resolução de FullHD/H264/60FPS
  • Menor é melhor

Mesmo antes do upgrade, o Acer tem um desempenho bem aceitável para um uso cotidiano, carregando o sistema e as aplicações em um bom ritmo. O HD obviamente limita a agilidade desse computador, mas ele parece vir com um armazenamento mais eficiente que aquele que vimos no Lenovo 330s, que realmente tornava o uso um tanto irritante. Um SSD, aproveitando a presença de um slot para SSD M.2, é muito indicado por aqui.

Em processamentos pesados, o Ryzen 3 2200U faz o que um dual-core com 4 threads pode. Isso quer dizer que para uso diário não há problemas, como navegar na web ou algum editor de texto, porém quando falamos de atividades mais pesadas, como renderizar um vídeo, não espere por um desempenho impressionante.

Benchmarks

Acer Aspire A315 - Fire Strike

  • 3DMark
  • DX11, Fire Strike
  • Maior é melhor

Benchmarks

Acer Aspire 3 - CineBENCH

  • CineBENCH
  • R20: Teste modo CPU (multi)
  • Maior é melhor

E com gráficos da AMD integrados nos Ryzen 3, o que dá para tirar em games? Surpreendentemente, dá para jogar alguma coisa! Por conta do resfriamento mais robusto e alimentação mais abundante, ele consegue até ficar na frente do Lenovo e seu Ryzen 5 em alguns cenários.

Benchmarks

Acer Aspire A315 - DoTA (Baixo)

  • DOTA 2
  • Baixo - 1280x720 em resolução de 1280x720
  • Maior é melhor

Benchmarks

Acer Aspire A315 - Fortninte (Baxo)

  • Fortnite
  • Baixo - 1280x720 em resolução de 1280x720
  • Maior é melhor

Benchmarks

Acer Aspire A315 - Counter Strike

  • Counter Strike: Global Offense
  • Baixo - 1280x720 em resolução de 1280x720
  • Maior é melhor

Bateria e aquecimento

Um dos méritos de se usar um chip de entrada é que ele costuma trazer um baixo aquecimento, e é isso que tivemos com o Aspire A315. Foi muito raro ouvir as fans operando, e mesmo em gameplay esse notebook dissipa muito pouco calor.

Na parte de autonomia seu resultado é OK. Considerando o baixo consumo dos componentes, é uma pena não ver ele se sobressaindo mais. De acordo com estimativas do PCMark, dá para ficar 4h48 usando esse notebook em atividades leves como navegar na web e reproduzir vídeos antes de ficar sem energia. Não é ruim, mas tem notebooks melhores que ele, mesmo alguns com hardwares mais poderosos.

Benchmarks

ASUS ROG Zephyrus S GX531GX

  • PCMark 10
  • Autonomia / Office em resolução de 1920x1080
  • Maior é melhor

Gameplay em vídeo

Experimentamos a performance do Ryzen 3 para games, mas é importante destacar aqui que fizemos um upgrade na memória RAM para esse vídeo, dando mais condições dos chips Zen e Vega entregarem alto desempenho.

Conclusão

O A315-41-R790 é um notebook de entrada que se sai bem para atender a proposta de ser uma máquina de uso cotidiano. Ele tem várias economias que impactam no produto, mas nenhuma delas suficiente para comprometer o seu uso.

Notas: Acer Aspire 3 A315-41-R790
Design
7,0
Tela
6,0
Desempenho
7,5
Autonomia
8,0
Preço / R$ 2.399
6,0

Algumas dessas economias são quase norma no mercado brasileiro, como é o caso da tela de resolução HD com bastante distorção da imagem se olhada de ângulos mais desfavoráveis e obviamente não temos aqui um SSD, mas ao menos o HD aqui não é tão lento e a experiência tão pavorosa quanto o modelo da Lenovo.

Esse notebook tem inclusive potencial de se tornar um modelo bem interessante, pena que isso envolve alguns upgrades no caminho. Primeiro é a quantidade de 4GB de RAM em single-channel, algo que é péssimo especialmente para a performance em games e alguns apps mais pesados. O outro é um SSD, e felizmente esse modelo possui um slot para memória RAM e outro para um SSD M.2.

O Aspire A315 com Ryzen 3 tem potencial de ser um bom modelo de uso cotidiano e até encara games, mas precisa de um preço competitivo (e alguns upgrades) para compensar

Mas com tantas economias e até alguns upgrades quase obrigatórios para melhorar o potencial, o A315 ficou devendo um preço mais agressivo para compensar esses pontos fracos. Com preço oficial na casa dos R$ 3 mil, esse produto não faz muito sentido, mas pode ficar interessante se aparecer em promoções com valores bem mais agressivos. Já colocando na conta uma memória RAM adicional e um SSD, tem potencial de ser um bom notebook para uso cotidiano e até alguns games mais leves.


Nota

7,0

Prós

  • Bom potencial para upgrades
  • Ryzen conta com bons gráficos integrados
  • Desempenho regular para uso cotidiano
  • Fácil de fazer upgrade de RAM, HD e até um SSD M.2

Contras

  • Tela HD
  • Preço muito elevado para seu perfil
  • Pouca RAM de fábrica
Qualcomm: GPU Adreno 650 é o 'núcleo gráfico mais eficiente do mundo'

Qualcomm: GPU Adreno 650 é o 'núcleo gráfico mais eficiente do mundo'

A Qualcomm apresentou o Snapdragon 865 durante seu evento anual Snapdragon Summit


Samsung deverá produzir os próximos CPUs da Intel de 14 nm e 10 nm

Samsung deverá produzir os próximos CPUs da Intel de 14 nm e 10 nm

Imprecisa é a palavra que a Intel utilizou para desmentir o 'boato'


Asus apresenta ProArt StudioBook Pro X, notebook feito para artistas digitais

Asus apresenta ProArt StudioBook Pro X, notebook feito para artistas digitais

Dispositivo traz processador Intel de 9ª geração e placa de vídeo Quadro RTX 5000